Ausência de artigo no Grego Koine


Nesse artigo vamos tratar da ausência do artigo grego no Novo Testamento. Sua compreensão é essencial para o correto entendimento da sentença grega em João 1.1: “᾿Εν ἀρχῇ ἦν ὁ Λόγος, καὶ ὁ Λόγος ἦν πρὸς τὸν Θεόν, καὶ Θεὸς ἦν ὁ Λόγος”. Se bem observado, João não usou o artigo em todas as ocasiões no verso citado, e na terceira sentença podemos perceber que o substantivo Θεὸς veio desacompanhado de artigo. Que implicações podemos retirar desse fato?

A razão de estudarmos a ausência de artigo no grego koiné, é avaliar se a tradução oferecida pela Tradução do Novo Mundo (TNM) está correta. A alegação comum para os TJ`s é que o fato de que o termo Deus na terceira sentença, por não vir acompanhado de artigo (anartro), deve ser entendido como uma declaração iniciada por um artigo indefinido na tradução. Assim, a TNM verte o texto desse modo: “No princípio era o Verbo, o e Verbo estava com Deus e o Verbo era um deus”.

Para conhecer os usos anartros de Θεὸς, sugirou que o leitor leia o artigo O uso anartro de Θεὸς no Novo Testamento, onde observamos diversos usos neotestamentários e suas implicações.

O obejtivo do nosso estudo é verificar se a defesa TJ para a TNM é correta: Será que a ausência de um artigo definido acompanhando um substantivo exige o artigo indefinido na tradução para o português? Nosso artigo visa responder a essa pergunta ao analisar os possíveis usos que a ausência de artigo pode desempenhar no grego koine e verificar se sua ausência sempre implica em uma tradução com o acréscimo de um artigo indefinido.

1. Conceituando o artigo indefinido grego

O que se tem por certo e claro para os estudantes do grego, é que o grego Koiné não possue o artigo indefinido como o português. A.T. Robertson sobre o artigo indefinido diz: “O Sanscrito e o Latin não tem artigo, como o grego não tem artigo indefinido”. Essa característica em si não é uma deficiência na linguagem, mas um exemplo de desenvolvimento tardio do idioma, uma vez que o mesmo autor nos lembra que “nem memos o grego moderno tem o artigo da línguas Teutônicas e Romanas desenvolveram, usando eventualmente εἰς ou τίς com um pouco mais de força que o Inglês um(a) [1]”. Um claro exemplo disso no NT pode ser visto nos seguintes versos:

Lucas 22.50

(GNT) καὶ ἐπάταξεν εἷς τις ἐξ αὐτῶν τὸν δοῦλον τοῦ ἀρχιερέως καὶ ἀφεῖλεν αὐτοῦ τὸ οὖς τὸ δεξιόν

(TNM) E um certo deles até mesmo golpeou o escravo do sumo sacerdote e lhe tirou a orelha direita.

A indefinição do texto é clara: um dentre eles, qualquer um deles golpeou o servo do sumo sacerdote. A ênfase nesse aspecto do texto é exatamente apresentar um relato indefinido, e para tanto o autor usa a expressão “εἷς τις” (lit. um alguém). Outro exemplo que pode acrescer a observação desse princípio apresentado por Robertson encontra-se em Mt.8.19:

Mateus 8.19

(GNT) Καὶ προσελθὼν εἶς γραμματεὺς εἶπεν αὐτῷ· διδάσκαλε, ἀκολουθήσω σοι ὅπου ἐὰν ἀπέρχῃ

(TNM) E certo escriba aproximou-se e disse-lhe: “Instrutor, eu te seguirei para onde quer que fores.”

É interessante notar que nesse caso a TNM demonstrou dificuldades ao traduzir a expressão com “εἷς”. A expressão “εἶς γραμματεὺς” tem duas possibilidades de tradução aqui: (1) ou numéricamente, onde “εἶς” funcionaria com um numeral; (2) ou idefinidademente, onde “εἶς” funcionaria como um artigo indefinido. Isso significa que a tradução “certo escriba” soa mais definido do que o texto grego parece sugerir, mas ainda preserva um pouco do sentido auferido na frase. A ausência da partícula indefinida na tradução, nesse caso, não faz qualquer diferença para o texto, e esse fenômeno não é incomum no NT. Contudo, é importante lembrar que em alguns casos a ênfase do argumento repousa sobre o uso numeral de “εἶς”, veja: “Por que fala este homem dessa maneira? Ele está blasfemando. Quem pode perdoar pecados senão um só, Deus?” (Mc.2.7).

Com isso demonstrado, fica evidente para o leitor que no que refere-se ao artigo indefinido, o grego koiné não o define como em outros idiomas. É por essa razão que eventualmente alguns pensam que a simples ausência de um artigo definido no texto grego implique em uma setença indefinida na tradução. Entretanto, esse fato não é verdadeiro e há diversas demonstrações desse fato no Novo Testamento (cf. O uso anartro de Θεὸς no Novo Testamento).

A verdade a respeito da ausência de artigo no grego neotestamentário é que, ora pode exigir o artigo indefinido na tradução, ora não. Ou seja, via de regra, a ausência de artigo no grego deve ser analisada pelo tradutor, pois “sem artigo, um substantivo pode ser ou não ser indefinido, dependendo do contexto[2]”. Por exemplo, em At.28.6 o contexto permite o uso de um artigo indefinido com o substantivo Θεὸς, ao passo que em 1Co.8.4 isso não acontece. Por essa razão, o leitor fará bem se puder observar abaixo algumas características que a ausência de artigo imprime no NT.

2. A questão da ausência de artigo

A questão da ausência de artigo tem algumas características que merecem nossa atenção: (1) a ausência em si não é uma demonstração de indefinição; (2) a conceituação depende do contexto; (3) existem características que podem ou não exigir um artigo indefinido na tradução de uma sentença anartra.

De fato, sobre a ausência do artigo definido, devemos observar três características básicas: a referência, a função e o uso de preposições. Se, essas três características forem obsevadas o leitor terá capacidade para distinguir a necessidade de inclusão ou não de um artigo indefinido na traducão de uma setença anartra.

A. A questão da referência

Uma das características que nos auxiliam a compreender o modo de tradução de uma sentença ou expressão anartra é a referência que tal ausência faz. Ou seja, quando trata-se de nomes próprios, o grego koiné não exije o artigo indefinido, ou seja, ele não é obrigatório.

Situações similares podem acontecer quando trata-se de títulos de livros, ou sentenças iniciais dos mesmos; quando refere-se a números ordinais e a palavras abstratas. Abaixo observamos com um pouco mais de detalhes cada um desses caso.

1. Nomes Próprios

Atos 19:13

(GNT) ἐπεχείρησαν δέ τινες ἀπὸ τῶν περιερχομένων ᾿Ιουδαίων ἐξορκιστῶν ὀνομάζειν ἐπὶ τοὺς ἔχοντας τὰ πνεύματα τὰ πονηρὰ τὸ ὄνομα τοῦ Κυρίου ᾿Ιησοῦ λέγοντες· ὁρκίζομεν ὑμᾶς τὸν ᾿Ιησοῦν ὃν Παῦλος κηρύσσει.

(TNM) Mas, certos dos judeus itinerantes, que praticavam a expulsão dos demônios, também empreenderam usar por nome o nome do Senhor Jesus para com os que tinham espíritos iníquos, dizendo: “Eu vos advirto solenemente por Jesus, a quem Paulo prega..

Observe nesse texto que dois fenômenos interessantes acontencem: (1) o nome de Jesus é acompanhado por artigo, mais não faz diferença no discruso. Ainda que essa sentença fosse traduzida como “por o Jesus”, ou “pelo Jesus” a sentença não faria diferença. O argumento do autor mantem-se do mesmo modo; (2) Entretanto, o fenômeno contrário acontece com o nome de Paulo. Sabe-se de que Paulo se fala no texto, mas não o entendemos como “o Paulo”, embora saibamos qual deles é descrito aqui. Esse é o caso onde a falta de artigo certamente não implica em uma indefinição. Caso similar acontece nos textos citados abaixo

Mateus 2:7

(GNT) Τότε Ηρῴδης, λάθρᾳ καλέσας τοὺς μάγους ἠκρίβωσε παρ᾿ αὐτῶν τὸν χρόνον τοῦ φαινομένου ἀστέρος,

(TNM) Herodes convocou, então, secretamente os astrólogos e averiguou deles cuidadosamente o tempo do aparecimento da estrela;

1Coríntios 9:6

(GNT) ἢ μόνος ἐγὼ καὶ Βαρνάβας οὐκ ἔχομεν ἐξουσίαν τοῦ μὴ ἐργάζεσθαι;

(TNM) Ou é somente Barnabé e eu que não temos autoridade para nos abster de trabalho [secular]?

Colossenses 4:10

(GNT) ᾿Ασπάζεται ὑμᾶς ᾿Αρίσταρχος ὁ συναιχμάλωτός μου, καὶ Μᾶρκος ὁ ἀνεψιὸς Βαρναβᾶ, περὶ οὗ ἐλάβετε ἐντολάς· ἐὰν ἔλθῃ πρὸς ὑμᾶς, δέξασθε αὐτόν,

(TNM) Aristarco, meu companheiro de cativeiro, manda-vos os seus cumprimentos, e assim também Marcos, primo de Barnabé, (a respeito de quem recebestes mandado para o acolher, se for ter convosco,)

É bem observável que em referência a nomes próprio, o artigo não é necessário, muito embora pudesse acompanhá-los em algumas ocasiões. Observe:

Atos 13:43

(GNT) λυθείσης δὲ τῆς συναγωγῆς, ἠκολούθησαν πολλοὶ τῶν ᾿Ιουδαίων καὶ τῶν σεβομένων προσηλύτων τῷ Παύλῳ καὶ τῷ Βαρνάβᾳ, οἵτινες προσλαλοῦντες αὐτοῖς ἔπειθον αὐτοὺς προσμένειν τῇ χάριτι τοῦ Θεοῦ.

(TNM) Assim, depois de se dissolver a reunião da sinagoga, muitos dos judeus e dos prosélitos que adoravam [a Deus] seguiram a Paulo e Barnabé, os quais, falando com eles, começaram a instar com eles para que continuassem na benignidade imerecida de Deus

Com isso entendemos que para o grego o artigo não é essencial para a referência a nomes próprios, pois vimos que ora estão presentes, ora não.

2. Títulos de Livro

De modo similar ao que acontece com os nomes próprios, títulos de livros também não exigem artigos definidos. Observe dois exemplos abaixo:

Marcos 1:1

(GNT) ᾿Αρχὴ τοῦ εὐαγγελίου ᾿Ιησοῦ Χριστοῦ, Υἱοῦ τοῦ Θεοῦ.

(TMN) [O] princípio das boas novas a respeito de Jesus Cristo:

Apocalipse 1:1

(GNT) ᾿Αποκάλυψις ᾿Ιησοῦ Χριστοῦ, ἣν ἔδωκεν αὐτῷ ὁ Θεός, δεῖξαι τοῖς δούλοις αὐτοῦ ἃ δεῖ γενέσθαι ἐν τάχει, καὶ ἐσήμανεν ἀποστείλας διὰ τοῦ ἀγγέλου αὐτοῦ τῷ δούλῳ αὐτοῦ ᾿Ιωάννῃ,

(TNM) Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu, para mostrar aos seus escravos as coisas que têm de ocorrer em breve. E ele enviou o seu anjo e [a] apresentou por intermédio dele em sinais ao seu escravo João.

No primeiro exemplo vemos que a TNM acresce ao texto um artigo definido no início da sentença em uma ocasião em que ele não está presente no texto grego nem é necessário na tradução. É bem verdade que não faz qualquer diferença no texto, mas serve como exemplo de que a ausência do artigo pode trazer dificuldades na tradução de um texto.

No segundo exemplo vemos o caso da ausência de artigo correspondente nos dois idiomas: Não trata-se d[a] revelação, como se fosse a única nesse patamar, ou uma revelação como se fosse qualquer; mas trata-se da revelação de Jesus (específica, mas não única), como aquela que tem tal autoridade quanto todas as outras revelações que já teria apresentado. É interessante notar, todavia, que várias versões inglesas acrescentem o artigo definido (ASV, KJV, NIV).

Esses dois casos são exemplos suficientes para demonstrar que a ausência de artigo no texto grego pode trazer diferenças de tradução e que o artigo em si, não é essencial para o discurso. Como evidência disso, podemos observar ocasiões em que sentenças inteiras são escritas sem artigo. Observe o caso de 1 Pedro 1.1-2:

1Pedro 1:1-2

(GNT) Πέτρος, ἀπόστολος ᾿Ιησοῦ Χριστοῦ, ἐκλεκτοῖς παρεπιδήμοις διασπορᾶς Πόντου, Γαλατίας, Καππαδοκίας, ᾿Ασίας καὶ Βιθυνίας, κατὰ πρόγνωσιν Θεοῦ πατρός, ἐν ἁγιασμῷ Πνεύματος, εἰς ὑπακοὴν καὶ ῥαντισμὸν αἵματος ᾿Ιησοῦ Χριστοῦ· χάρις ὑμῖν καὶ εἰρήνη πληθυνθείη.

(TNM) Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos residentes temporários espalhados por Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia, aos escolhidos segundo a presciência de Deus, o Pai, com santificação pelo espírito, com o objetivo de que sejam obedientes e sejam aspergidos com o sangue de Jesus Cristo. Benignidade imerecida e paz vos sejam aumentada.

Nesse caso, nenhum artigo grego foi utilizado, muito embora o sentido da frase não seja encobrido por esse fenômeno linguístico. Mas, por que o grego koiné permite esse tipo de situação? Na verdade, no grego koiné, diferente do português, o substantivo é regido por declinações e no grego, essas declinações regem as funções que os termos exercem em uma frase. Assim, uma sentença grega, tão grande quanto 1Pe.1.1-2, pode ser escrita sem artigo sem que isso implique em qualquer complicação para a compreensão do texto. Isso é evidência de que o artigo não é essencial para o discurso.

3. Números Ordinais

Quando o grego trata de numerais, os artigos não são necessário, como já observamos em outros contextos. Observe:

Lucas 2:2

(GNT) αὕτη ἡ ἀπογραφὴ πρώτη ἐγένετο ἡγεμονεύοντος τῆς Συρίας Κυρηνίου.

(TNM) este primeiro registro ocorreu quando Quirino era governador da Síria. (cf. Mc.15.2)

João 19:14

(GNT) ἦν δὲ παρασκευὴ τοῦ πάσχα, ὥρα δὲ ὡσεὶ ἕκτη. καὶ λέγει τοῖς ᾿Ιουδαίοις· ἴδε ὁ βασιλεὺς ὑμῶν.

(TNM) Ora, era a preparação da páscoa; era cerca da sexta hora. E ele disse aos judeus.

Efésios 6:2

(GNT) τίμα τὸν πατέρα σου καὶ τὴν μητέρα, ἥτις ἐστὶν ἐντολὴ πρώτη ἐν ἐπαγγελίᾳ,

(TNM) Honra a teu pai e [a tua] mãe”, que é o primeiro mandado com promessa (cf. At.2.15)

No primeiro exemplo a ausência de artigo foi observada em ambos os idiomas, sem que a indefinição fosse regente em ambos idiomas. Entretanto, nos outros dois casos percebemos que a ausência de artigo em grego foi compreendido definidamente em portugês. Em Efésios esse caso é observado com intensidade em português: “Esse é O primeiro mandamento com promessa”. Nesse caso, não há outro primeiro mandamento com promessa: Esse é O primeiro. É interessante notar que essa definição específica não vem acompanhada de artigo em grego, sem que seu sentido fosse minimizado. Mais uma evidência de que o artigo não é essencial para o discurso.

4. Palavras Abstratas

Em outras ocasiões o grego também não exige a presença do artigo: esse é o caso de palavras abstratas. Observe os casos abaixo:

Gálatas 5:20

(GNT) εἰδωλολατρία, φαρμακεία, ἔχθραι, ἔρις, ζῆλοι, θυμοί, ἐριθείαι, διχοστασίαι, αἱρέσεις,

(TNM) idolatria, prática de espiritismo, inimizades, rixa, ciúme, acessos de ira, contendas, divisões, seitas,

Romanos 1:29

(GNT) πεπληρωμένους πάσῃ ἀδικίᾳ, πορνείᾳ πονηρίᾳ πλεονεξίᾳ κακίᾳ, μεστοὺς φθόνου φόνου ἔριδος δόλου κακοηθείας, ψιθυριστάς,

(TNM) já que estavam cheios de toda a injustiça, iniqüidade, cobiça, maldade, cheios de inveja, assassínio, rixa, fraude, disposição maldosa, sendo cochichadores

Nesses dois exemplos vemos que a ausência de artigo com substantivos abstratos não foram traduzidas idefinidamente nenhuma vez. Ou seja, a ausência no grego também pode ser entendida como uma ausência em português sem que isso minimize o sentido da frase. Entretanto é interessante notar que, tal ausência pode ser compreendida definidamente em outras ocasiões. Veja o exemplo abaixo:

Apocalipse 5:12

(GNT) λέγοντες φωνῇ μεγάλῃ· ἄξιόν ἐστι τὸ ἀρνίον τὸ ἐσφαγμένον λαβεῖν τὴν δύναμιν καὶ πλοῦτον καὶ σοφίαν καὶ ἰσχὺν καὶ τιμὴν καὶ δόξαν καὶ εὐλογίαν.

(TNM) dizendo com voz alta: “O Cordeiro que foi morto é digno de receber o poder, e as riquezas, e a sabedoria, e a força, e a honra, e a glória, e a bênção.. (veja 7.12)

Note que a tradução em português acresceu um artigo definido para cada substantivo, muito embora não se tenha a presença de nenhum artigo grego em toda a sentença. É interessante que várias versões em português não optaram por fazer o mesmo que a TNM aqui (ARA, ARC, ACF, BRP).

Isso exemplifica a situação do artigo grego na tradução: ora pode ser definido, indefinido ou correlato (sem artigo em ambos idiomas). Ou seja, a cada passo que damos no estudo da ausência do artigo comprovamos que Bergmann está correto quando disse: “sem artigo, um substantivo pode ser ou não ser indefinido, dependendo do contexto”. Mas, seria válido acrescer que, além do contexto, algumas características favorecem esse dilema, como já temos visto até aqui.

B. A questão da função

Esse é um caso de um pouco mais de complexidade do idioma grego, pois dependendo da função sintática de um substantivo, o grego não exige artigo, independendo da classe ou espécie do substantivo ou adjetivo.

1. Predicado

Quando um substantivo anarto exerce a função de predicado em uma frase ele normalmente não usa artigo. A.T. Robertson sobre isso diz: “Como regra o predicado não tem o artigo, mesmo quando o sujeito o usa[3]”. Essa é uma regra de identificação: ela não é sem exceções mais reposponde pela vasta maioria dos casos. Observe alguns exemplos:

Marcos 9:50

(GNT) Καλὸν τὸ λας· ἐὰν δὲ τὸ ἅλας ναλον γένηται, ἐν τίνι αὐτὸ ἀρτύσετε; ἔχετε ἐν ἑαυτοῖς ἅλας καὶ εἰρηνεύετε ἐν ἀλλήλοις.

(TNM) O sal é excelente; mas, se o sal perder a sua força, com que é que o temperareis? Tende sal em vós mesmos e mantende a paz entre vós.

Lucas 7:8

(GNT) καὶ γὰρ ἐγὼ νθρωπός εἰμι ὑπὸ ἐξουσίαν τασσόμενος, ἔχων ὑπ᾿ ἐμαυτὸν στρατιώτας, καὶ λέγω τούτῳ, πορεύθητι, καὶ πορεύεται, καὶ ἄλλῳ, ἔρχου, καὶ ἔρχεται, καὶ τῷ δούλῳ μου, ποίησον τοῦτο, καὶ ποιεῖ.

(TNM) Pois eu também sou homem sujeito à autoridade, tendo soldados sob as minhas ordens, e digo a este: ‘Vai!’ e ele vai, e a outro: ‘Vem!’ e ele vem, e ao meu escravo: ‘Faze isto!’ e ele o faz.”.

Esse é um caso interessantíssimo: A sentença em destaque no texto grego está toda no nominativo e o predicato está colocado antes do verbo (predicado nominativo pré-verbal –  também conhecido como PN – sobre ele estudaderemos oportunamente). Essa é uma construção interessante e a tradução mais acertada não é nem “o homem” ou “um homem”, mas como foi demonstrado aqui: “homem”, um caso de tradução correlata. Esse tipo de situação não é incomum no grego do NT: Um predicado nominativo pré-verbal é definido em aproximadamente 87% dos casos no NT[4], e correlato em vários outros casos. Ou seja, salvo ocasiões definidas por contexto a regra de A.T. Robertson é verdadeira. (Para outros casos, veja: Jo.1.14; 1Jo.4.16; Mt.13.39; Jo.17.17; Rm.7.7).

2. Equiparação

No grego, quando o autor deseja fazer completa correspondência entre dois substantivos, em uma sentença com verbos de ligação, normalmente ele o faz usando artigos com o sujeito e o predicativo do sujeito. Observe o exemplo abaixo:

Mateus 13:38

(GNT) ὁ δὲ ἀγρός ἐστιν ὁ κόσμος· τὸ δὲ καλὸν σπέρμα, οὗτοί εἰσιν οἱ υἱοὶ τῆς βασιλείας· τὰ δὲ ζιζάνιά εἰσιν οἱ υἱοὶ τοῦ πονηροῦ·

(TNM) o campo é o mundo; quanto à semente excelente, estes são os filhos do reino; mas o joio são os filhos do iníquo;

Nesse texto vemos um caso típico de completa correspondência: O campo é o mundo do mesmo modo que o mundo é o campo. Essa construção acontece quando é a intenção do autor de equivaler dois substantivos. Nesses casos, não faz qualquer diferença que substantivo é o sujeito ou o predicado (quando ambos estão no nominativo).

Esse tipo de situação nos serve para compreendermos que, embora o artigo não seja essencial para o discurso, sua presença em alguns casos denota extrema importância. Esse é o caso de uma sentença formada com verbos de ligação e dois substantivos nominativos, observe:

1João 4:8

(GNT) ὁ μὴ ἀγαπῶν οὐκ ἔγνω τὸν Θεόν, ὅτι ὁ Θεὸς ἀγάπη ἐστίν.

(TNM) Quem não amar[5], não chegou a conhecer a Deus, porque Deus é amor.

Nesse verso temos, na sentença em destaque, dois substantivos nominativos em uma sentença com verbo de ligação. Diferente do português, a ordem das palavras não é fundamental para sua compreensão, assim a setença Deus é amor, foi escrita literalmente desse modo: “o Deus amor é”. Então, como sabemos qual substantivo é o sujeito e qual é o predicativo do sujeito nessa sentença em que ambos estão no nominativo? Normalmente, o predicado vem sem artigo e o sujeito é marcado pela presença dele. Assim, traduzir essa sentença como o Amor é Deus, é uma tradução equivocada. Ou seja, não há completa correspondência entre sujeito e predicativo do sujeito como aconteceu em Mt 13.38. Em casos similares a esses, o sujeito é o predicativo do sujeito, mas o inverso não é verdadeiro.

Existem diversos exemplos desses no NT, mas o conceito aqui apresentado nesse caso parece suficiente para nosso diálogo. Entretanto, vamos observar casos diferentes desses já apresentados:

Mateus 13:39

(GNT) [1] ὁ δὲ ἐχθρὸς ὁ σπείρας αὐτά ἐστιν ὁ διάβολος· [2] ὁ δὲ θερισμὸς συντέλεια τοῦ αἰῶνός ἐστιν· [3] οἱ δὲ θερισταὶ γγελοί εἰσιν.

(TNM) e o inimigo que o semeou é o Diabo. A colheita é a terminação dum sistema de coisas e os ceifeiros são os anjos.

Três sentenças interessantes sao apresentadas nesse verso. Observe que ns primeira a correspondência é completa: Tanto o inimigo é o Diabo quanto o inverso. A presença de artigos em ambos os substantivo no nominativo indicam isso. Já nas outras duas sentenças isso não ocorre. Ou seja, a terminação dum sistema de coisas não é a ceifa, por assim dizer, nem os ceifeiros sempre são anjos. Ou seja, nesse contexto, a ceifa representa a terminação dum sistema de coisas, mas não o é em essencia, do mesmo modo que nesse caso os anjos são ceifeiros, mas é certo que os ceifeiros não são angélicos em todos os casos.

Note que a TNM tornou indefinido o que o texto grego é claramente definido: “A colheita é a terminação dum sistema de coisas” (ὁ δὲ θερισμὸς συντέλεια τοῦ αἰῶνός ἐστιν). Fora a má tradução de αἰων[6], vemos que a TMN ignorou a presença do artigo definido no texto grego. Tal indefinição só pode ter sido acrescida aqui por motivos teológicos, pois não existem critérios semânticos, gramáticos ou contextuais que possam explicar esse fenômeno. O medo da verdadeira escatologia é certamente o motivo russelita dessa tradução.

O que vemos aqui é: que embora o artigo não seja essencial para o discurso (note que nem sempre é traduzido), em ocasiões como essas (sujeito e predicativo do sujeito nominativos em uma sentença com verbo de ligação) ele desempenha um papel sintático fundamental. Observe outro exemplo:

Marcos 7:26

(GNT) ἡ δὲ γυνὴ ν Ελληνίς, Συροφοινίκισσα τῷ γένει· καὶ ἠρώτα αὐτὸν ἵνα τὸ δαιμόνιον ἐκβάλῃ ἐκ τῆς θυγατρὸς αὐτῆς.

(PJFA) (ora, a mulher era grega, de origem siro-fenícia) e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio.

Em casos de completa equivalência, já vimos que tanto o sujeito como o predicativo do sujeito vem acompanhado de artigo. Entretanto, quando não é essa a intenção do autor, normalmente o predicado vem sem artigo, como no caso demonstrado acima. Nessas ocasiões a ausência de artigo é correspondente em grego e em português. A tradução dessa sentença, certamente não é “a mulher era uma grega” como se a ênfase fosse na indefinição, mas era grega de nacionalidade. Exemplos como esse também são comuns no NT e estes servem como exemplo do conceito apresentado.

3. Com Genitivo

Quando um substantivo é escrito no caso genitivo, normalmente ele não exige a presença do artigo mas a tradução a fará presente. Observe:

Mateus 16:18

(GNT) κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶ ἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳ οἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν, καὶ πύλαι δου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς.

(TNM) Também, eu te digo: Tu és Pedro, e sobre esta rocha construirei a minha congregação, e os portões do Hades não a vencerão.

Note que a inserção do artigo não é sempre necessária:

Atos 23:6

(GNT) Γνοὺς δὲ ὁ Παῦλος ὅτι τὸ ἓν μέρος ἐστὶ Σαδδουκαίων, τὸ δὲ ἕτερον Φαρισαίων, ἔκραξεν ἐν τῷ συνεδρίῳ· ἄνδρες ἀδελφοί, ἐγὼ Φαρισαῖός εἰμι, υἱὸς Φαρισαίου· περὶ ἐλπίδος καὶ ἀναστάσεως νεκρῶν ἐγὼ κρίνομαι.

(TNM) Ora, quando Paulo notou que uma parte era dos saduceus, mas a outra dos fariseus, passou a clamar no Sinédrio: “Homens, irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseus. É por causa da esperança da ressurreição dos mortos que estou sendo julgado.

Veja outros exemplos (cf. 1Co.15.10; 1Ts.2.13; 1Co.10.21; At.13.10).

C. A questão das preposições

De alguma forma, as orações preposicionadas parecem não exigir a presença de um artigo definido. Observe:

Rom 2:23

(GNT) ὃς ἐν νόμῳ καυχᾶσαι, διὰ τῆς παραβάσεως τοῦ νόμου τὸν Θεὸν ἀτιμάζεις;

(TNM) Tu, que te orgulhas da lei, desonras a Deus pela tua transgressão da Lei?

Efésios 4:24

(GNT) καὶ ἐνδύσασθαι τὸν καινὸν ἄνθρωπον τὸν κατὰ Θεὸν κτισθέντα ἐν δικαιοσύνῃ καὶ ὁσιότητι τῆς ἀληθείας.

(TNM) e que vos deveis revestir da nova personalidade, que foi criada segundo a vontade de Deus, em verdadeira justiça e lealdade.

1Coríntios 11:34

(GNT) εἴ δέ τις πεινᾷ, ἐν οἴκῳ ἐσθιέτω, ἵνα μὴ εἰς κρίμα συνέρχησθε. Τὰ δὲ λοιπὰ ὡς ἂν ἔλθω διατάξομαι.

(TNM) Se alguém tiver fome, coma em casa, para que não vos reunais para julgamento. Mas os demais assuntos porei em ordem quando for aí.

Confira mais alguns exemplos abaixo com preposições específicas:

Ἀνὰ

1Coríntios 14:27

(GNT) εἴτε γλώσσῃ τις λαλεῖ, κατὰ δύο ἢ τὸ πλεῖστον τρεῖς, καὶ ἀνὰ μέρος, καὶ εἷς διερμηνευέτω·

(TNM) E, se alguém falar numa língua, seja isso limitado a dois ou no máximo três, e por turnos; e traduza alguém.

Ἀπο

Hebreus 12:25

(GNT) Βλέπετε μὴ παραιτήσησθε τὸν λαλοῦντα, εἰ γὰρ ἐκεῖνοι οὐκ ἔφυγον τὸν ἐπὶ τῆς γῆς παραιτησάμενοι χρηματίζοντα, πολλῷ μᾶλλον ἡμεῖς οἱ τὸν ἀπ᾿ οὐρανῶν ἀποστρεφόμενοι·

(TNM) Cuidai de que não vos escuseis daquele que está falando. Porque, se não escaparam aqueles que se escusaram daquele que dava aviso divino na terra, muito menos ainda nós, se nos desviarmos daquele que fala desde os céus

(cf. Mc.15.21; Mc.7.4; Lc.17.29).

Διὰ

Atos 5:19

(GNT) ἄγγελος δὲ Κυρίου διὰ νυκτὸς ἤν ἤνοιξε τὰς θύρας τῆς φυλακῆς, ἐξαγαγών τε αὐτοὺς εἶπε·

(TNM) Mas, durante a noite, o anjo de Jeová abriu as portas da prisão, trouxe-os para fora e disse

(cf. Lc.4.30; Lc.17.11)

Εἰς

1Pedro 3:22

(GNT) ὅς ἐστιν ἐν δεξιᾷ τοῦ Θεοῦ πορευθεὶς εἰς οὐρανόν, ὑποταγέντων αὐτῷ ἀγγέλων καὶ ἐξουσιῶν καὶ δυνάμεων.

(TNM) Ele está à direita de Deus, pois foi para o céu; e foram-lhe sujeitos anjos, e autoridades, e poderes.

(cf. At.2.27; Mc.16.12; Mt.17.27; Mc.3.20)

Ἐν

Colossenses 2:20

(GNT) Εἰ οὖν ἀπεθάνετε σὺν τῷ Χριστῷ ἀπὸ τῶν στοιχείων τοῦ κόσμου, τί ὡς ζῶντες ἐν κόσμῳ δογματίζεσθε,

(TNM) Se morrestes junto com Cristo para com as coisas elementares do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais ainda aos decretos

(cf. Mt.6.20; Hb.12.23; Lc.2.14; Hb.1.3; Lc.15.25)

Ἐξ

João 6:64

(GNT) ἀλλ᾿ εἰσὶν ἐξ ὑμῶν τινες οἳ οὐ πιστεύουσιν. ᾔδει γὰρ ἐξ ἀρχῆς ὁ ᾿Ιησοῦς τίνες εἰσὶν οἱ μὴ πιστεύοντες καὶ τίς ἐστιν ὁ παραδώσων αὐτόν.

(TNM) Mas, há alguns de vós que não crêem.” Pois Jesus sabia desde [o] princípio quem eram os que não criam e quem era o que o havia de trair.

(cf. 1Co.12.27; Ef.6.6; At.26.4; Mt.27.39)

Ἐως

Atos 28:23

(GNT) Ταξάμενοι δὲ αὐτῷ ἡμέραν ἧκον πρὸς αὐτὸν εἰς τὴν ξενίαν πλείονες, οἷς ἐξετίθετο διαμαρτυρόμενος τὴν βασιλείαν τοῦ Θεοῦ πείθων τε αὐτοὺς τὰ περὶ τοῦ ᾿Ιησοῦ ἀπό τε τοῦ νόμου Μωϋσέως καὶ τῶν προφητῶν ἀπὸ πρωῒ ως ἑσπέρας.

(TNM) Combinaram assim um dia com ele e vieram em maior número ter com ele na sua pousada. E ele lhes explicou o assunto por dar cabalmente testemunho a respeito do reino de Deus e por usar de persuasão para com eles concernente a Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos Profetas, de manhã até à noite

(cf. Mt.11.23; Mt.24.27; 1Co.1.8)

Ἐπὶ

Mateus 24:33

(GNT) οὕτω καὶ ὑμεῖς ὅταν ἴδητε πάντα ταῦτα, γινώσκετε ὅτι ἐγγύς ἐστιν ἐπὶ θύραις.

(TNM) Do mesmo modo, também, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo às portas

(cf. Lc.2.14; Lc.5.12)

Κατα

Gálatas 3:1

(GNT) ῏Ω ἀνόητοι Γαλάται, τίς ὑμᾶς ἐβάσκανε τῇ ἀληθείᾳ μὴ πείθεσθε, οἷς κατ᾿ ὀφθαλμοὺς ᾿Ιησοῦς Χριστὸς προεγράφη ἐν ὑμῖν ἐσταυρωμένος;

(TNM) insensatos gálatas! Quem é que vos submeteu à influência má, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi retratado abertamente como pregado numa estaca?

(cf. At.27.12; At.8.26; Hb.1.10; At.15.16)

Μέχρι

Atos 20:7

(GNT) ᾿Εν δὲ τῇ μιᾷ τῶν σαββάτων συνηγμένων τῶν μαθητῶν κλάσαι ἄρτον, ὁ Παῦλος διελέγετο αὐτοῖς, μέλλων ἐξιέναι τῇ ἐπαύριον, παρέτεινέ τε τὸν λόγον μέχρι μεσονυκτίου.

(TNM) No primeiro dia da semana, quando estávamos ajuntados para uma refeição, Paulo começou a dissertar para eles, visto que ia partir no dia seguinte; e ele prolongou as suas palavras até à meia-noite. Hb.3.6

Παρὰ

Atos 10:32

(GNT) πέμψον οὖν εἰς ᾿Ιόππην καὶ μετακάλεσαι Σίμωνα ὃς ἐπικαλεῖται Πέτρος· οὗτος ξενίζεται ἐν οἰκίᾳ Σίμωνος βυρσέως παρὰ θάλασσαν· ὃς παραγενόμενος λαλήσει σοι.

(TNM) Envia, portanto, a Jope e manda chamar Simão, que é cognominado Pedro. Este homem está sendo hospedado na casa de Simão, o curtidor, à beira do mar. (cf.At.16.13)

Περὶ

João 3.25

(GNT) ᾿Εγίνετο οὖν ζήτησις ἐκ τῶν μαθητῶν ᾿Ιωάννου μετὰ ᾿Ιουδαίου περὶ καθαρισμοῦ,

(TNM) Surgiu assim da parte dos discípulos de João uma disputa com um judeu, a respeito da purificação.

Πρὸ

Mateus 8:29

(GNT) καὶ ἰδοὺ ἔκραξαν λέγοντες· τί ἡμῖν καὶ σοί, ᾿Ιησοῦ υἱὲ τοῦ Θεοῦ; ἦλθες ὧδε πρὸ καιροῦ βασανίσαι ἡμᾶς;

(TNM) E eis que bradavam, dizendo: “Que temos nós contigo, Filho de Deus? Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo designado?”

Πρὸς

1 João 5.16

(GNT) ᾿Εάν τις ἴδῃ τὸν ἀδελφὸν αὐτοῦ ἁμαρτάνοντα ἁμαρτίαν μὴ πρὸς θάνατον, αἰτήσει, καὶ δώσει αὐτῷ ζωήν, τοῖς ἁμαρτάνουσι μὴ πρὸς θάνατον. ἔστιν ἁμαρτία πρὸς θάνατον· οὐ περὶ ἐκείνης λέγω ἵνα ἐρωτήσῃ

(TNM) Se alguém avistar seu irmão cometendo um pecado que não incorre em morte, pedirá, e ele lhe dará vida, sim, aos que pecarem sem incorrer em morte. Há um pecado que incorre em morte. A respeito deste pecado não lhe digo que faça solicitação.

(cf. Lc.24.29)

Ὑπὸ

Lucas 17:24

(GNT) ὥσπερ γὰρ ἡ ἀστραπὴ ἀστράπτουσα ἐκ τῆς ὑπ᾿ οὐρανὸν εἰς τὴν ὑπ᾿ οὐρανὸν λάμπει, οὕτως ἔσται καὶ ὁ Υἱὸς τοῦ ἀνθρώπου ἐν τῇ ἡμέρᾳ αὐτοῦ.

(TNM) Pois assim como o relâmpago, com o seu lampejo, brilha duma parte sob o céu à outra parte sob o céu, assim será o Filho do homem

3. Conclusão

O que vimos até aqui é que a ausência de artigo não é um exercício arbitrário: existem considerações gramaticais que podem auxiliar a presença ou ausência do artigo na tradução. Vimos também que a idéia de que a ausência no texto grego não é sempre uma questão de indefinição, mas que dependendo do contexto, além de indefinido, pode ser correlato ou até mesmo definida.

Ou seja, considerando os usos anartros de θεος no NT e as observações sobre a ausência de artigo no grego neotestamentário, temos que manter a pergunta: Por que razão a TNM mantém o artigo indefinido na tradução de Jo.1.1c?


[1] ROBERTSON, A.T., A Short Grammar of the Greek New Testament. pp.68

[2] REGA, Lourenço, BERGMANN, Johannes, Noções do grego Bíblico, pp.72.

[3] ROBERTSON, A.T., A Grammar of the New Testament, pp.767.

[4] CARSON, D.A., A exegese e suas falácias. pp.80-1

[5] Observe a má tradução do particípio (presente, ativo, nominativo, masculino singular – ὁ ἀγαπῶν) e do verbo conhecer (3ª pes. Do singular, aoristo, indicativo, ativo – ἔγνω). O sentido não é alterado, mas é um claro exemplo de paráfrase.

[6] Observe que a sentença “ὁ δὲ θερισμὸς συντέλεια τοῦ αἰῶνός ἐστιν” foi traduzida como “A colheita é a terminação dum sistema de coisas”. A idéia de terminação não é distante do campo semântico de συντέλεια. Entretanto, “sistema de coisas” não é uma tradução aceitável para αἰων, que normalmente está relacionada a conceitos temporais. A ênfase no texto é claramente escatológica, mas teve de ser mascarada pela teologia malfadada dos russelitas (TJs).

About these ads