A Rejeição da Oferta de Caim


O texto de Gênesis parece não ser tão claro no que se refere a razão da rejeição da oferta de Caim. Normalmente se entende que a razão da rejeição é que tal oferta não teria sido uma oferta com sacrifício e por isso sua oferta não foi aceita, ao passo que a de Abel teria sido aceita em pelo mesmo motivo. John Walvoord defende essa opinião: “Embora a Bíblia não apresente a razão dessa rejeição, enfatiza que é necessário um sacrifício com derramamento de sangue, para o perdão dos pecados (Hb.9.22)[1]”.

Considerando as escrituras como um todo, é fato que “sem derramamento de sangue não há redenção dos pecados”. Por outro lado, que evidências temos de que Caim saberia disso? Para respondermos a essa pergunta, vamos realizar algumas considerações.

  1. Condenação Universal do Pecado: Gênesis 3 nos ensina com clareza que a sentença universal sobre o pecado já havia sido estabelecida. As atitudes do casal no jardim demonstram que o relacionamento com Deus havia sido rompido e que o pecado já se fizera presente em sua constituição. Outro fato interessante é que Adão, criado à imagem de Deus, gera filhos e filhas à sua própria imagem, o que suporta a idéia de que os efeitos danosos do pecado se transmitiam de modo genealógico. Essa situação da humanidade era irremediável por sua própria capacidade, por outro lado, a Promessa de Deus evidenciava um descendente da mulher como Salvador do poder da Serpente sobre os seres humanos.
  2. A expectativa do Salvador: Em Gênesis 3.15 vemos a clara promessa de Deus em resgatar o ser humano por meio de um varão, descendente da mulher. Tal promessa veio antes da sentença de Adão e Eva, como demonstração da Graça Misericordiosa de Deus. Ou seja, o modo pelo qual Deus deseja salvar a humanidade está sendo anunciado, e diante do todo, esse varão precisaria morrer, derramar seu sangue para que a Redenção fosse completa.
  3. A santidade de Deus: Outra informação que merece atenção é a clara demonstração da santidade de Deus no Éden. Deus não convive com o ser humano em pecado, e não aceita a humanidade no estado em que está. A santidade de Deus não o permite aceitar o que não é santo. Por isso, é necessário um modo pelo qual o homem possa se aproximar de Deus. Esse modo normalmente parte Dele mesmo.
  4. Informações conhecidas e não reveladas: Considerando os pontos anteriores, parece óbvio que não seria qualquer atitude, atividade que poderia colocar o homem e Deus em contato. Assim, que tipo de sacrifício seria aceito por Deus? Tenho a impressão que Gn.3.21 prefigura esse tipo de sacrifício. Entretanto, não há qualquer informação explícita no texto que apresente esse fato. Aliás, é digno de nota que nenhuma referência ou inferência a esse fato jamais acontece nas escrituras para apresentar esse fato. As razões para isso podem estar relacionadas ao fato de que tal informação parecia evidente e não precisava ser clarificada. Mas, ainda assim, a conexão parece entre o conceito de sacrifício em Gn.4 exige que alguma informação tenha sido oferecida por Deus a Caim e a Abel que não teria sido registrada por Moisés. Tome o caso de Jó, que escreve antes mesmo de Moisés nascer. Ele já conhecia o nome de Deus (Yahweh – Jo.12.9), já esperava um Redentor Parente (Jó.19.25) que vive e por fim se levantará sobre a terra, contudo sem qualquer descrição de onde teria conseguido tal informação. Isso evidência que, ainda que Gn.3.21 não possa ser fonte suficiente (embora entenda que seja), o próprio Deus pode ter dado a conhecer que tipo de sacrifício Ele esperava. Doutra sorte, de onde Abel tirara tal informação? Seria apenas o caso de sorte? Entendo que não. Acredito que tal informação era clara para ambos os irmãos, e que Caim resolveu ignorar tal recomendação. Isso explica o modo como Deus fala sobre sua atitude após a rejeição de sua oferta. Essa é a opinião de Matthew Finlay, observe: “Ambos acreditavam em Deus. Ambos desejavam para adorá-Lo. Caim trouxe uma oferta para Deus, mas não foi um sacrifício de sangue, e Deus o rejeitou. Abel trouxe um cordeiro como sacrifício, e Deus o aceitou. Por quê? Deus foi injusto? Não! Deus tinha revelado que somente através de um sacrifício de sangue poderia pecadores abordagem de um Deus santo, e Caim se recusou a fazer isso[2]”.

Sobre o assunto, Walvoord acrescenta:

“A Caim é dito claramente que o caminho do perdão é através da oferta de um sacrifício de sangue. A oferta de Abel dos primogênitos do seu rebanho e da gordura deste (Gn 4:4) foi aceito. Sem dúvida, a oferta refletiu a condição espiritual do proponente, mas o ponto é que os recursos de iluminação de Deus a Caim, com base em revelação dada anteriormente. Abel e Caim sabiam que tanto o sacrifício pelo pecado deveria ser um animal especial, um cordeiro, um cordeiro particular, o primogênito, e uma parte específica do cordeiro, a gordura. Esse conhecimento pode vir apenas da revelação[3]”.

É bem verdade que Walvoord acresce uma dose maior de especulação ao não oferecer qualquer evidência sobre o assunto, mas aquelas que já temos demonstrado parecem suportar tal cocnlusão. Contudo, é importante notar que o diálogo de Caim e Deus após a rejeição trata mais de sua atitude que sua oferta. Observe:

“O Senhor disse que ele não olha com favor para Caim e sua oferta. O texto não diz que Deus não olha com favor para a sua oferta; o caso era tanto com Caim como com sua oferta. Assim, podemos supor que algo estava errado com sua atitude. Este aspecto é reforçado pelo fato de que o sistema levítico (que esta passagem antecipa no Pentateuco), onde vemos uma ligação entre a atitude correta da fé do fiel, podemos assumir que é importante aqui. Resumindo eu acho que a oferta de Caim não foi oferecida em fé e melhor que ele poderia oferecer. Sua reação a Deus e seu irmão indica raiva contra Deus, provavelmente porque ele foi exposto como pecador elas ações justas do seu irmão e um questionamento sério da obediência sincera sobre este assunto[4]


[1] WALVOORD, John, F., Todas as profecias da Bíblia. Pp.20.

[2] FINLAY, Matthew, Salvation from sin. (http://bible.org/seriespage/chapter-ten-salvation-sin)

[3] WALVOORD, John F., Series in Christology—Part 4: The Preincarnate Son of God. (http://bible.org/seriespage/series-christology%E2%80%94part-4-preincarnate-son-god).

[4] http://bible.org/question/why-did-god-have-no-respect-offering-cain

About these ads