Como alcançar os que evitam a Deus e a Igreja?


Fábio Grigório

Eis aqui alguns pensamentos de alguém que evitava a Deus:

  • Alguém inteligente jamais acreditaria num Pai celestial, num Deus todo-poderoso e criador do universo.
  • Darwin explicara que a vida era meramente um acidente da evolução
  • Marx estabelecera que a religião era apenas um instrumento usado pelos poderosos para oprimir os pobres
  • Freud demonstrara de maneira clara que as crenças religiosas eram simples ilusões provenientes “dos mais antigos, forte e urgentes desejos da humanidade”, um desejo de proteção contra os perigos da vida.[1]

Quem são os que evitam a igreja.

  • O professor de ciências da escola secundária local cuja idéia é de que qualquer religião é para pessoas não-intelectuais.
  • A vizinha extrovertida que está muito feliz sem Deus.
  • O mestre de obras duma construção que somente usa o nme de jesus para praguejar.
  • A empresária, sempre tão ocupada com o sucesso dos seus negócios, que não tem tempo para assuntos espirituais.
  • O comerciante que se esquiva do cristianismo porque recia que a fé modifique sua maneira de conduzir os negócios.
  • A estudante universitária cujas amargas experiências como o seun pai envenenaram a sua idéia de um pai celestial.
  • O marido que considera a fé de sua esposa uma perda de tempo.
  • A dentista que acredita que Jesus Cristo é o Filho de Deus, mas sempre adia um relacionamento pessoal com Ele.
  • O mecânico de automóveis que vai à igreja religiosamente no Natal e Páscoa, numa atitude automática.
  • A contadora que leva seu filhos à igreja para receberem um bom treinamento moral e, embora assista aos cultos, no fundo do seu ser é descrente.
  • O advogado que passa as manhãs de domingo lendo o jornal ociosamente, ou jogando golfe no clube, e se irrita com a idéia de que deveria sentir-se culpado disso.
  • A funcionária do governo que, por alguma experiência religiosa, afastou-se de Deus, convencendo-se de que o cristianismo é, na melhor das hipóteses, enfadonho e sem valor. Ou, o que é pior, algo para enganar os ingênuos.

Há pessoas que são avessas à igreja. Este pode ser um colega de trabalho, de escola, talvez o seu vizinho ou um parente. Pode ser que este seja o seu melhor amigo ou o seu cônjuge. Pessoa que você anseia que Deus o use para falar do Seu amor a estas pessoas de forma que eles venham compreender a mensagem. Diante de tudo isso, surge também o medo de afastar estas pessoas ao invés de alcançá-las.

Parte do receio de falar de Cristo a estas pessoas advém da falta de conhecimento sobre o que os não-cristãos pensam, por isso, é preciso entender os descrentes a fim de que o esforço evangelístico torne-se eficaz.


[1] Lee Strobel. Como alcançar os que evitam a Deus e a Igreja, p. 12