Pregar o Evangelho: O Plano A de Deus


Olhar para as escrituras sempre tem sido um grande prazer para mim, mas decobrir o que Deus espera de mim é certamente tem sido muito mais prazeroso. Saber que Deus não precisa de mim (Jó.42.2) para realizar sua obra é reconfortante (Jo.15.5), mas descobrir que Ele me quer e espera de mim um engajamento com seu propósito é maravilhoso (1Co.3.9).

Isso é o que aprendemos quando lemos 1Co.1.21: “Visto como na sabedoria de Deus o mundo pela sua sabedoria não conheceu a Deus, aprouve a Deus salvar pela loucura da pregação os que crêem”. Embora o mundo não O possa conhecer por suas próprias forças, Deus resolveu usar seus filhos na proclamação do evangelho para salvar os que creêm. Esse é o plano A de Deus. Essa é nossa missão.

Em Ef.1.13 podemos perceber três princípios dessa missão que gostaria de deixar com vocês, na esperança de que esse aprendizado também possa ser significativo para você:

1. As pessoas precisam ouvir a palavra da verdade:

O texto nos diz: “tendo ouvido a palavra da verdade”. Isso é verdade em nossas vidas: Alguém anunciou a palavra da vida; alguém resolveu cooperar com Deus na proclamação do evangelho para que eu e você pudéssemos ter a possibilidade de reconciliação com Deus.

É Paulo quem nos ensina em Rm.10.14 que não é possível alguém chegar a salvação sem que ouça, por que “a fé vem pela pregação e a pregação pela palvra de Cristo” (Rm.10.17). Esse é o Plano A de Deus.

2. A mensagem deve ter um conteúdo específico:

O texto acrescenta: “o evangelho da vossa salvação”. Somente uma mensagem pode levar pessoas à salvação: O evangelho que é o poder de Deus para salvar todo o que crê (Rm.1.16). Somente através de Cristo pessoas podem se achegar a Deus (Jo.14.6) e somente através da pregação do evangelho é que elas podem conhecer a Cristo verdadeiramente (1Co.1.21; Rm.10.14). Esse é o Plano A de Deus.

3. É necessário uma resposta positiva para desfrutrar desse privilégio:

Em Efésios 1.13 ainda lemos: “tendo nele crido”. Nós sabemos que somente Deus pode operar sobrenaturalmente no homem para que ele chegue a salvação (At.16.14). Sabemos que isso acontece através da ação de convencimento do Espírito Santo (Jo.16.8), mas também sabemos que a salvação é por Graça POR MEIO da fé em Cristo Jesus (Ef.2.8-9).

É muito reconfortante perceber que tudo o que Deus espera de nós e um envolvimento com a proclamação do evangelho, pois a conversão e salvação daqueles que ouvem o evangelho depende exclusivamente de Deus (At.13.48; Ef.1.3-6). É isso que significa sermos “cooperadores com Deus” (1Co.3.9): Enquanto faço minha parte na proclamação do evangelho, Deus em Sua graça e misericórdia, usa seu Espírito para convencer o mundo do pecado da justiça e do juízo para que o homem possa depositar sua fé em Cristo (Ef.1.19).

Mais reconfortante ainda é descobrir que o Senhor que nos comissiona (Mt.29.19) é o mesmo que promete estar sempre conosco (Mt.29.20).

É João Calvino que nos ensina: “Todas as bênçãos de que gozamos são depósitos divinos que temos recebidos com a condição de distribuí-los aos demais” (Ef.2.7).

Proclame o Evangelho! Essa é a nossa parte. Esse é o Plano A de Deus.

:: Sola Gratia ::

7 comentários sobre “Pregar o Evangelho: O Plano A de Deus

  1. Papito

    Se eu soubesse que você iria chegar onde chegou, teria tirado do Gonçalves Dias e colocado no Colméia. Mas agora é tarde vou ter que continuar ouvindo essas coisas.
    Beijos!!
    Papito.

  2. Marcelão

    Essa semana tivemos a Primeira Conferência Missionária na história de nossa Igreja, o que ficou, foi o fato de que ao olharmos os campos brancos, não há nada mais a fazer se não se lançar à colheita.
    Concordo com você em gêneno, número e grau…

    Lembrando que a pregação do Evangelho é Kerygma (proclamação do evangelho – Palavra falada) e marthyria (testemunho – Palavra vivida).

    E a maravilha maior, é saber que: “Fiel é o que vos chama,o qual também o fará…” (1 Tessalonicenses 5.24)

    1. Creuzé,

      Valeu pelo comentário e pela notícia da Conferência Missionária. Que o ímpeto de levar o evangelho seja real atuante em nós e nossas comunidades.

      Que Deus os abençoe ricamente!
      Marcelo Berti

  3. Fala Brother!
    Grande texto… Deus nos usa por misericórdia em sua obra. Sem dúvida Ele não precisa de nós, mas nos escolheu antes da fundação do mundo para que estivéssemos inseridos no processo do ajuntamento dos seus eleitos. Nós “que não éramos Povo” (1 Pe 2.10) somos chamados para servir a Deus de forma ativa a fim de que seu Povo se encontre com Ele na parousia.
    No entanto, concordo com você no sentido de que devemos ser gratos a Deus pelo Seu próprio papel na evangelização. Pois a verdade é: Ele nos escolheu, expiou nossos pecados e nos selou com seu Santo Espírito (cf. Ef 1.3-14). Com isso, podemos ter a certeza de que estamos em um negócio garantido! Deus não tem plano B!
    Soli Deo Gloria

    1. Rangel,

      O verdadeiro conhecimento das Doutrinas da Graça nos impele a um envolvimento mais ativo com a evangelização. É como Willian Carey disse em sua confissão de fé: “Temos a certeza de que somente aqueles que foram destinados para a vida eterna irão crer, e que somente Deus pode adicionar à igreja aqueles que serão salvos. No entanto, não podemos senão observar, com admiração, que Paulo, o grande campeão das gloriosas doutrinas da graça gratuita e soberana, foi o mais notável em seu zelo pessoal pela obra de persuadir homens a se reconciliarem com Deus“.

      Sola Gratia!

  4. Tiago Abdalla

    Berti,

    excelente texto! A eleição claramente afirmada em Efésios (1.4-6) não anula nossa responsabilidade de proclamar o evangelho e fazer discípulos (Rm 10.14ss).

    É possível ter fortes convicções quanto à soberania divina e ao mesmo tempo, desenvolver uma paixão profunda pelas almas, como o missionário David Brainerd: “Ó, que seu reino venha ao mundo; que todos queiram glorificá-lo por quem Ele é em si mesmo e que o bendito Redentor possa ver [a dor de parto] de sua alma e fique satisfeito” (Sexta, 2 de Outubro de 1747).

    Como o Rangel, também, creio que não exista plano B, a igreja foi chamada para ser o instrumento divino e cooperadora de Deus nessa missão de proclamar o evangelho e espalhar a glória de Deus entre os povos.

    Ótimo post!
    Um abração!

Os comentários estão desativados.