Jesus é [um] deus?


Uma das principais alegações que os TJ em defesa de sua cristologia nada ortodoxa é que Jo.1.1c se corretamente traduzido será lido: “E o Verbo era um deus“. Para defender sua opinião, os TJ usam quatro argumentos principais: (1) A gramática grega favorece a tradução da TNM; (2) Um antigo exemplar no idioma copta traduz como a TNM; (3) Vários acadêmicos aceitam e usam a leitura da TNM; (4) O contexto sugere que Jo.1.1c deve ser traduzido indefinidamente.

Essas quatro defesas serão analisadas em seus pormenores abaixo. Sugiro que o leitor mantenha consigo uma Bíblia para poder investigar se a pesquisa do autor desse artigo é consoante o ensino das escrituras.

Bom proveito!

1. O que dizer da Gramática Grega?

No que se refere a gramática, são três as defesas adotadas pelos TJs: (1) Deus no orignal não tem artigo; (2) Deus sem artigo não se refere a Deus; (3) A ordem das palavras sugere a tradução indefinida. Será que as acusações gramaticais e teológicas feitas pelas Testemunhas de Jeová são verdadeiras? Existe fundamento gramatical para suas declarações? Que dizer do texto como um todo? Abaixo tentamos responder satisfatoriamente a essas perguntas.

a. A ausência de artigo no grego koiné

Nesse artigo vamos tratar da ausência do artigo grego no Novo Testamento. Sua compreensão é essencial para o correto entendimento da sentença grega em João 1.1: “᾿Εν ἀρχῇ ἦν ὁ Λόγος, καὶ ὁ Λόγος ἦν πρὸς τὸν Θεόν, καὶ Θεὸς ἦν ὁ Λόγος”. Se bem observado, João não usou o artigo em todas as ocasiões no verso citado, e na terceira sentença podemos perceber que o substantivo Θεὸς veio desacompanhado de artigo. Que implicações podemos retirar desse fato?

[Leia+]

b.O uso anarto de Theós no Novo Testamento

Em grego, a palavra artigo é “αρθρον” (artron). Portanto, “anartro” é a designição para uma palavra desacompanhada de artigo. Nesse artigo iremos observar os usos anartros de θεος no Novo Testamento. A intenção é notar os modos como esse substantivo é usado sem artigo para verificar se a acusação dos Testemunhas de Jeová sobre o uso anartro em Jo1.1c é verdadeira.

[Leia +]

c. O que é um predicado nominativo pré-verbal?

Nesse artigo pretendo investigar outro argumento em favor da tradução indefinida de Jo.1.1c oferecida por TJs em defesa da leitura da TNM. O texto que temos analisado tem diversas características importantes para a gramática grega, e sua tradução depende da correta compreensão desses elementos.

[Leia +]

Aos que gostariam de um resumo das informações acima, ver artigo: O que dizer de Jo.1.1?

1. O que dizer da versão copta saídica?

O argumento das Testemunhas de Jeová é que a versão copta saídica, que foi produzida por volta do terceiro século, representa o modo correto de como  o texto grego de Jo.1.1c deve ser traduzido, pois a lingua copta saídica foi o primeiro idioma para o qual o NT foi traduzido que trazia a o artigo indefinido em sua gramática. Mas, será que essa afirmação está correta? Existem outras evidêncas que poderiam ser consideradas nessa questão? Os tratados teológicos dos primeiros cristãos poderiam ser considerados nesse levantamento de evidências? (caso queira esses artigos em PDF, ver seção de Downloads).

a. O que dizer da versão copta saídica?

O que se pode dizer com certeza é que a versão copta saídica tem grande valor para a crítica textual e deve ser considerada com critério. Por isso, vamos observar com cautela as evidências que dispomos sobre essa tradução.

[Leia +]

b. O que dizer do idioma copta?

O idioma copta é normalmente reconhecido por quarto dialetos: Boárico, Fauímico, Saídico e Ajmínico. É bem verdade que essa definição é bem genérica, e alguns especialistas consideram cerca de meia dúzia de dialetos, acresecendo à essa lista os dialetos Menfítico, Subajmínico.

[Leia +]

c. O que dizer das versões antigas do Novo Testamento?

Toda evidência textual histórica encontrada é analisada e classificada em antiguidade, qualidade e tipo-texto. A antiguidade de um documento é analisada por diferentes métodos de datação associados ao estudo paleográfico do documento. A qualidade é avaliada por vários quesitos, incluindo o tamanho do documento encontrado, a quantidade de fragmentação, sua relação com os textos-família de outras regiões.

[Leia +]

d. Como os Pais da Igreja de tradição latina citaram e interpretaram Jo.1.1?

Muitos são os Pais da Igreja de grafia latina que citam Jo.1.1, mas em nosso estudo vamos considerar apenas alguns dos que citam o texto até o quarto século, em função de comparação com o exemplar copta em questão.

[Leia +]

e. Como os Pais da Igreja de tradição síria citaram e interpretaram Jo.1.1?

Pouca notícia se tem de Teólogos de fala síria na história da Igreja, mas o que temos em mãos pode ser elucidativo.

[Leia +]

f. Como os Pais da Igreja de tradição grega citaram e interpretaram Jo.1.1?

Antes de iniciarmos propriamente nossa análise dos Pais da Igreja do quarto século e anteriores a ele, é importante demonstrar um pouco da tradição textual grega do Novo Testamento, até por que, todas as versões foram produzidas a partir de cópias gregas dos autógrafos.

[Leia +]

g. O que dizer da tradução da versão copta saídica?

O que demonstramos até agora é que o idioma copta saídico tem a peculiaridade de ter tanto o artigo defino quanto o indefinido, como o Português. Além disso, sabemos que foi provavelmente o primeiro idioma a traduzir o grego koinê a ter essa peculiaridade. Também sabemos que o texto de Jo.1.1 traz tanto o artigo definido como o indefinido em referência a Deus. Mas, o que isso significa?

[Leia +]

3. O que dizer dos acadêmicos e versões bíblicas que concordam com a TNM?

Um argumento não incomum para defender a leitura indefinida de Jo.1.1 usado pelos TJs é que diversos acadêmicos adotam a leitura da TNM e várias versões bíblicas também adotam. Em alguns casos, a leitura dessas versões e acadêmicos não é igual a TNM, mas os TJs supõe que por serem diferentes suportam sua versão. Mas, será isso verdadeiro? Nossa lista base provém de um blog de defesa da TNM (transcrita por Rubens Dantas).

[Leia +]

EM CONSTRUÇÃO.

2 comentários sobre “Jesus é [um] deus?

  1. Pingback: Jesus é Deus de acordo com as Escrituras « Teologando

  2. Marcelo Lemos

    Xará, muito bom seu artigo, estarei indicando-o no nosso servidor do “Olhar Reformado”. Nosso blog agora está de casa nova, e novo endereço, caso queira conhecer, é http://www.olharreformado.com. Muito obrigado por sua visita ao nosso antigo servidor (wordpress), mas a quase um mês, as novas atualizações estão hospedadas neste novo endereço.

    Paz e bem!

Os comentários estão desativados.