Sobre a Conversão e a Rejeição


Esses dois termos são muitas vezes mal compreendidos e por isso observá-los nos fará bem.

A.    Sobre a Conversão:

Quando se fala em evangelizar, algumas pessoas já associam esse conceito com o “converter” pessoas. Entretanto, essa não é nossa missão: Nossa missão é levar o evangelho. Converter alguém é obra do Senhor.

a.    A conversão é obra exclusiva do Espírito Santo: Nós não somos chamados para sermos conversores de pessoas, mas de testemunhas (At.1.8), pregadores do evangelho (Mc.16.15), fazedores de discípulos (Mt.28.19). Somente o Espírito Santo de Deus que pode realizar o trabalho de convencer o homem do pecado da justiça e do juízo (Jo.16.8-11). Temos que entender nosso limite, pois não são nossas fichas de acompanhamento, planilhas de controle que determinam a salvação. Somente a graça de Deus é que pode alcançar o pecador e resgatá-lo de sua situação de miséria (Ef.2.8). Nem o pecador nem o cristão tem poder para definir a salvação, somente Deus (Mt.19.26).

b.    Por isso devemos evangelizar na Sua dependência: Assim, nós realizamos nosso trabalho na dependência de Jesus Cristo, pois sem ele não podemos fazer nada (Jo.15.5). Essa realidade da salvação nos coloca em um lugar seguro: Somos propagadores, mas a garantia de eficácia permanece nas mãos de Deus e somente Ele pode assegurar e garantir verdadeira conversão.

B.    Sobre a Rejeição:

Todo ser humano, em alguma esfera, tem medo de ser rejeitado. Esse medo normalmente aprisiona cristãos em sua tarefa de levar o evangelho. Entretanto, tal medo e receio é uma clara falta de amor para com as pessoas. Em outras palavras, estamos dizendo que aquele que se opõe de levar o evangelho por medo da rejeição, importa-se mais consigo mesmo e seus sentimentos do que com o destino eterno das pessoas a quem gostaria de levar o evangelho.

a.    Do homem caído a rejeição é a resposta mais natural: As escrituras nos ensinam que o homem sem Cristo está morto em seus delitos e pecados (Ef.2.1-3) e por isso não poderia atender a mensagem do evangelho senão por um milagre operado por Deus. Alguém morto espiritualmente não pode por suas próprias condições responder a um convite. Rejeitar é o normal.

b.    Do homem cego pelo engano do pecado a rejeição deve ser esperada: As escrituras descrevem aqueles que ainda não foram salvos como pessoas obscurecidas de entendimento (Ef.4.18) e cegadas pelo inimigo para que não vejam a luz do evangelho da Glória de Cristo (2Co.4.4). Desses a rejeição é esperada.

c.    Do homem sábio segundo este mundo o evangelho é insano: As escrituras demonstram que pela própria sabedoria humana os homens não puderam conhecer a Deus (1Co.1.21). Para pessoas nessa situação o evangelho é loucura e escândalo (1Co.1.23). A rejeição é natural.

d.    A salvação é um milagre: Devemos manter esse conceito em nossas mentes quando levamos o evangelho, pois transformar uma visão sobre quem é Deus, Cristo, e o homem depende da atuação Soberana da Graça de Deus  por meio da Ação do Espírito Santo.

Um comentário sobre “Sobre a Conversão e a Rejeição

  1. Pingback: Melhore sua Evangelização « Scripturae Lectionarium

Os comentários estão desativados.