Sugestões Práticas Sobre o Evangelista


Para ser um proclamador do evangelho há algum pré-requisito? Certamente. Em primeiro lugar o evangelista deve ser um cristão resgatado pela graça monérgica de Deus. Não há ministério se não há ministro. Em segundo lugar, devemos dizer que todas as recomendações morais das escrituras são mandatórias para o evangelista. É por isso que Paulo diz: “esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado” (1Co.9.27).

A.    Deve ser um seguidor de Cristo:

Somente um seguidor de Cristo pode conduzir pessoas a se achegarem a Ele (Lc.14.33; Mt.4.19). Os que se aventuram nesse ministério e não são reconhecidos pelo Senhor serão rejeitados por Ele durante sua vida (1Jo.2.19) ou no Dia do Senhor (Mt7.21-23).

B.    Deve buscar uma vida de santidade:

O cristão sempre deve buscar conformar suas atitudes com o caráter de Cristo, o que inclui seu modo de pensar (Fl.4.8), falar (Ef.4.29) e agir (Rm.6.11-13). Ele deve lutar para ser irrepreensível (1Pe.2.12) e santo (1Pe.114-16).

C.    Deve buscar uma vida de Intimidade com Deus:

Precisamos nos lembrar que a nossa intimidade com Deus é mais importante do que a nossa atividade para Ele. Para se obter intimidade é necessário gastar tempo, e o cristão deve investir seu tempo na busca de uma vida íntima com Deus.

D.    Deve buscar levar uma vida de oração:

Charles Haddon Spurgeon dizia aos seus colegas pregadores: “Devemos ter por norma jamais ver a face dos homens antes de vermos a face de Deus…Quem sai correndo da cama para as ocupações sem primeiro passar tempo com Deus, é tão insensato quanto o soldado que se lança na batalha sem armas nem armadura”. É por isso que Jesus nos ensina a orar sem nunca parar (Lc.18.1) e Paulo nos instrui a orar sem cessar (1Ts.5.17).

E.    Deve buscar uma vida de estudo das escrituras:

Precisamos estudar a Palavra de Deus a fim de que conheçamos mais sobre o nosso Deus, e aprendamos como Ele quer que vivamos. Estudando a Palavra, estaremos também  nos preparando para responder perguntas que poderão ser feitas.

F.    Deve buscar ser amigo de pecadores:

Nos evangelhos fica bem claro que Jesus gostava mais de estar com o povo do que com os líderes religiosos. Ele freqüentava as festas dos pagãos e era chamado de “amigo dos pecadores” (Lc 7.34). Andou entre o povo, falou sua língua, observou seus costumes, participou de suas festas e usou seus eventos (Lc 13.1-5) para chamar atenção para o que ele ensinava. Porém fez tudo isto sem comprometer sua missão.

G.    Deve saber expor a mensagem:

Uma das instruções das escrituras sobre os cristãos é que eles devem estar preparados para responder àqueles que pedem a razão da esperança que temos (1Pe.3.15). Não podemos ser levianos com esse preparo: É parte do desenvolvimento espiritual do cristão o crescer em conhecimento e prática do evangelho.

H.    Deve ter bom testemunho:

O cristão também deve ser alguém de comportamento exemplar, mas essa postura é exigida de modo especial quando se está entre aqueles que não conhecem a Deus (1Pe.2.15).

I.    Deve criar vínculos pessoais:

Anunciar o evangelho exige um vínculo pessoal, muito embora a profundidade deste não seja necessariamente  grande. O que se quer dizer com isso, é que o cristão deve estar pronto para interagir verdadeiramente com as pessoas a quem deseja levar o evangelho, mesmo que seja por um breve momento em uma conversa na rua. Considere o caso de Felipe e o Eunuco, que em pouco tempo teve condições de apresentar o evangelho a uma pessoa com quem se encontrou na estrada (At.8).

Um comentário sobre “Sugestões Práticas Sobre o Evangelista

  1. Pingback: Melhore sua Evangelização « Scripturae Lectionarium

Os comentários estão desativados.