Jesus: Deus-Homem


Os que são leitores a mais tempo do Teologando sabem que o autor deste blog tem dedicado tempo e recursos para estudar a Pessoa de Cristo, seja em questões léxicas, de crítica textual ou interpretação. Os que chegam a esse post e gostariam de mais informações sobre o assunto, recomendo buscar na Barra Lateral os artigos sobre Cristologia.

Em um dos últimos post que escrevi sobre o assunto (Jesus é Deus de acordo com as Escrituras) tentei demonstrar que diferente do que pensam os TJs, as escrituras defendem que Jesus Cristo é Deus. No artigo de hoje, vou proceder do mesmo modo que no post citado, buscando demonstrar que diante do todo das escrituras, Jesus é claramente Homem e claramente Deus. Nesse post, à semelhança do já citado artigo, não farei muitas declarações, apenas deixarei que as escrituras fale. Todas as citações provêm da ARA (Almeida Revista e Atualizada).

1. Humanidade de Cristo

Que as escrituras apresentam a humanidade de Cristo quase não se tem dúvidas. Vamos observar alguns textos que definem isso:

A. No Antigo Testamento:

  • Gn.3.15: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar – Jesus Cristo é prometido como Descendente da Mulher.
  • Gn.49.10: O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de entre seus pés, até que venha Siló; e a ele obedecerão os povos – Jesus Cristo é Prometido como Rei.
  • Dt.18.15: O SENHOR, teu Deus, te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás – Jesus Cristo é prometido como Profeta.
  • Sl.2.2: Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu UngidoJesus é Prometido como o Ungido do Senhor.
  • Sl.45.2: Tu és o mais formoso dos filhos dos homens; nos teus lábios se extravasou a graça; por isso, Deus te abençoou para sempre – Jesus Cristo é Prometido como Filho do Homem, humano.
  • Sl.132.11: O SENHOR jurou a Davi com firme juramento e dele não se apartará: Um rebento da tua carne farei subir para o teu tronoJesus Cristo é prometido como descendente de Davi e Rei.
  • Is.11.10: Naquele dia, recorrerão as nações à raiz de Jessé que está posta por estandarte dos povos; a glória lhe será a morada – Jesus é prometido como Descendente de Jessé.
  • Is.42.1: Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios – Jesus é prometido como Servo, Escolhido, sobre quem estaria o Espírito de Deus, exercendo funções reais.
  • Is.49.6: Pouco é o seres meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os remanescentes de Israel; também te dei como luz para os gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra – Jesus é prometido como servo que resgataria a tribo de Jacó e seria a Salvação Proposta por Deus.
  • Is.52.14: Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens) – Jesus Cristo é prometido como ser humano: Servo Sofredor.
  • Is.53.2-4: Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido  – Jesus Cristo é prometido como um homem que viria para morrer no lugar do pecado.
  • Is.55.4: Eis que eu o dei por testemunho aos povos, como príncipe e governador dos povosJesus é prometido como governador.
  • Jr.23.5: Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra – Jesus prometido como Rei Sábio e Justo, reinando na terra.


B. No Novo Testamento:

  • Lc.2.7: e ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria – Sua humanidade é atestada por seu nascimento.
  • Jo.1.14: E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai – Sua humanidade é atestada por sua encarnação.
  • Lc.2.40: Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele – Sua humanidade é atestada por seu desenvolvimento natural.
  • Hb.5.8: embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu – Sua humanidade é atestada por seu aprendizado.
  • Mt.26.26: E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo – Sua humanidade é comprovada por sua fome e alimentação.
  • Mt.4.2: E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fomeSua humanidade é atestada por sua fome.
  • Mt.8.24: E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormiaSua humanidade é atestada por sua participação em atividades simples pertinentes a humanidade, como dormir.
  • Mt.26.38: Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo – Sua humanidade é atestada por seus sentimentos humanos.
  • Mt.9.36: Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor – Sua humanidade é atestada por seus sentimentos humanos
  • Jo.11.33: Jesus, vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se – A humanidade de Cristo é atestada pelo seu choro.
  • Jo.4.6: Estava ali a fonte de Jacó. Cansado da viagem, assentara-se Jesus junto à fonte, por volta da hora sexta – Sua humanidade é atestada por seu desgaste físico.
  • Hb.2.14: Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo – Sua humanidade é atestada por sua condição.
  • Hb.5.7: Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade – Sua humanidade é atestada por sua condição.
  • Lc.22.44: E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra – Sua humanidade é atestada por sua sujeição a Deus, e oração.
  • Jo.8.40: Mas agora procurais matar-me, a mim que vos tenho falado a verdade que ouvi de Deus; assim não procedeu Abraão – Sua completa humanidade é atestada por sua possibilidade de morrer enquanto encarnado.
  • Lc.23.46: Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirouSua humanidade é atestada por sua morte.
  • Lc.24.38: Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenhoSua humanidade é claramente demonstrada por sua ressurreição física.
  • At.2.2: Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis – Sua humanidade foi atestada por muitas pessoas.
  • Rm.5.15: Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos – Sua humanidade é atestada por sua comparação com Adão.
  • 1Co.15.21: Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos – A humanidade de Cristo é observada por sua comparação com Adão e sua Ressurreição Física.
  • 1Tm.3.16: Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória – Sua humanidade é atestada por sua condição.
  • 1Jo.1.1: O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida – Sua humanidade é verificada por testemunhas oculares.
  • 1Jo.4.2: Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus – Sua humanidade é confirmada por testemunhas oculares.


2. Divindade de Cristo

Algumas seitas heréticas defendem que Jesus Cristo não é apresentado como Deus pelas escrituras, entretanto, quando afirmam isso entram em plena contradição com as escrituras. A divindade de Cristo é claramente atestada pelas escrituras e somente a perversão de algumas seitas é que poderia fazer as escrituras silenciarem nesse  ponto.

Observe como as escrituras como um todo atestam a divindade de Cristo, desde o Antigo Testamento:

A. No Antigo Testamento:

  • Gn.17.1: Quando atingiu Abrão a idade de noventa e nove anos, apareceu-lhe o SENHOR e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito – Esse texto demonstra que Yahweh apareceu diante de Abrão e se apresentou como Deus Todo Poderoso. Jesus também disse ter estado com Abraão (Jo.8.56), embora lhe fosse anterior (Jo.8.58) afirmando sua Eternidade e Divindade, pois usa o nome de Deus para se descrever.
  • Dt.10.17: Pois o SENHOR, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e temível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita suborno – Yahweh é o Senhor acima dos Senhores, do mesmo modo que Jesus Cristo (Ap.17.14). É interessante que Cristo é chamado de Senhor que não faz acepção de pessoas (Ef.6.9). Ou seja, na mentalidade dos autores neotestamentários, Jesus é equiparado a Deus, tem características divinas e portanto, é Deus.
  • 1Sm.2.2: Não há santo como o SENHOR; porque não há outro além de ti; e Rocha não há, nenhuma, como o nosso Deus – Yahweh é Santo como ninguém pode ser. Ele é o único Santo, pois não existe ninguém além Dele mesmo. Mas, Pedro diz que Jesus é O Santo (At.3.14). Ou seja, Yahweh e Yeshua são um.
  • Ne.9.6: Só tu és SENHOR, tu fizeste o céu, o céu dos céus e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto há neles; e tu os preservas a todos com vida, e o exército dos céus te adora – Yahweh é o Criador de todas as coisas e preservador de todas elas, do mesmo modo que Cristo (Cl.1.17; Hb.1.3). Ou seja, Yahweh e Jesus são essencialmente um.
  • Sl.2.7: Proclamarei o decreto do SENHOR: Ele me disse: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei.Jesus é chamado de Filho Gerado de Deus. Esse descreve a cerimônia de coroação de um Rei, e ser gerado não significa ter sido produzido ou criado, mas estabelecido. O NT usa esse texto 3x: (1) Em referência a ressurreição (At.13.33); (2) Em demonstração da superioridade dos anjos (Hb.1.5-6); (3) Em demonstração da glorificação de Cristo e sua eternidade (Hb.5.5-6). Os autores do NT entenderam essa declaração como evidência da sua divindade.
  • Sl.24.7, 10: Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória (…) Quem é esse Rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos, ele é o Rei da GlóriaO Rei da Glória é Yahweh. Entretanto, Paulo chama a Jesus o Senhor da Glória (1Co.2.3), do mesmo modo que Tiago (Tg.2.1). Ou seja, Jesus Cristo é chamado de Yahweh.
  • Sl.45.72: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu reino. Amas a justiça e odeias a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros. – Jesus Cristo prometido como Deus e Rei Eterno ungido por Deus.
  • Sl.97.9: Pois tu, SENHOR, és o Altíssimo sobre toda a terra; tu és sobremodo elevado acima de todos os deuses – Nesse verso Yahweh é denominado como Aquele que está acima de tudo e todos. Em Jo.3.31 Jesus é denominado do mesmo modo.
  • Sl.102.24-27: Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos. 26 Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados. 27 Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim – Yahweh, o Deus do salmista é o criador, mas o autor de Hebreus entende que esse texto fala do Filho de Deus (Hb.1.10-12). Portanto, é seguro afirmar que para o autor de Hebreus, Jesus é Yahweh.
  • Sl.110.1: Disse o SENHOR ao meu senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés – Jesus é apresentado por Yahweh como Senhor de Davi. Jesus usa esse texto para -demonstrar sua divindade em Mt.22.44; Mc.12.36; Lc.20.42. Pedro faz o mesmo em At.2.34-36.
  • Sl.110.4: O SENHOR jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. – Jesus é apresentado como sacerdote Eterno.
  • Pv.16.4: O SENHOR fez todas as coisas para determinados fins e até o perverso, para o dia da calamidade. – Yahweh é chamado de Criador de todas as coisas, como Cristo (Jo.1.3; Cl.1.16).
  • Ec.12.14: Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más – O Deus de Salomão, Yahweh, é quem trará a juízo todas as obras, mesmo as escondidas, boas ou más. Paulo aplica essas ações a Jesus Cristo (1Co.4.5; 2Co.5.10; 2Tm.4.1).
  • Is.8.13-14: Ao SENHOR dos Exércitos, a ele santificai; seja ele o vosso temor, seja ele o vosso espanto. Ele vos será santuário; mas será pedra de tropeço e rocha de ofensa às duas casas de Israel, laço e armadilha aos moradores de Jerusalém – Yahweh é chamado pedra de tropeço por Isaías, do mesmo modo que Jesus é assim chamado por Pedro (1Pe.2.8).
  • Is.40.3: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus – Aqui vemos a famosa frase de João Batista em relação a Cristo em Mt.3.3. Ou seja, João Batista o chama Yahweh.
  • Is.44.6: Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há DeusYahweh é chamado de primeiro e último, do mesmo modo que Jesus é assim chamado em Ap.1.17.
  • Is.48.12: Dá-me ouvidos, ó Jacó, e tu, ó Israel, a quem chamei; eu sou o mesmo, sou o primeiro e também o ultimoNovamente Yahweh é chamado de primeiro e o último, do mesmo modo que em Ap.22.13. Se primeiro significa sem início, e ultimo sem fim, Jesus é eterno com Yahweh, como Jo.1.1 nos ensina.
  • Jr.10.10: Mas o SENHOR é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação –  Yahweh é o Deus verdadeiro, como Jesus afirmou em Jo.17.3. Mas, João também chama Jesus de Deus Verdadeiro (1Jo.5.20). Segue-se que Yahweh e Jesus são um.
  • Jr.23.5-6: Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: SENHOR, Justiça Nossa. – Nesse texto o Messias, o descendente de Davi, o Rebento Justo, é chamado de Rei Sábio e Yahweh, nossa justiça. Para aqueles que acreditam que Cristo nunca é chamado de Yahweh esse verso demonstra sua incoerência.
  • Jl.2.32: E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvoAqueles que invocarem o nome de Yahweh serão salvos. Pedro usa esse texto em referência a Jesus (At.2.21) e Paulo aplica essa verdade a Jesus Cristo (1Co.1.2), chamando a Jesus de Yahweh. Ele faz o mesmo quando apresenta o modo da salvação em Rm.10.9 e cita Jl.2.32 como demonstração de cumprimento profético em Rm.10.13. Na mente de Paulo Jesus e Yahweh são um, como Jesus já tinha ensinado (Jo.10.31).
  • Mq.5.2: E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas obras são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade Jesus é chamado de Eterno. Alguém que tem sua origem desde os tempos antigos e os seus dias desde a eternidade, é eterno e não criado.
  • Ml.3.1: Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o SENHOR dos Exércitos – Esse mensageiro iria preparar o caminho para Yahweh (cf. 2.17), mas esse texto é usado em relação a João Batista, como mensageiro que prepara o caminho para Cristo (Mc.1.2; Lc.2.27). Claramente se atribui divindade a Cristo no uso desse texto no NT, como em outros casos vistos acima.

B. No Novo Testamento:

Como já vimos, muitas das referências sobre a divindade de Cristo no Antigo Testamento são tomadas por sua relação com o Novo. Isso acontece por que os autores neotestamentários encontraram nesses versos alusões à divindade do Messias e sob inspiração do Espírito Santo instruíram os cristãos de todas as épocas. Entretanto, temos que admitir que eles levaram tal conceito à frente e à clareza, como vamos observar abaixo:

  • Mt.1.23: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)Jesus é claramente chamado de Deus, desde o Seu nascimento.
  • Mt.5.17: Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprirNenhum homem jamais cumpriu todas as exigências da Lei, mas Jesus cumpriu completamente em sua vida além de ser o cumprimento das Profecias Messiânicas, que incluía sua Divindade.
  • Mt.9.6: Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa – Nesse texto encontramos Jesus exercendo uma ação exclusivamente divina: Somente Deus pode perdoar pecados, pois eles são essencialmente um mal orientado contra Deus. Por essa razão, somente Deus perdoa pecados. Se Cristo tem autoridade (não permissão) para perdoar pecados, segue-se que Ele é Deus.
  • Mt.11.1-6: Ora, tendo acabado Jesus de dar estas instruções a seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles. 2 Quando João ouviu, no cárcere, falar das obras de Cristo, mandou por seus discípulos perguntar-lhe: 3 És tu aquele que estava para vir ou havemos de esperar outro? 4 E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide e anunciai a João o que estais ouvindo e vendo: 5 os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres está sendo pregado o evangelho. 6 E bem-aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeçoNesse texto vemos Jesus Cristo se afirmando o Messias Prometido (Is.35.5-6; 61.1-2) além de se comparar com a pedra de tropeço, que nos profetas era o próprio Yahweh (Is.8.13-14; cf. 1Pe.2.8).
  • Mt.11.27: Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar (cf. Lc.10.22)– Nesse verso Jesus se coloca em igualdade com o Pai: Do mesmo modo que em sua natureza e essência Deus não é completamente conhecido, Cristo também o é. Se Cristo fosse um mero homem, tal afirmação não faria o menor sentido. Nesse verso também vemos a sujeição de Cristo ao Pai, com quem desenvolve um relacionamento familiar (Pai – Filho).
  • Mt.14.33: E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus! – Algumas versões corrompidas traduzem esse texto como se os discípulos estivessem prestando uma homenagem a Jesus. Nada mais fora da realidade por ser dito do que isso. Segundo eles, esse ato era uma forma de se prostrar reverentemente diante de alguém que merece respeito.
    • Mas, o que dizer de textos como Mt.2.11 (cf. Mt.4.9; At.10.25; Ap.4.10; 5.14; 7.11; 11.16; 19.4) que o verbo “prostrar” é usado antes do verbo “adorar”?
    • Os que pensam assim esquecem que o sentido do termo é primariamente adorar (Jo.4.20-24; 12.20; At.8.27; 24.11; 1Co.14.25; Ap.3.9) e não prostrar-se.
    • Observe a situação quando Satanás usa esse termo para tentar a Jesus (Mt.4.9; cf. Lc.4.7)? Será que Satanás estava propondo uma homenagem? Nada mais ridículo poderia ser dito, até por que Jesus não entendeu assim. Note que Ele responde que devemos adorar somente a Deus (Mt.4.10; cf. Lc.4.8) usando o mesmo verbo.
    • Portanto, se apenas Deus é digno de ser adorado, e Jesus aceitou adoração, Ele é Deus.
  • Mt.16.16-17: Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. 17 Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. – Já vimos que só podem conhecer a Jesus Cristo se o Pai lhe conceder o privilégio. Jesus confirma esse fato ao dizer que a definição de Pedro foi dada por Deus. Pedro reconheceu que Jesus é Cristo (humano) Filho de Deus (Divino). Somente o Pai pode conduzir pessoas a essa conclusão (11.27).
  • Mt.28.18: Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terraJesus tem toda a autoridade no céu, a esfera mais nobre da manifestação de Deus. Ora, se Cristo tem toda a autoridade nesse ambiente, é certo que Ele é Deus.
  • Mc.8.38: Porque qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjosO texto demonstra claramente que em sua segunda vinda Jesus virá com a Glória do Pai e com os Santos anjos que possui. Ou seja, Jesus certamente não faz parte dos seres angelicais e tem a mesma Glória que Deus tem. Portanto, Jesus deve ser Deus.
  • Lc.5.22: Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Que arrazoais em vosso coração? – Conhecer o coração do homem é uma atividade que somente Yahweh pode realizar (1Re.8.39; Ez.11.5; cf. Ap.2.23).
  • Jo.1.1-3: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez Esse texto atesta a Eternidade do Verbo, a co-existência com Deus, ou seja, o Pai não é o Filho, nem o Filho o Pai, mas o Filho é Deus, como o Pai. É por isso que Ele é o Criador de todas as coisas. Se é criador de todas as coisas não é criado. Se é eterno não é temporal. Se é Deus não é nem anjo, nem uma espécie de ser angelical ou sub-divino (um deus a parte do Pai).
  • Jo.1.18: Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou – O mesmo conceito sobre Deus é visto em Mt.11.27 (cf. Lc.10.22), mas diferente dos anteriores que apresentam a relação entre Pai e Filho, esse demonstra a igualdade essencial entre o Pai e o Filho, que é chamado de único Deus nesse verso.
  • Jo.2.19-21: Jesus lhes respondeu: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei. Replicaram os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este santuário, e tu, em três dias, o levantarás? Ele, porém, se referia ao santuário do seu corpo.  – As escrituras dizem repetidamente que Deus é quem ressuscitou a Cristo dentre os mortos (At.2.24, 32; 3.15; 3.26; 10.40; 13.30; 17.31; Rm.4.24; 1Co.6.14; 2Co.2.14; Gl.1.1; Ef.1.20; 1Ts.1.10; Hb.13.20; 1Pe.1.21), entretanto aqui Jesus garante que Ele mesmo ressuscitará a si mesmo. Em Jo.10.18 Jesus reafirma sua autoridade. Ora, se as escrituras dizem que Deus ressuscitou a Cristo dentre os mortos, e Cristo diz que ele tem poder/autoridade para fazê-lo, segue-se que Ele é Deus.
  • Jo.5.18: Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. – Jesus propositadamente fazia-se igual a Deus e os judeus o entendiam assim. Se Jesus estivesse se fazendo igual a Deus e não o fosse, Ele seria um mentiroso. Como nenhum dolo se encontrou em sua boca (Is.53.9; 1Pe2.29) e quem não erra no falar é um homem perfeito (Tg.3.2), segue-se que Ele não estava mentindo sobre sua igualdade com Deus. Portanto, Jesus é Deus.
  • Jo.8.58: Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOUNessa expressão Jesus se identifica claramente com Yahweh. Jesus usa essa expressão em Jo.8.28 e 13.9.
  • Jo.10.30: Eu e o Pai somos um – Essa declaração de unidade é fundamental para se compreender a pessoa de Cristo. Diversas citação do AT dependem dessa verdade para serem apresentadas. O que é fato é que os ouvintes de Cristo entenderam essa expressão como uma declaração da divindade de Cristo.
  • Jo.12.45: E quem me vê a mim vê aquele que me enviouJesus Cristo é apresentado à semelhança de Cl.2.9 e Hb.1.3: É tão completo na presença da divindade em seu corpo, é tão exata a representação do Ser de Deus em sua vida, que quem o vê, vê a Yahweh.
  • Jo.14.8-10: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. 9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10 Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras – Do mesmo modo que em Jo.12.45, Jesus demonstra Sua unidade com o Pai de tal modo que quem O vê, vê o Pai. Essa unidade essencial já havia sido demonstrada em Jo.10.30.
  • Jo.20.28: Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Texto bem claro: Jesus como O Senhor e como O Deus. O uso dos artigos aqui sugere a intensidade do reconhecimento.
  • At.20.28: Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangueCertamente Deus não tem sangue, portanto, o texto fala de Jesus. Entretanto, o autor quis demonstrar a dupla natureza de Cristo: Deus e Homem, pois enquanto homem derrama sangue, e enquanto Deus compra sua Igreja. Esse é Jesus Cristo: Homem Deus.
  • Rm.1.7: A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. – Jesus Cristo é Senhor, e na mentalidade de Paulo chamar Jesus de Senhor é reconhecer sua Divindade (cf. 10.9, 13).
  • Rm.10.9, 13: Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo (…) Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo – Paulo nesse texto demonstra sua compreensão da verdade que salva: Aquele que confessa que Jesus é Senhor, entretanto, o faz pensando em Jl.2.32, que fala que quem invocar a Yahweh é que será salvo. Portanto, Paulo entendia que aqueles que confessam a divindade de Jesus, como Yahweh, serão salvos.
  • 1Co.1.1-3: à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso. Graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo – Jesus é chamado de Yahweh (Jl.2.32; cf. Rm.10.9, 13).
  • 1Co.2.8: sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glóriaSomente Deus tem Glória como Ele tem`(Ex.24.16; 24.17; 40.34; Lv.9.23), e chamar a Jesus de Senhor da Glória é reconhecer sua Divindade. Sem contar que esse termo é uma alusão ao título encontrado em Sl.24.7, 10 em referência a Yahweh: Rei da Glória.
  • 1Co.8.6: todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por eleAlém de ser único Senhor, posição exclusiva de Yahweh (Dt.6.4), Jesus é atestado como criador.
  • 2Co.5.10: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo – A atividade julgadora é atribuída frequentemente no AT a Yahweh (cf. Ez.18.30; Ec.3.7; 12.14), entretanto Paulo entende se tratar de uma atividade regulada por Cristo. Segue-se que é claro que na mente de Paulo, Jesus é Yahweh.
  • Ef.3.9: E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus CristoJesus Cristo como Criador.
  • Cl.1.17: Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsisteJesus Cristo é eterno e o sustendador de todas as coisas. Duas características de Yahweh (Mq.5.2)
  • Cl.2.9: porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da DivindadeJesus humano é portador da divindade por completo. Isso certamente é um milagre. Por isso, Jesus Cristo é Deus Homem.
  • Tt.2.13: aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo JesusJesus Cristo chamado claramente de Deus e Salvador.
  • Hb.1.1-3: Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. 3 Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas Alturas – Jesus é visto como o ápice da revelação de Deus, herdeiro de todas as coisas, criador. Ele é essencialmente Deus, sustentador, poderoso, exaltado e uma pessoa distinta do Pai, ao lado de quem está. Segue-se que Jesus é Deus.
  • Hb.1.6: E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem. – É Deus quem ordena a adoração do Filho. Já temos demonstrado que essa é a idéia do termo adorar, quando usado em relação a Jesus.
  • Hb.1.8: mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de eqüidade é o cetro do seu reino – Jesus é claramente chamado de Deus cujo reino é eterno.
  • Hb.1.12: também, qual manto, os enrolarás, e, como vestes, serão igualmente mudados; tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fimSomente Deus desfruta da imutabilidade (Ml.3.6; Tg.1.17). Se Jesus tem distintivos que pertencem exclusivamente a Yahweh (Hb.13.8), certamente Ele é Deus.
  • 2Pe.1.1: Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco obtiveram fé igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus CristoNesse texto claramente Jesus é chamado de Deus.
  • 1Jo.5.20: Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eternaJesus aqui é chamado de Verdadeiro Deus, mesma designação encontrada para o Pai em Jo.17.3.
  • Ap.1.8: Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso – Nesse verso vemos algumas características sobre Deus: (1) Sem princípio ou fim; (2) Senhor; (3) Todo-Poderoso; (4) Que é, era e que há de vir. Todas as designações apresentadas a Deus nesse verso são atribuídas a Jesus no decorrer do livro:
  • Ap.1.17-18: Quando o vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o ultimo e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno – Jesus como primeiro e último, como Deus é. Primeiro significa que não existiu ninguém antes dele, e último, que depois dele ninguém haverá. Ou seja, João claramente identifica Jesus com Deus.
  • Ap.2.8: Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver – Nesse verso Jesus Cristo é o Primeiro e o Último, como Deus é, logo, Jesus é Deus.
  • Ap.22.12-13: E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o FimJesus é aquele que vem, ou seja, em cumprimento à profecia de At.1.11, Jesus Voltará. Ou seja, o livro de Apocalipse quando fala naquele que há de vir, refere-se a Jesus Cristo. Essa identificação nos auxilia a compreender como entendemos Ap.1.8, quando diz que o Senhor Deus voltará. Logo, encontramos razões suficientes no livro para se demonstrar a divindade de Cristo.
  • Ap.4.8: E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir Nesse verso Jesus é identificado com a tríade de elogio a Seu caráter, como fora feito a Yahweh (Is.6.3). É chamado de Senhor, Todo-Poderoso e que voltará. Certamente esse verso fala a respeito de Jesus. Ou seja, em Apocalipse Jesus é claramente Deus.
  • Ap.3.14: Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de DeusJesus Cristo é visto como o originador da criação, e não como primeira criatura, como suspeitam alguns. Caso esse fosse o sentido do texto, ele estaria em franca contradição com os textos citados acima, que testemunham que Jesus não tem começo.
  • Ap.5.12: proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvorJesus Cristo é adorado: Ele é digno de receber sabedoria, força, honra, glória e louvor. Somente Deus é digno de receber louvor. Portanto, Jesus é Deus.

3. Humanidade-Divindade de Cristo

Alguns versos das escrituras deixam clara a completa natureza de Cristo como Deus e Homem, sendo Deus sem detratar sua humanidade e sua humanidade sem diminuir sua divindade:

  • Is.7.14 (cf. Mt.1.22-23): Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel.Fala de um menino que nasceria e seria chamado Deus entre nós. Se o descendente da mulher é Deus entre nós, deve ser Deus Homem.
  • Is.9.6: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da PazFala de um menino que nasceria e seria chamado Deus Forte e Pai da Eternidade. Ora, se é descendente da mulher (Gn.3.15) e Pai da Eternidade, só pode ser considerado Deus-Homem.
  • Lc.2.10-11: O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: 11 é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o SenhorO texto nos diz que o menino que nasceu é o Salvador, Messias e Senhor. No AT somente Deus é Salvador (Is.43.11, 15,21), mas as escrituras chama a Cristo de único salvador (At.4.12). O termo Senhor é usado para descrever a Deus e a Jesus Cristo, o que reforça a idéia de que Jesus é Deus. Segue-se que esse menino é Deus homem entre nós.
  • Jo.1.1-3, 14: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez (…)E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai  – Nesse texto lemos que Jesus Cristo é chamado de Verbo (Logos) e que Ele estava com o Pai desde a eternidade passada (v.2), que é Criador de todas as coisas (v.3; cf. Cl.1.16) e portanto não é criado, e que é plenamente Deus (v.1). Entretanto, o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade.
  • At.20.28: Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.  – Nesse verso vemos que Deus comprou a igreja com seu sangue. Ora, sabemos que o sacrifício foi efetuado por Cristo, o Verbo encarnado, e por isso é que houve verdadeiro derramamento de sangue. Portanto, vemos nesse texto a natureza Divina e Humana de Cristo apresentada em um mesmo verso.
  • Rm.9.5: deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!  – Nesse texto lemos que o Messias é segundo a carne, descendente dos judeus, mas é Deus sobre todos.
  • Fp.2.5-11: Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; 7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, 8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. 9 Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai  – Esse texto usa um claro contraste entre os termos “forma de Deus”, que Paulo entende como a descrição da igualdade com Deus,  e “forma de servo”, que Paulo explica como sendo a semelhança de homens, reconhecido em figura humana. Portanto, está claro que “forma de servo” implica em completa humanidade, do mesmo modo que “forma de Deus” implica em completa divindade.
  • Cl.2.9: porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da DivindadeJesus humano é portador da divindade por completo. Isso certamente é um milagre. Por isso, Jesus Cristo é Deus Homem.
  • 1Jo.1.1: O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida – Jesus é chamado de o que era desde o princípios, em alusão ao texto de Jo.1.1, o que fala sobre sua Eternidade e Pré-existência. O texto também fala que Jesus é aquele que foi ouvido, visto, contemplado e apalpado (Lc.24.39), o que deixa bem claro sua humanidade.


4. Conclusão

Diante de tantas evidências entendemos que as escrituras não apenas apresentam a Jesus Cristo como Deus Homem, mas defende essa postura em diversas de suas colocações. Portanto, aqueles que dizem que Jesus Cristo não é Deus estão em pleno desacordo com as Escrituras e devem ser considerados como hereges e perversores da verdade.

Um comentário sobre “Jesus: Deus-Homem

  1. Pingback: Jesus: Yahweh Nossa Justiça | NAPEC - Apologética Cristã

Os comentários estão desativados.