Dia do Senhor


O Dia do Senhor é um tema pouco explorado em nossos dias, afinal, em um mundo onde tudo é relativo, a tolerância com o erro é intolerante com a repreensão e um triunfalismo financeiro e profissional torna-se o alvo e a busca daqueles que se chama “cristãos“, falar sobre um Deus que trará justiça ao mundo, que levará a cabo sua palavra e punirá os pecadores não parece muito popular. Contudo, em grande parte, esse é o conteúdo do tema “Dia do Senhor” no Antigo Testamento.

No cenário “evangélico” brasileiro, constantemente encontramos pessoas que levam um tipo de vida hipócrita, que externamente é agradável, bonita e participativa em grande parte dos rituais liturgicos de suas igrejas, mas que na prática, fora dos paredes da igreja, é marcada pela iniquidade. Uma forma de gnosticismo pragmático tem surgido na igreja, e a cada dia mais pessoas acreditam que o que é feito pelo corpo não afeta o espírito, ou o que é feito contra as escrituras não afeta o relacionamento que se supõe ter com Deus. A dicotomia entre religião e vida pessoal tornou-se tão avançada, que muitos nem conseguem perceber que não conhecem pessoalmente o Deus que professam conhecer. E o pior de tudo, é que esses ssão ainda enganados por aqueles quese chamam pastores e líderes espirituais que insistentemente anunciam um evangelho da felicidade e sucesso a despeito da moralidade. Com isso, muitos acreditam que Deus existe para resolver seus problemas, tratar de suas dificuldades e no fim das contas, salvar os homens de suas dívidas e problemas pessoais e profissionais.

Guardadas as devidas proporções, no passado o povo israelita também pensava da mesma forma. Criam que, pelo fato de serem o povo que Deus separou para ser o povo de Sua aliança, as bênçãos sempre viriam independente de sua fidelidade para com Yahweh. Eles também criam que o Dia do Senhor seria uma espécie de panacéia, um grande remédio que iria resolver todos os seus problemas: Todas as nações inimigas seriam punidas por terem se atrevido a tocarem no povo eleito de Deus.

Contudo, os profetas enviados por Deus vieram a Israel para corrigir essa visão distorcida sobre o Dia do Senhor. Eles expandiram este conceito, mostrando que este evento abrange muito mais do que a punição de outras nações e a salvação de Israel, o Dia do Senhor seria um evento escatológico que também envolveria e a punição do próprio povo de Deus.

Tendo isso em mente, pretendemos com essa série de artigos demonstrar qual era a visão que Israel possuía e o que foi corrigido e expandido pelos profetas a respeito do evento do Dia do Senhor, com a intenção de alertar os cristãos dos perigos de uma vida religiosa desassociada de uma vida piedosa e conduzir os cristãos a uma vida integral nas mãos do Senhor.

Essa série de artigos é uma adapação ampliada da Monografia apresentada ao porf. Carlos Osvaldo para a matéria de Teologia Bíblica do Antigo Testamento II, intitulada  O Dia do Senhor – Uma teologia bíblica da perspectiva profética, escrita por: Eliézer Perruci, Lucas Rangel, Luiz Carlos dos Santos Júnior, Marcelo Berti, Rafael Viana.

Artigos da Série

  1. Origem e conceitos relacionados à expressão “Dia do Senhor”

  2. Expectativas do povo hebreu sobre o Dia do Senhor

  3. A perspectiva profética sobre o Dia do Senhor

    1. Período Pré-Exílico

    2. Período Exílico

    3. Período Pós-Exílico

    4. Visão Profética Vétero-Testamentária

  4. A visão de Obadias sobre o Dia do Senhor

  5. A visão de Joel sobre o Dia do Senhor

  6. A visão de Oséias sobre o Dia do Senhor

  7. A visão de Isaías sobre o Dia do Senhor

  8. A visão de Sofonias sobre o Dia do Senhor

  9. A visão de Jeremias sobre o Dia do Senhor

  10. A visão de Ezequiel sobre o Dia do Senhor

  11. A visão de Ageu sobre o Dia do Senhor

  12. A visão de Zacarias sobre o Dia do Senhor

  13. A visão de Malaquias sobre o Dia do Senhor

  14. O Dia do Senhor hoje: Alerta aos cristãos

  15. Conclusão