Rumo a Maturidade (esboço)


Introdução

1.    Alvo final do Cristão é Jesus Cristo;

2.    Líder cristão deve ser referência em maturidade para a igreja

3.    Tanto o líder como o cristão tem o mesmo alvo: Seguir a Cristo; Mas o líder por definição deve ser maduro, experimentado, etc

4.    O Jovem líder deve TORNAR-SE um exemplo para a comunidade!

a.    Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza.

Por isso hoje gostaria de:

1.    Demonstrar três Características da vida norteada pela busca da Maturidade,

2.    Deixar 1 Alerta sobre a vida cristã

3.    Apresentar 1 Garantia divina para o cristão maduro baseado no texto de 2 Pedro 1.3-11

#1 Recursos Disponíveis

Seu divino poder nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade:

SALVAÇÃO: Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo – Ef.1.3

SANTIFICAÇÃO: Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei – Gl.5.22-23

CRITÉRIO – CRISTO: …nos deu todas as coisas de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude – 2Pe.1.3

CRITÉRIO – ESCRITURAS: Por intermédio destas ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça – 2Pe.1.3

#2 Percurso Definido

Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade  à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor – 2Pe.1.1.4-6

a. Fé

Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna  – Jo.3.16
A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou – Jo.6.29

Porque a vontade de meu Pai é que todo o que olhar para o Filho e nele crer tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia – Jo.6.40

b. Virtude
a.    Virtude moral: Pedro usa esse termo exclusivamente para Cristo

“a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz ” (1Pe.2.9)
“pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude” (2Pe.1.3)

b.    Excelência: Paulo usa com o sentido de EXCELÊNCIA

“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro (…) tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Fl.4.8)

c. Conhecimento

(cf. v. 2Pe.1.2 – Pleno conhecimento de Deus; 3 – pleno conhecimento de Jesus Cristo, 4 – conhecimento das escrituras; 8 – Jesus Cristo)

a. Informação: v.4

“Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo para levar os eleitos de Deus à fé e ao conhecimento da verdade que conduz à piedade” (Tt.1.1)
“o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade ” (1 Tm.2.4)
“Esta é a minha oração: que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção” (Fp.1.9)

b. Relacionamento:

“Graça e paz lhes sejam multiplicadas, pelo pleno conhecimento de Deus e de Jesus, o nosso Senhor” (2Pe.1.2)
“conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude ” (2Pe.1.3)
“no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo ” (2Pe.1.8)

d. Domínio Próprio

a. Visão grega: Fruto exclusivo do esforço humano

Temperança (paixão subjugada à razão)<–|–> (razão subjugada à paixão) Desejos
Incontinência (fer. da paixão para sub a temperança) <–|–> (fer. da razão para sub a paixão) Domínio Próprio

b. Visão cristã: É parte da atuação divina no cristão, mas não isenta o cristão da sua luta pessoal contra o pecado

GRAÇA: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.  Contra estas coisas não há lei” (Gl.5.23)
ESFORÇO: “Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível ” (1Co.9.25)
REALIDADE: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me” (Mt.16.24)

e. Perseverança
É a qualidade máxima do cristão, em relação às suas responsabilidades cristãs. João Crisóstomo a chamou de Rainha das Virtudes, uma vez que qualquer virtude não deve ter vida útil.

a. Implica em adversidade: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança, e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança ” (Rm.5.3-4)

b. Deve ser completa: “Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes ” (Tg.1.4)

c.Cristo é o modelo: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, ***corramos, com perseverança***, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, ***suportou*** a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus ” (Hb.12.1-2)

f. Piedade
É uma palavra aparentemente antiquada para traduzir a expressão que temos neste verso, entretanto, parece a mais apropriada expressão em pt para definí-la. O conceito desse termo tem dois aspecto interessantes:

a. Em relação a Deus: Piedade representa o modo adequado em que Deus deve ser adorado;

b. Em relação aos homens: Piedade representa o serviço do cristão aos homens;

CONCEITO: Ele e toda a sua família eram piedosos e tementes a Deus; dava muitas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus (At.10.2)

CONVITE: Exercita-te, pessoalmente, na piedade  (1Tm.4.7) –

BENEFÍCIO: o Senhor sabe livrar da provação os piedosos e reservar, sob castigo, os injustos para o Dia de Juízo (2Pe.2.9)

g. Fraternidade
Filadélfia: Não existe cristianismo maduro na solidão, na verdade, a Maturidade Cristã é Comunitária!

DEFINIÇÃO: “Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios” (Rm.12.10)

ALVO: “Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente” (1Pe.1.22)

NECESSIDADE: Seja constante o amor fraternal (Hb.13.1)

h. Amor

Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento  (Mt.22.37)
Ame o seu próximo como a si mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas (Mt.22.39-40)
O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da lei (Rm.13.10)

Esforço?

Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento
A razão do nosso empenho é a doação gratuita de Deus de TUDO o que necessitamos. Mas isso NÃO significa que o processo depende da nossa capacidade. O termo para ACRESCENTAR seria melhor entendido como ASSOCIAR – É um trabalho realizado na dependência de Deus.
Pedro nos convida a sermos CO-PARTICIPANTES DA DIVINDADE!

#3 Progresso Esperado

Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em suas vidas, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos – 2Pe.1.8

ALERTA NECESSÁRIO

Todavia, se alguém não as tem, está cego, só vê o que está perto, esquecendo-se da purificação dos seus antigos pecados – 2Pe.1.9

SEM VIRTUDE –> CEGO/MIOPE –> ESQUECIDO do Sacrifício de Cristo

Portanto, irmãos, empenhem-se ainda mais para consolidar o chamado e a eleição de vocês, pois se agirem dessa forma, jamais tropeçarão. 2Pe.1.10


CONCLUSÃO- Futuro Garantido

Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. – 2Pe.1.11