A Exclusividade de Cristo


Bruce A. Ware

Três concepções estão em evidência hoje sobre a questão de Jesus ser ou não o único caminho para salvação. Todas as três podem ser analisadas a partir da resposta que cada uma delas tem para estas duas questões fundamentais: Primeira questão: Jesus é o único Salvador? Mais explicitamente: A vida de Cristo sem pecado e sua morte expiatória representam o único meio pelo qual a punição pelo pecado é paga e o poder do pecado derrotado? Segunda questão: para ser salvo, é necessário ter fé em Cristo? Ou de forma mais precisa: o conhecimento convicto da morte e ressurreição de Cristo e a fé inequívoca em Cristo são necessários para que recebamos os benefícios da obra redentora de Cristo e assim sermos salvos?

O Pluralismo responde “não” às duas questões. Um pluralista, como John Hick, acredita que há muitos caminhos que chegam a Deus, sendo que Jesus é somente um deles. Já que a salvação pode vir através de outras religiões ou líderes religiosos, presume-se, em razão disso, que as pessoas não tenham que crer em Cristo para serem salvas.

O Inclusivismo responde “sim” para a primeira questão e “não” para a segunda questão. Para um inclusivista, como Clark Pinnock, embora Jesus tenha realizado a obra necessária para nos reconciliarmos com Deus, as pessoas podem ser salvas também através do reconhecimento de Deus revelado pela criação, ou talvez por meio de suposições de suas próprias religiões. Portanto, apesar de Cristo ser o único Salvador, as pessoas não têm que conhecer Jesus ou acreditar Nele para serem salvas.

O Exclusivismo responde “sim” às duas questões. O exclusivismo, de acordo com o já falecido Ronaldo H. Nash, crê que as Escrituras declaram as duas verdades, primeiro, somente Jesus realizou a tarefa redentora necessária para salvar os pecadores e, segundo, o conhecimento e a fé em Jesus são necessários para que qualquer pessoa seja salva. O restante deste artigo oferece um sumário breve sobre alguns dos sustentáculos principais para essas duas afirmações.

Jesus é o único Salvador

Porque pensar que Jesus é o único Salvador? De todas as pessoas que já viveram ou que ainda viverão, somente Jesus tem condições de realizar, por Sua pessoa e obra, a redenção do pecado do mundo. Pense sobre os seguintes aspectos pelos quais somente Jesus tem condições de ser o exclusivo Salvador:

Primeiro, somente Cristo foi concebido pelo Espírito Santo e nascido de uma virgem (Isa. 7:14, Mt 1:18-25; Lc. 1:26-38) e como tal somente Ele tem condições de ser o Salvador. Por que isso tem importância? Somente o Espírito Santo assumindo o lugar do pai humano na concepção de Jesus é que pode ser verdade que aquele que foi concebido é tanto o Deus pleno como o homem pleno. Cristo tem que ser ao mesmo tempo Deus e homem para a remissão do pecado (veja abaixo), mas para que isso ocorra Ele tem que ser concebido pelo Espírito Santo e nascer de uma mulher virgem. Ninguém mais na história do mundo foi concebido pelo Espírito e nasceu de uma mãe virgem. Portanto, somente Jesus tem as condições de ser o Salvador.

Segundo, somente Cristo é Deus encarnado (Jo 1:1-18; Hb. 1:1-3; 2:14-18; Fp. 2:5–11; 1 Tm. 2:5–6) e como tal somente Ele tem condições de ser o Salvador. Como afirmou Anselmo, no século XI, o Salvador deve ser totalmente humano para que tome o lugar dos homens e morra por eles e Ele deve ser Deus pleno para que o pagamento sacrificial satisfaça o mandamento de nosso Deus infinitamente sagrado. Ele deve ser humano, sim, mas um homem comum simplesmente não poderia ter pagado de forma definitiva pelo pecado. No entanto, ninguém mais na história do mundo é ao mesmo tempo Deus pleno e plenamente humano. Somente Jesus, portanto, tem as condições de ser o Salvador.

Terceiro, somente Cristo viveu uma vida sem pecado (2 Co. 5:21; Hb. 4:15; 7:23-28; 9:13-14; 1 Pe 2:21-24) e como tal Ele somente tem condições de ser o Salvador. Como Levítico deixa claro, os animais oferecidos como sacrifícios pelo pecado não podem ser maculados. Isso prenuncia o sacrifício de Cristo que, sem pecado, podia morrer pelos pecados dos outros e não pelos Seus próprios. Ninguém, no entanto, na história do mundo viveu uma vida totalmente sem pecado. Portanto, somente Jesus tem as condições de ser o Salvador.

Quarto, somente Cristo morreu uma morte punitiva e substitutiva (Is 53:4–6; Rm. 3:21–26; 2 Co. 5:21; Gl. 3:10–14) e como tal somente Ele tem condições de ser o Salvador. O preço do pecado é a morte (Rm. 6:23). E porque Cristo viveu uma vida sem pecado, Ele não merecia morrer. Ao contrário, a causa de Sua morte foi o fato do Pai ter-Lhe imputado os nossos pecados. A morte Dele foi por nós. Ninguém mais na história do mundo morreu por ter assumido o pecado de outros e não como a conseqüência de Seu próprio pecado. Portanto, somente Jesus tem as condições de ser o Salvador.

Quinto, somente Cristo ressuscitou triunfante sobre o pecado (At. 2:22-24; Rm. 4:25; 1 Co. 15:3–8, 16-23). Como tal, somente Ele tem condições de ser o Salvador. A Bíblia mostra que somente algumas pessoas, além de Cristo, ressucitaram (1 Reis 17:17-24; João 11:38-44), mas somente Cristo venceu a morte e não morreu outra vez, tendo triunfado sobre o pecado. O preço do pecado é a morte e o maior poder do pecado é a morte. Portanto, a ressurreição de Cristo dentre os mortos demonstra que Sua morte expiatória resgatou toda a penalidade imposta pelo pecado e derrotou o que é o seu maior poder. Ninguém, na história do mundo, ressuscitou da morte, triunfando sobre o pecado. Portanto, somente Jesus tem as condições de ser o Salvador.

A conclusão é inquestionável: Somente Cristo tem condições de ser o Salvador e somente Cristo é o Salvador. As próprias palavras de Jesus não poderiam ser mais claras: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). O apóstolo Pedro confirma: “E não há salvação em nenhum outro, porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome que possamos invocar para sermos salvos” (Atos 4:12) Essas afirmações não podem ser feitas a respeito de ninguém mais na história do mundo. Na verdade, somente Jesus é o Salvador.

A fé em Cristo é necessária para sermos salvos

Por que pensar que a fé em Cristo é necessária para sermos salvos? Os ensinamentos dos apóstolos são claros e o conteúdo dos Evangelhos (desde a vinda de Cristo) tem, portanto, como principal foco a morte expiatória e a ressurreição de Cristo. Pela fé em Cristo é que alguém tem os pecados perdoados e alcança a vida eterna. Examine as seguintes passagens que dão suporte à convicção de que as pessoas são salvas somente se conhecerem Cristo e confiarem que Ele é seu Salvador.

Primeiro, os próprios ensinamentos de Jesus mostram que as nações precisam ouvir e arrepender-se para serem salvas (Lucas 24:44-49). Jesus ordena que “o perdão dos pecados deva ser proclamado em Seu nome para todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24:47). Os povos que Jesus descreve aqui não tinham se arrependido, nem sido perdoados. Para serem perdoados, eles têm que se arrepender. Para se arrependerem, eles têm que ouvir a proclamação da obra de Cristo em Seu nome. E isso é verdade para todas as nações, incluindo os judeus que não confiaram em Cristo. Jesus não supõe que as “nações” já tenham conhecimento das revelações da salvação, pelo contrário, os crentes devem proclamar a mensagem de Cristo a todas as nações para que os povos dessas nações sejam salvos.

Segundo, Paulo ensina que mesmo os religiosos judeus e todos os demais devem ouvir e crer em Cristo para serem salvos (Rm. 10:1-4, 13-15). O seu desejo sincero e suas preces são para a salvação de seus companheiros judeus. Mesmo sendo fervorosos com relação a Deus, eles não sabem que a justiça de Deus se revela somente através da fé em Cristo. Portanto, esses judeus mesmo sendo piedosos, não estão salvos. Todo aquele que invocar o nome de Cristo (Veja Rm. 10:9, 13) será salvo. Há, no entanto, a necessidade de que alguém lhes fale sobre isso e pessoas devem ser enviadas com esse objetivo. As missões, portanto, são necessárias já que as pessoas devem ouvir a Palavra de Cristo para serem salvas.

Terceiro, a história de Cornélio demonstra que mesmos os gentios piedosos devem ouvir e crer em Cristo para serem salvos (Atos 10:1-2, 38-43; 11:13-18, 15:7-9). Quando Pedro abordou Cornélio, ele, ao contrário do que pensam alguns, estava longe de estar salvo. Ele era um homem piedoso (10:2) que precisava ouvir sobre Cristo e crer em Jesus para ser salvo. Ao falar sobre a conversão dos gentios, Pedro declara que somente quando ele orou é que Cornélio ouviu a mensagem que ele precisava ouvir para “ser salvo” (Atos 11:14; veja também 15:8-9). Apesar de sua religiosidade, Cornélio precisava ouvir a proclamação da Palavra de Cristo para ser salvo.

Mais uma vez, a conclusão é clara: Jesus é o único Salvador e as pessoas devem conhecer Cristo e crer Nele para serem salvas. Que possamos honrar Cristo e os Evangelhos e manifestemos nossa fé na Palavra de Deus, sustentando essas duas verdades e vivendo de maneira a demonstrar nosso comprometimento com elas