Sugestões para Votar Biblicamente


Por Sérgio Ribeiro

Estamos vivendo um momento crucial em nosso país, faltam poucos dias para uma das eleições mais importantes de nossa história. Portanto, desejo dar minha singela contribuição para ajudar alguns irmãos a refletirem mais um pouquinho antes de decidir digitar o par de números que definirão seu voto para presidente da nossa querida nação.

1. Que a decisão quanto ao seu voto para Presidente seja dirigido por princípios e valores bíblicos e não pela paixão partidária ou personalista; muitas vezes a paixão cega, sem percebermos ou admitirmos, e nos conduz a erros irreparáveis;

2. Procure pensar biblicamente: assim você discernirá melhor em quem deve votar, dirigido pelos princípios e valores cristãos;

  • Se pensarmos biblicamente, a base de nossa escolha (em quem votar) será de acordo com a Bíblia, e poderá contrariar a vontade de nosso coração (muitas vezes enganoso, apesar de crente) e nos desafiar a rompermos compromissos assumidos com pessoas por causa do nosso compromisso com Deus!;
  • Temos que escolher: vou votar de acordo com meus critérios ou de acordo com os critérios da Bíblia;

3. Um cristão bíblico não define seu voto…

  • Dirigido por interesses pessoais, nem por pretensas vantagens corporativas, ainda menos por causa dos interesses temporais da igreja ou de seu grupo denominacional;
  • Inflamado por paixão partidária e nem predileção meramente pessoal por algum candidato;
  • Repito: um cristão bíblico votará sob princípios bíblicos.

4. Um cristão bíblico para votar deve considerar que…

  • Como todo ser humano, candidato algum corresponderá a todas as exigências do cristianismo bíblico; certamente não há candidato perfeito, mas pode ser que um se aproxime mais dos valores da Palavra de Deus que outros;
  • Alguns candidatos possuem, mais que outros, históricos de posicionamentos anticristãos;
  • Além da proposta do plano de governo, é necessário conhecer o histórico amplo do candidato e as propostas reais, subjacentes e a ideologia de seu partido;
  • Depositamos confiança relativa nos homens, mas ninguém pode depositar sua esperança em pessoa alguma, mas no Senhor da História;

5. Considerando valores e princípios bíblicos, o cristão não deve apoiar e nem votar em candidatos:

  • Comprometidos com políticas de desconstrução da Família;
  • Comprometidos com presidentes ditadores, suspeitos de envolvimento com o tráfico e que praticam segregação e perseguição religiosa;
  • Comprometidos com grupos que pregam a destruição de qualquer nação ou povo minoritário;
  • Que demonstram incompetência para assumir tão relevante cargo;
  • Com histórico direta ou indiretamente comprometido com a impunidade, com a corrupção, que sejam ou tenham sido fichas sujas; nem naqueles que em crises, bem como em momentos de grande pressão, como no processo de eleição, sacrificam a ética e manipulam verdades e informações para ganhar a todo custo o pleito eleitoral.

Alguns olharão para os candidatos e podem pensar: “são farinha do mesmo saco, entre eles não há quem seja melhor!”. Então, vote no menos ruim, à luz da Bíblia.

Acredito que o cristão bíblico não deve anular o seu voto e nem votar em branco (pelo menos nesta eleição), deve posicionar-se em oração, com temor e tremor, respeitando a diversidade de opiniões, denunciando as obras das trevas (nunca se tornando cúmplice) e orando a Deus pelo bem da nação e para que Sua igreja seja fiel em toda circunstância, seja no momento da urna, ou nas consequências dos resultados da eleição.

Uma última palavra: A motivação do nosso coração quanto ao voto nos condenará ou nos aprovará diante dAquele que sonda corações. Nosso coração se posicionará de uma das duas únicas formas: Ou a Bíblia vale para nos dirigir nesses momentos cruciais de nossa vida privada e pública, ou ela não vale para nada! Vamos lembrar quem somos e a Quem servimos. Não há muro, não há neutralidade.

4 comentários sobre “Sugestões para Votar Biblicamente

  1. Apenas agora li seu post. Deveras consistente como tantos outros. Faltaram porém argumentos a respeito da anulação ou votação em branco. Vários são os motivos que, por meio do voto, pactuaria com esse ou aquele. Rejeitar essa pactuação faria uma pessoa não ser um cristão bíblico?

    1. Paulo,

      Votar em alguém, ou votar branco ou nulo nunca foi requisito para fazer de alguém um cristão. Entretanto, o artigo parte do ponto de vista que no atual cenário brasileiro não votar não é prudente. Apesar de cristãos, nós somos brasileiros e como tal temos nossa responsabilidade como nosso país. E voto não é uma questão de pacto é uma questão de civilidade. É uma questão de usar a mais importante ferramenta de influência que o Estado nos oferece para escolhermos o que acreditamos ser melhor para o país. Se votar significasse aliança, omitir-se de votar significaria aliança com o atual governo.

      Que os cristãos aprendam a votar…
      Marcelo Berti

  2. Roberta

    Creio que levando em conta esses critérios (que são bons), só resta ao cristão o voto branco ou nulo. No cenário do primeiro turno ficaram para o eleitorado questões complicadas, considerando as duas candidatas que pareciam disputar o pleito: uma tinha desconhecimento da Palavra e a outra, com conhecimento, abriu mão de seu posicionamento inicial acerca de algumas questões para manter o favoritismo (não que tivesse que impor um comportamento cristão aos que não o são, mas defender sua visão pessoal sobre os temas).

    Neste segundo turno estamos diante de candidatos que são muitíssimo parecidos, considerando o item 5, de acordo com o seu desempenho como governantes. Na questão da defesa da família não propõem nada diferente; ao envolvimento com políticos ditadores, um se alia com ditadores/opressores à direita e outro à esquerda; à questão das drogas, há fortes evidências de que um faz uso e outro tem relações diplomáticas com governantes de países que se beneficiam; ao apoio à destruição de minorias, ambos estão de lados opostos, mas apoiam opressores destas minorias; na questão da corrupção e manipulação de fatos estão sob o mesmo patamar em instâncias distintas.

    O voto branco ou nulo não deveria ser uma opção, mas nesse caso parece ser o melhor caminho para quem não quer compactuar com eles.

Os comentários estão desativados.