Querido Comediante


NOTA DO EDITOR: Esse artigo é uma resposta ao artigo Querido Pastor, escrito pelo comediante Gregorio Duvivier e publicado pela Folha de S.Paulo. Nesse artigo, Duvivier escreve uma carta a um pastor como se fosse Jesus, e o tenta convencer que ele é de fato de esquerda. Como o artigo é uma peça de humor, resolvi responder do mesmo modo, escrevendo-lhe uma carta como se fosse Wormwood um demônio, que por sinal foi retirado do livro Screwtape Letters escrito por C.S. Lewis (Cartas de um Diabo ao seu Aprendiz). No livro, Wormwood é um diabo aprendiz que trabalha debaixo das orientações de Screwtape, um diabo mais experiente que também é seu tio. No nosso artigo, Wormwood já aprendeu o suficiente e agora escreve suas próprias cartas.


Querido Comediante,

Aqui quem fala é o Wormwood. Pois é, eu finalmente aprendi o suficiente e posso agora escrever minhas próprias cartas. É bom saber que você está no caminho certo, e usa da ironia como ninguém. Talvez você não me conheça, mas eu nasci há pouco mais de dez mil anos atrás. Aliás, a escola de pensamento que você defende, foi meu chefe que inventou. Essa coisa de falar sobre aquele outro cara de modo debochado já fez história na voz de muitos pensadores inteligentes, mas você faz de um jeito todo especial: Você coloca suas ideias na boca dele, como se ele de fato concordasse com você. Parabéns, isso será certamente eficiente entre os seus páreas. Mas, como um iniciante nesse trabalho, isso já é grande coisa.

Mas, uma coisa de cada vez. Por enquanto, o importante é saber quem você defende e como pode fazer isso de modo ainda melhor. Nosso chefe, que talvez você não conheça pessoalmente, é um gênio. Diferente do outro que adora que as pessoas o vejam em tudo o que faz, ele prefere passar despercebido. Por isso, muitos nem sabem de sua existência. Ele prefere ficar nos bastidores, usando a porta dos fundos para fazer sua zorra. Ele eventualmente aparece no cinema, mas em geral eles o apresentam de modo errado. Ele não é um monstro, chifrudo num lago de fogo (embora o outro equivocadamente acredite que um dia ele nos mandará para lá). Ele é mais inteligente do que isso: ele é o mestre da linguagem, da ironia, assim como você. Ele sabe como usar e abusar de termos e conceitos de modo coeso e lógico, de modo que suas ideias sempre aparecem entre os mais informados, respeitados e adorados pela sociedade. Ele é muitíssimo bem informado, de modo, que não tem nada nesse mundo que ele não saiba demais.

É por isso que ele não se preocupa muito com essa coisa de direta ou esquerda política, especialmente no seu país. Ele tem os seus em todos os lados da disputa, por que para ele não importa qual é sua opinião política, desde que não se alinhe com o outro, está tudo bem. Eu sei que essa coisa da esquerda é muito importante para você, e talvez no seu contexto, o ideal mesmo é defender mesmo essa coisa da esquerda política como se fosse defendida por aquele judeuzinho que, como nós você despreza. Isso será certamente eficiente para manter longe dos arraiais dele aqueles que dele também não gostam. Continue seu trabalho, sempre rindo, fazendo rir e usando da ironia. Isso será certamente eficiente.

Eu me lembro muito bem do que meu tio me disse certa vez. Ele acreditava que o momento que vivíamos, há alguns anos atrás, era um momento de auto-ocultação. Nós deveríamos fazer nosso trabalho sem receber crédito, e sem fazer do nosso chefe conhecido. Isso nos tirava um pouco o prazer de batalhar tão veementemente por nossa causa, mas os resultados eram expressivos o suficientes para nos encorajar. Ele sonhava com o dia em que nós aprenderíamos como manipular as emoções de tal modo que nossa existência fosse ao menos reconhecida. E talvez esse momento chegou! Você sabe fazer isso muito bem. Nós já tivemos outros melhores que você, mas eles queriam a evidência e projeção exclusivamente para eles, e embora trabalhassem conosco, nunca nos deram crédito. Mas, como você não é tão brilhante assim, talvez uma parceria pública conosco o ajude mais. Caso queira dar sequencia nesse processo, ficaremos muito gratos. Basta nos responder e acertamos o preço, que infelizmente é parecido com aquele que o judeuzinho pagou pelos seguidores dele. Mas, não é nada que você venha se arrepender. Eu agarantho!

Agora, caso você prefira fazer como tantos outros e manter nosso relacionamento secreto. Não tem problema. Há muitos anos já nós batalhamos no anonimato e já nos acostumamos com isso. Mas continue o seu bom trabalho. Apesar de ser apenas um iniciante, nosso Mestre o tem em alta conta.

Seu afetuoso amigo,
Wormwood

4 comentários sobre “Querido Comediante

  1. paulo

    Não entendi chongas. De qualquer maneira, estou mais para aquele judeu-cristão de centro direita e não esquerda.
    paulo

    1. Paulo,

      Esse artigo é uma resposta ao artigo Querido Pastor, escrito pelo comediante Gregorio Duvivier e publicado pela Folha de S.Paulo. Nesse artigo, Duvivier escreve uma carta a um pastor como se fosse Jesus, e o tenta convencer que ele é de fato de esquerda. Como o artigo é uma peça de humor, resolvi responder do mesmo modo, escrevendo-lhe uma carta como se fosse Wormwood um demônio, que por sinal foi retirado do livro Screwtape Letters escrito por C.S. Lewis (Cartas de um Diabo ao seu Aprendiz). No livro, Wormwood é um diabo aprendiz que trabalha debaixo das orientações de Screwtape, um diabo mais experiente que também é seu tio. No nosso artigo, Wormwood já aprendeu o suficiente e agora escreve suas próprias cartas.

      Grande abraço,
      Marcelo Berti

Os comentários estão desativados.