#5 Conselhos para Cristãos que Estarão nas Ruas no Próximo Domingo 


1- Lembre-se que seu protesto precisa ser regado de oração pela nação e pelas autoridades constituídas (cf. 1Tm 2.1-4);

2- Faça seu protesto de maneira pacífica e ordeira, como convém ao cristão, sem incitação a qualquer tipo de manifestação violenta (cf. Mt 5.9; Rm 12.18);

3- Seu protesto precisa ser respaldado por uma conduta moral e civil irrepreensível. É hipocrisia exigir retidão dos outros (inclusive das autoridades), sem antes considerar sua própria condição diante de Deus e dos homens (cf. Mt 7.5);

4- Antes de ser cidadão brasileiro, você é cidadão da pátria celestial. Ainda que seja legítimo protestar e desejar um governo sério e íntegro, sua esperança deve estar em Cristo e não em algum governante, ou pior, em uma ideologia política – cristãos verdadeiros não dividem sua lealdade e esperança com uma bandeira, partido ou governante! (cf. Is 33.22; Fp 3.20; Mt 22.21; At 5.29);

5- Observe sua língua e testemunho. Lembre-se que convém ao cristão um linguajar saudável. Ainda que seu protesto seja cheio de paixão e emoção, não use palavras de baixo calão. Cuide para que enquanto protestar, sua conduta seja digna de Cristo, dando bom testemunho para outros irmãos que também estarão presentes e, principalmente, para os não-cristãos (cf. Ef 4.29; Cl 4.5-6);

Eu estarei na Av. Paulista em São Paulo junto com minha esposa e amigos! Portanto, se você me encontrar, venha dar um “oi!” para que possamos juntos orar pelo nosso país! :)

6 comentários sobre “#5 Conselhos para Cristãos que Estarão nas Ruas no Próximo Domingo 

  1. muito bom post, me diga uma coisa, você acredita que o protesto é legítimo? acredita por exemplo que nós cristãos estamos livres da corrupção da qual nós criticamos? vou te contar um caso de um amigo, ele foi comprar um óculos em uma ótica, o seu havia quebrado a lente, era de grau fins medicinais, quando foi buscar o mesmo a ótica disse o seguinte ” O senhor vai querer nota fiscal?” ao passo que ele perguntou o motivo e teve a seguinte resposta: “com nota fiscal é 145 reais, sem nota fiscal é 90” me responda sinceramente se achar pertinente, nós brasileiros temos enquanto sociedade condições de manifestar?

  2. Antes de protestar como um cristão em cima do muto verifique quem esta chamando estas manifestações. Eu como evangelica estou escandalizada com a postura de vcs. Renego aqui e agora a fachada de evangelica por pura vergonha.

  3. Eduardo Bezerra de Oliveira Junior

    Marcelo o que vou dizer não tem hada a haver com o que vc publicou neste post, mas gostaria de sua opinião a respeito de uma nova série publicada pela editora Ultimato; chama-se “Coleção ciênia e fé cristã”; uma série de 12 livros, cujo os três primeiros já estão disponíveis.
    – The science of God, de Alister Mcgrath;
    – True scientists, true faith, org. por R. J. Berry (autores: Francis Collins, Mcgrath, John Houghton, Ghillean Prance e Andrew Briggs; e
    – Faith and hope in technology, de Egbert Schuurman.
    abç
    Eduardo Bezerra

    1. Eduardo,

      Não conheço essa série e há algum tempo não tenho investido nesse assunto. Me parece, entretanto, que esses livros tem um viés Criacionista, mas não do tipo do “Criacionista da Terra Jovem,” que é o movimento mais conhecido no Brasil pelo ministério do Professor Adalto Lourenço (com quem já tive aulas sobre o assunto). Eu tenho ao mesmo tempo apreço e reservas ao criacionismo da terra jovem, baseado em questões textuais e hermenêuticas (não científicas, por que essa não é a minha área). Sobre o assunto, sugiro dois artigos (bem antigos) publicados no Teologando: O Dilema da Criação e A Criação do Universo, que fazem parte de uma exposição dos primeiros capítulos de Gênesis. Apesar de não ser suficiente, esses artigos apontam para uma visão distinta do “Criacionismo da Terra Jovem.”

      Ao que me parece, esses livros que você menciona tem uma proposta distinta tanto daquela que apresento no segundo artigo supracitado como do “Criacionismo da Terra Jovem.” Francis Collins é defensor de uma visão conhecida como “Evolucionismo Teísta,” que defende que o processo evolutivo foi supervisionado (coordenado) por Deus, uma opção teológica que associa a revelação e a evidência (tal como interpretada pela comunidade científica atual). Por outro lado, Alister McGrath é um dos autores que nesse assunto muito me cativa. Em outros dos seus livros, ele demonstra sobriedade científica e sagacidade teológica que me fazem pensar seriamente sobre o assunto. Ele defende uma visão da Criação que é fascinante do ponto de vista filosófico, científico e teológico. Não li o livro que você menciona, mas não teria problema nenhum em lê-lo. Esses livros que você menciona, refletem a visão de um recente ministério no Brasil, chamado Associação Brasileira de Cristãos na Ciência (ABC²), um ministério que merece atenção e respeito. Os artigos desse ministério, sem sombra de dúvidas, devem ser lidos atentamente.

      Bom, acho que não ajudei como você gostaria, mas fica aqui minha opinião (desinformada) sobre o assunto.

      Grande abraço,
      Marcelo Berti

      1. Eduardo Bezerra de Oliveira Junior

        Obrigado Marcelo, irei ler os artigos que você indicou.
        grande abraço,
        Eduardo Bezerra.

Os comentários estão desativados.