Certa vez, um jovem cristão da igreja Assembléia de Deus e estudante de teologia participou de um culto onde um jovem evangelista pregava. Na ocasião, esse evangelista contou uma história que o jovem estudante de teologia já conhecia, e sabia que o evento não tinha acontecido tal como contava o evangelista. Na manhã seguinte, ele resolveu abordar o evangelista para ajudá-lo a entender melhor a história. Infelizmente seus esforços não foram recebidos com muito entusiasmo, e no culto noturno no mesmo dia, aquele jovem evangelista falou uma das frases que marcaria sua vida: “Eu prefiro ser um tolo em chamas, do que um teólogo no gelo.” Naquele momento ele percebeu que havia encontrado um tolo em chamas, mas que não gostaria em hipótese nenhuma ser um teólogo no gelo. Foi nessa ocasião que ele decidiu ser um teólogo em chamas!

O nome desse jovem teólogo é nada mais nada menos do que Gordon Fee, uma das maiores referências cristã e conservadora na Crítica Textual e Exegese do Novo Testamento. Seus trabalhos com os papiros 𝔓75 e 𝔓66 e o mito da recensão alexandrina lhe renderam um lugar ao lado dos mais importantes críticos textuais do século passado. Suas publicações a respeito da metodologia da crítica textual fazem parte das mais importantes publicações sobre o assunto, e figura entre os mais importantes artigos no assunto. Seus comentários exegéticos em 1 Coríntios, Filipenses, 1&2 Tessalonissenses foram publicados em importantíssimas edições de comentários teológicos. Além disso escreveu livros de hermenêutica e método exegético (ver aqui) que influenciaram uma geração de jovens teólogos ao redor do mundo. Ele também escreveu comentários mais populares (ver aqui, e aqui) e conseguiu com isso alcançar o estudante leigo de teologia com um texto claro e simples, mas que transpira uma paixão pelas escrituras e pelo estudo crítico e criterioso do texto sagrado.

Seu livro sobre a Cristologia Paulina é sem sombra de dúvidas o mais importante volume jamais escrito sobre o assunto da perspectiva cristã e conservadora. Nas poucas mais de 700 páginas, Fee realiza uma exegese criteriosa e detalhada das afirmações paulinas sobre Cristo livro por livro e finalmente escreve uma síntese teológica baseada na sua exegese. Com esse livro, Fee oferece ao leitor mais do que informações sobre a Cristologia Paulina, mas um método teológico fundamentado na exegese e crítica textual. Sua perspicácia exegética e sobriedade teológica fazem dele um dos grandes heróis da fé. Gordon Fee é sem sombra de dúvidas um grande teólogo.

Mas, não apenas isso: Ele é um teólogo em chamas, exatamente como se propôs a ser no início da sua jornada em direção à academia cristã. Qualquer pessoa que ler o livro God’s Empowering Presence no qual analisa a teologia do Espírito Santo nas escritos de Paulo ficará convencido desse fato. Exegeta por excelência, Fee apresenta uma visão apaixonada pelo Espírito Santo nesse livro. No livro Listening to the Spirit in the Text, Fee coloca lado a lado duas grande virtudes do teólogo cristão: devoção ao Senhor e dedicação ao texto sagrado. Nesse livro premissa fundamental para a teologia é atestada logo no primeiro capítulo:

Eu começo com uma singular e apaixonada convicção: o alvo apropriado da verdadeira teologia é a doxologia. A Teologia que não começa e termina em adoração não é de modo nenhum bíblica. Do mesmo modo, eu quero insistir que o alvo final da verdadeira exegese é a espiritualidade. (p.5)

Talvez tenha sido sua experiência como ministro da Assembléia de Deus, filho de um pastor da mesma denominação que tenha feito Fee tornar-se um modelo para a academia cristã. Talvez, tenha sido sua paixão na juventude em buscar o Senhor de modo genuíno, ou quem sabe sua participação em movimentos revivalistas tenham impactado sua percepção da ação do Espírito Santo na sua vida. No artigo Scholar on Fire (IN: I (still) Believe), Fee afirma:

Crescer na Assembléia de Deus me ajudou a reconhecer que essas experiências eram resultado da atividade do Espírito Santo e a formar um entendimento positivo e profundo a respeito do papel do Espírito Santo na nossa vida diária. Também me deu uma lente com a qual eu poderia estudar as escrituras que era relativamente única em relação a abordagem normativamente acadêmica. (p.72)

Gordon Fee está certo: é possível ser um teólogo em chamas! Ele conseguiu modelar aquilo que os dois extremos achavam impossível: ser alguém dedicado ao Senhor e sensível ao Espírito Santo e ao mesmo tempo um acadêmico de ponta. A história de vida de Fee nos ensina que uma vida dependente do Espírito Santo não é oposta a uma vida dedicada ao estudo da escritura. Graças a Deus por aquele jovem tolo em chamas, que foi usado por Deus para ajudar na formação do teólogo em chamas que mudou o mundo:

Eu queria ser um teólogo em chamas, mas essa intenção tornou-se uma visão orientadora de como eu deveria lidar com o texto e com meus irmãos e irmãs em Cristo. Em algumas ocasiões eu me perdia [nos estudos] e entendia que precisava mais uma vez sentar na presença de Deus e ser relembrado de quem Ele é, e quem eu sou, e qual era o meu chamado: estar “certo” não era o meu chamado. Eu fui chamado para buscar excelência acadêmica, o que em boa consciência eu posso dizer que fiz. Entretanto, eu fui primeiramente chamado para ser um seguidor de Cristo, que demonstrou ao mesmo tempo o amor do Pai para amigos e inimigos, e apenas o meu Senhor sabe se eu fui verdadeiramente fiel a esse chamado divino (Scholar on Fire, p.81)

Gordon Fee é um modelo para mim. Desde o início da minha vida acadêmica meu desejo tem sido de lidar com o texto com devoção e intelectualidade, e Fee demonstrou que isso não é apenas possível, mas mandatório para aquele que aspira ser um professor de teologia. Como ensinar meus alunos a buscarem ao Senhor e a viverem na dependência do Espírito Santo se o próprio professor não o faz? Como ensinar  meus alunos a ouvirem a voz do Espírito Santo no texto sagrado sendo um professor surdo ou insensível à sua voz? Como modelar uma busca pela excelência acadêmica cristã, se uma vida cristã excelente não é em primeiro lugar almejada na minha vida? Gordon Fee é, na minha opinião, um grande herói da fé, e um modelo a ser seguido por todos aqueles que buscam a excelência acadêmica do ponto de vista cristão. E por isso, termino esse post com mais uma de suas orientações:

Se aqueles que ensinam e pregam a Palavra de Deus, pregação tal que deve ser baseada em uma exegese sólida do texto, não anseiam eles mesmos pela presença de Deus, não vivem constantemente em sua presença, não tem fome e sede de Deus, então como poderiam eles trazer o objetivo último da exegese, que é ajudar a edificar o povo de Deus na verdadeira espiritualidade? (…)Porque sem a presença e o poder do Espírito Santo, tudo o mais é apenas um mero exercício. Ser um bom exegeta, e consequentemente um bom teólogo, precisa-se conhecer a plenitude do Espírito, e isso inclui um vida de oração (“orando no Espírito” como Paulo diria) e obediência (…) O perigo é tornar-se um profissional (no sentido pejorativo do termo): analisar textos e falar sobre Deus, mas aos poucos perder o fogo da paixão por Deus diminuir, a ponto de não mais se falar com Deus. Eu temo pelos estudantes quando a exegese se tornar fácil, ou quando a exegese é o que o estudante faz para o benefício do outro. Porque, frequentemente essa exegese não é mais acompanhada pelo coração em chamas, e que não permite que o texto fale com eles. Se o texto bíblico não se agarra ou possui a alma do estudante, é bem possível que ela fará muito pouco para aqueles que a escutam (Listening the Spirit in the Text, p.6-7)

Soli Deo Gloria!

Anúncios

8 comentários em “Em Chamas

  1. Parabéns meu amado irmão Marcelo pelo artigo. Particularmente nunca tinha ouvido falar de Gordon Fee, sendo assim, vou estudar mais sobre esse “teólogo em chamas”, seus escritos e sua vida. Sou apaixonado pela história de um modo geral, especialmente quando o assunto é Bíblia. Que Deus continue te abençoando e lhe usando para a edificação de sua Igreja.
    Abraços.
    Nicholas Brito

  2. Que Artigo Edificante. Gordon Fee é um grande homem e referencia a todos os estudantes, exegetas, pastores e etc Que possamos ser teólogos em chamas.

  3. Boa tarde Marcelo, tenho lido os textos que você escreve e tem sido muito uteis para mim, inclusive o ultimo sobre Universidades americanas que disponibilizam Cursos de Teologia gratuitamente, só tem um porém, eu ainda não sei inglês mas gostaria de fazer os Cursos. Então pergunto se não há possibilidade de tradução para o português?

    Att;

    José Edvaldo de Jesus.

    1. José,

      Cada um daqueles cursos é oferecido por instituições americanas, e portanto, em inglês. Infelizmente, apenas eles, que detém os direitos dos cursos, podem traduzir os mesmos.

      Me desculpe por não poder ajudá-lo.

      Grande abraço,
      Marcelo Berti

Os comentários estão encerrados.