O mais antigo comentário latino nos evangelhos foi descoberto e publicado em inglês pela primeira pela editora De Gruyter. Trata-se do comentário de um bispo do norte da Itália chamado Fortunatianus de Aquiléia. Ele escreveu seu comentário durante o período de Constantius II (337-361) que anos mais tarde foi usado por Jerônimo. Em sua abordagem do texto dos evangelhos, Fortunatianus os interpreta como uma série de alegorias teológicas ao invés de historiografia literal. Comentando sobre essa descoberta, Dr. Hugh Houghton, que traduziu o documento, afirmou:

O texto bíblico do manuscrito é de particular importância, pois é anterior à versão latina padrão conhecida como Vulgata e fornece novas evidências sobre a forma mais antiga dos Evangelhos em latim.

Apesar das referências a este comentário em outras obras antigas, nenhuma cópia era conhecida por sobreviver até que o Dr. Lukas Dorfbauer, pesquisador da Universidade de Salzburgo, identificou o texto de Fortunatianus em um manuscrito anônimo copiado em torno do ano 800 e realizado na Biblioteca da Catedral de Colônia. Os manuscritos da Biblioteca da Catedral de Colônia foram disponibilizados on-line em 2002.

Os estudiosos já haviam se interessado neste manuscrito do século IX como único testemunho de uma curta carta que alegava ser do sumo sacerdote judeu Annas ao filósofo romano Seneca. Eles haviam descartado o comentário anônimo de 100 páginas como uma das inúmeras obras similares compostas no tribunal de Carlomagno. Mas quando visitou a biblioteca em 2012, Dorfbauer, especialista em tais escritos, viu que o comentário era muito mais antigo que o próprio manuscrito.

O Dr. Houghton publicou a tradução em inglês (cujo acesso online é livre) do texto latino (~115 dólares) editado por Lukas J. Dorfbauer. O próprio Dr. Houghton conta mais sobre a descoberta e projeto de tradução aqui.

Anúncios

Um comentário em “O Mais Antigo Comentário dos Evangelhos

Os comentários estão encerrados.