Porque Eu Acredito no Nascimento Virginal

Nessa aula, Marcelo Berti se propõe a:

  1. Identificar a fundamental importância teológica para a doutrina do nascimento virginal
  2. Avaliar o silêncio do NT a respeito do nascimento virginal de Jesus
  3. Comparar as principais sugestões de similaridade entre a história do nascimento de Jesus e alguns mitos greco-romanos
  4. Avaliar a plausibilidade histórica do nascimento virginal de Cristo

A versão em PDF da apresentação usada na aula pode ser vista aqui.

Em Chamas

Certa vez, um jovem cristão da igreja Assembléia de Deus e estudante de teologia participou de um culto onde um jovem evangelista pregava. Na ocasião, esse evangelista contou uma história que o jovem estudante de teologia já conhecia, e sabia que o evento não tinha acontecido tal como contava o evangelista. Na manhã seguinte, ele resolveu abordar o evangelista para ajudá-lo a entender melhor a história. Infelizmente seus esforços não foram recebidos com muito entusiasmo, e no culto noturno no mesmo dia, aquele jovem evangelista falou uma das frases que marcaria sua vida: “Eu prefiro ser um tolo em chamas, do que um teólogo no gelo.” Naquele momento ele percebeu que havia encontrado um tolo em chamas, mas que não gostaria em hipótese nenhuma ser um teólogo no gelo. Foi nessa ocasião que ele decidiu ser um teólogo em chamas! Continue lendo “Em Chamas”

Sobre Servos e Remadores

“Portanto, que todos nos considerem como servos de Cristo e encarregados dos mistérios de Deus.” 1 Coríntios 4:1

Para a igreja em Corinto, Paulo parece fazer um grande esforço parar demonstrar que como apóstolo de Cristo, ele não passa de um servo dos seus irmãos. São várias as metáforas e analogias que Paulo usa para demonstrar que a liderança cristã é mais uma oportunidade de serviço do que de senhorio. Continue lendo “Sobre Servos e Remadores”

Lições da Agenda Missionária de Jesus

mappa

O mundo em que vivemos apresenta incontáveis necessidades e desafios. Quem está na igreja se questiona sobre a atuação da mesma frente aos problemas que sangram todos os dias na sociedade. A questão que surge é “o que a igreja deve fazer neste cenário?” e “por onde começar?” É bem verdade que a igreja não é uma instituição cujo fim é reagir a tudo o que ocorre. A igreja existe para glorificar a Deus no panorama da eternidade. Porém, é impossível ficarmos alheios ao cenário da História. E questões como as levantadas acima tratam dos compromissos, das atividades e das prioridades do povo de Deus no mundo, enquanto entidade eterna e histórica. Por esta causa, proponho uma reflexão sobre a agenda missionária da Igreja. Continue lendo “Lições da Agenda Missionária de Jesus”

O Maior Problema da Interpretação

Nos últimos post tenho enfatizado o quanto uma metodologia hermenêutica adequada é fundamental para a Teologia. No post Escravidão, Escritura e Hermenêutica tentei demonstrar que existem alguns pressupostos hermenêuticos que não são adequados para a interpretação bíblica, mesmo quando são defendidos por cristãos zelosos e apaixonados pela escritura. Nesse artigo, pretendo continuar falando sobre hermenêutica, e gostaria de demonstrar o que acredito ser o maior problema da hermenêutica bíblica. Continue lendo “O Maior Problema da Interpretação”

A Escravidão, a Escritura e a Hermenêutica

“Se essa fosse uma questão a ser determinada por minha simpatia pessoal, preferência ou sentimento, eu seria tão rápido quanto outros homens a condenar a instituição do trabalho escravo, por que todos os meus preceitos educacionais, hábitos e posição social estão em completa oposição a escravidão. Entretanto, como cristão, eu sou compelido a submeter meu intelecto fraco e pecador à autoridade do Todo Poderoso. Por que apenas assim posso estar seguro das minhas conclusões” – John Henry Hopkins

Continue lendo “A Escravidão, a Escritura e a Hermenêutica”

É o nascimento virginal de Cristo resultado de um problema de tradução?

Talvez você não saiba, mas um nascimento virginal não é tão raro quanto você imagina. 

De acordo com um estudo recente, nos Estados Unidos, cerca de uma em cada 200 mulheres afirma que engravidou virgem, como demonstra a pesquisa Like a virgin (mother)” – “Como uma (mãe) virgem” –  da Universidade da Carolina do Norte realizada em Chapel Hill e publicada pouco antes do Natal em 2013. O conceito de um nascimento virginal é tão inacreditável que foi necessário um estudo para descobrir as razões por trás dessas afirmações improváveis ​​em nossos dias. O fato é: Um nascimento virginal é simplesmente impossível. Continue lendo “É o nascimento virginal de Cristo resultado de um problema de tradução?”

Por uma Reforma na Igreja Brasileira

Enquanto comemoramos e refletimos a respeito da Reforma Protestante, uma pergunta ainda nos resta: Será que a Igreja Brasileira não precisa passar por uma reforma? Será que não precisamos voltar às escrituras, ao Cristo ressurreto, ao evangelho? Já não basta mais relembrar a história, a teologia e a mensagem da Reforma Protestante se nós não estamos dispostos a batalhar pela Reforma da igreja brasileira hoje. A única razão que nos faz olhar para o passado e relembrar nossas raízes é nos preparar para lutarmos no presente por uma igreja centrada em Cristo no futuro. É por isso que nesse post, deixo dois comentários a respeito da igreja Brasileira feitos por teólogos brasileiros sobre a necessidade de uma reforma genuína para Nossa Igreja Brasileira. Continue lendo “Por uma Reforma na Igreja Brasileira”

Halloween

Com invasão da cultura americana no Brasil, seja na música, no cinema ou até mesmo na fala (o backup que o diga), a festividade conhecida como Halloween tem gerado alguma polêmica entre os cristãos pelo fato de que tal festa sido incorporada em muitos lugares do nosso país. Por todos os lados na internet encontram-se artigos apontando para os riscos e perigos de tal festividade. É portanto comum que pessoas se perguntem: Como Cristão, posso ou não posso participar da festa de Halloween? Por receber essa pergunta algumas vezes, resolvi escrever esse artigo sobre o assunto. Continue lendo “Halloween”

Por que sou contra o aborto

Poucas coisas nesse mundo causam-me desgosto. Por assumir uma visão normativamente negativa da humanidade, acredito que a existência e a prática de atos deploráveis são possíveis aos homens, em qualquer época e lugar, religião ou filosofia, por qualquer razão ou falta dela, a quem quer que seja por quem quer que for. E isso é claramente demonstrado na experiência humana, seja nos livros de história ou nas histórias do Datena. Num mundo com claras tendências ao mal, tenho a convicção de que a maldade do homem pode ser  manifesta de diferentes modos e a qualquer momento. Entretanto, a questão da luta pela liberdade do aborto me causa um amargo desgosto.

Continue lendo “Por que sou contra o aborto”