Em Chamas

Certa vez, um jovem cristão da igreja Assembléia de Deus e estudante de teologia participou de um culto onde um jovem evangelista pregava. Na ocasião, esse evangelista contou uma história que o jovem estudante de teologia já conhecia, e sabia que o evento não tinha acontecido tal como contava o evangelista. Na manhã seguinte, ele resolveuContinuar lendo “Em Chamas”

Sobre Servos e Remadores

“Portanto, que todos nos considerem como servos de Cristo e encarregados dos mistérios de Deus.” 1 Coríntios 4:1 Para a igreja em Corinto, Paulo parece fazer um grande esforço parar demonstrar que como apóstolo de Cristo, ele não passa de um servo dos seus irmãos. São várias as metáforas e analogias que Paulo usa para demonstrarContinuar lendo “Sobre Servos e Remadores”

Estupro, machismo e a mania de culpar a Igreja

Eu fico admirado com a quantidade de heróis sociais evangélicos que se levantam na web para mostrar toda a sua indignação e culpar as igrejas e o cristianismo. Agora virou moda jogar para a torcida e atacar o próprio arraial quando algo de trágico ocorre no mundo. Dá ibope. A Igreja e os cristãos viraramContinuar lendo “Estupro, machismo e a mania de culpar a Igreja”

Halloween

Com invasão da cultura americana no Brasil, seja na música, no cinema ou até mesmo na fala (o backup que o diga), a festividade conhecida como Halloween tem gerado alguma polêmica entre os cristãos pelo fato de que tal festa sido incorporada em muitos lugares do nosso país. Por todos os lados na internet encontram-se artigos apontando para osContinuar lendo “Halloween”

A Questão da Homossexualidade

VOX SCRIPTURAE (5:1 – Março de 1995; 43 – 70). Este artigo também foi publicado em Todah Elohim em forma de série, nomeada “A Questão da Homossexualidade.” Todo o texto pode ser visto num formato amigável no issuu (clique aqui) por, Carlos Osvaldo Pinto e Luiz A. T. Sayão[1]

Eu também tenho um sonho

No dia 28 de Agosto de 1963 nos degraus do Lincoln Memorial em Washington D.C., Martin Luther King proferiu um discurso que defendia a integração e relacionamento interracial nos Estados Unidos que ficou internacionalmente conhecido como “I have a dream” (Eu tenho um sonho). O sonho de Martin Luther King era fundamentado no sonho americano de liberdadeContinuar lendo “Eu também tenho um sonho”