Conceituação Bíblica

PRIMEIRA PARTE: Conceituação Bíblica


1. Breve Teologia da Evangelização

Quando evangelizamos alguém, todos nós cristãos carregamos conosco alguns pressupostos teológicos que norteiam o conteúdo da nossa mensagem, ainda que não tenhamos parado para analisar. Pressupostos estes que influenciam na forma em que proclamamos e nas expectativas que alimentamos com relação ao que é proclamado.

[Leia +]

2. A Evangelização Origina em Deus

Deus tem um propósito que foi expresso por todos os tempos. Em Salmo 57.5,11; 72.19; 102.15, notamos a presença de uma oração, onde a expectativa do salmista é: “que a glória do Senhor encha a terra”. Os salmos são expressões de louvor, de adoração e de exaltação. As orações dos salmistas eram baseadas em revelações. Tendo isso em mente, não podemos cometer o erro de interpretar os Salmos sem o contexto teológico do Antigo Testamento.

[Leia +]

3. O Interesse Universal de Deus

O Testemunho das Escrituras é claro em fornecer a Imagem de um Deus que se interessa pelo o homem e por todos os homens. O Deus apresentado nas escrituras não tem prazer na morte de ninguém (Ez.18.32), nem mesmo do perverso (Ez.18.23). Por essa razão ele mesmo se Deus em resgate da humanidade (At.20.28), para que o retorno, conversão, a Deus pudesse ser reestabelecido. Esse desejo universal de Deus é percebido no AT e NT.

[Leia +]

4. A Necessidade do Homem

Além de a evangelização iniciar em Deus e de Seu claro interesse por todos os homens, temos que considerar que existe no homem a completa ausência de mérito para alcançar a salvação. Em outras palavras estamos dizendo que o homem não é capaz de salvar-se, ou de produzir a salvação de alguém ou para alguém. Entretanto, é fundamental notar que tal necessidade é apenas real após a Queda, pois, o homem não foi criado assim.

[Leia +]

5. A Solução Divina para o Homem

Nós normalmente falamos sobre um PLANO DA SALVAÇÃO, principalmente quando estamos envolvidos na tarefa de anunciar o evangelho. O uso do termo “plano” é muito interessante, pois reconhece que alguém teve que organizar e planejar o que se propôs a cumprir. Ora, se Deus é o Arquiteto de tal projeto, reconhecemos que Ele o estabeleceu por completo, e que, por sua Graça e Soberania o executou na história. Segue-se que confirmamos que a Evangelização nasce em Deus, que Arquitetou o Plano da Salvação.

[Leia +]