Teologia Sistemática

Durante o ano de 2004 tive o privilégio de fazer parte da equipe do IMPV em Benevides-PA, e ao lado de Greg Hummel lecionei Teologia Sistemática II para os alunos do Projeto Marcos. O material produzido na ocasião é reproduzido aqui com algumas adaptações e complementos.

Entretanto, vale a nota de que são artigos introdutórios e nenhum deles tem a pretenção de ser exaustivo. Alguns artigos complementares acabaram por se tornar mais extensos que os originais, mas ainda assim são textos introdutórios.

Em alguns dos artigos, especialmente os de soteriologia, a opinião do autor é apresentada de modo mais intenso do que faria se estivesse a escrever esse material hoje. Por isso leia com cautela!

Em cada tema do estudo teológico abaixo existem vários artigos e você pode acessá-los ao clicar nos títulos dos mesmos. Caso algum link esteja corrompido ou mal direcionado, por favor, deixe-me saber.

A quem interessar, a versão original está disponível em nossa página de Downloads.

Todos os comentários são bem-vindos e espero contar com os seus.

Faça bom proveito!

Marcelo Berti

ANTROPOLOGIA

1. Introdução

A antropologia, por definição, nada mais é do que o estudo do homem.  Entretanto a Antropologia bíblica difere-se da Antropologia científica em fundamento, abordagem e propósito.

[Leia +]

2. Origem do homem

Por certo não existe pergunta com maior bagagem de discussão do que esta: “De onde veio o homem?” Historicamente o homem, como ser intelectual, vem buscando respostas para essa pergunta. Desde a Antigüidade mais remota se encontra relatos de civilizações antigas que tentam responder a essa pergunta. No entanto, nenhuma resposta está próxima do fato narrado nas escrituras

[Leia +]

3.  Criação do homem

O homem é criado por Deus (cf. Mt.19.4; Rm.5.12-19; 1Co.15.45-49; 1Tm.2.13), e não existe verdade mais estupenda do que esta. Somente Deus seria a causa suficiente e razoável para explicar a complexidade da vida humana. Somente na palavra de Deus pode-se encontrar uma revelação especial das atividades de Deus na CRIAÇÃO do universo e de tudo o que nele existe

[Leia +]

4. Imago Dei

sse tópico visa cuidar especificamente do aspecto  mais interessante do homem, a saber a Imagem e a Semelhança de Deus em que foi criado o homem. Normalmente nas obras de Teologia Sistemática utiliza-se um termo em latim para designar esse fato, Imago Dei (Imagem de Deus), e por isso continuam nesta forma neste estudo.

[Leia +]

5. Constituição do homem

Este tópico visa demonstrar biblicamente os aspecto da constituição humana. Sistematicamente, pode-se definir duas possibilidades de interpretação para os aspectos da constituição humana: (1) Tricotomia, e (2) Dicotomia.

[Leia +]

6. Aspectos Imateriais do Homem

Como tem sido demonstrado, o homem é um ser completo e unitário, embora bipartido. Ou seja, em sua inteireza o homem é constituído de duas partes, material e imaterial. O aspecto material do homem é muito bem entendido, pois se sabe o necessário sobre esse aspecto, que é bem entendido pela biologia. Entretanto, a parte imaterial é constituída de algumas facetas que merecem nossa atenção. Assim,neste tópico estaremos estudando esses aspectos imateriais do homem.

[Leia +]

7. Origem da Alma

É muito complicado tentar responder a pergunta: “De onde veio a alma deste indivíduo?“. Tentar responder essa pergunta não é uma atitude recente. Cristãos antes de nós já o tentaram fazer, mas todos de maneira insuficiente. Assim, é importante reconhecer as diversas opiniões sobre o assunto.

[Leia +]

HAMARTIOLOGIA

1. Introdução

A doutrina do pecado é uma das mais importantes doutrinas da teologia crista, pois ocupa-se a ressaltar a condição que o homem está em função do pecado, demonstrar sua impossibilidade em agradar a Deus, com o objetivo de demonstrar que o homem está perdido e abismado em relação a Deus, e que, sozinho não pode fazer nada para alterar essa realidad

[Leia +]

2. Condição original do homem

Ao tratar do homem como criação de Deus, pode-se chegar a conclusões como essa: Existe uma dignidade latente no homem. Existe algo de realmente grandioso no homem. Mas deve-se ressaltar que isso é apenas perceptível no homem original. Não podemos elevar o homem às alturas, pelo fato de que hoje não está na mesma condição, está destituído de Deus, alheio à Sua Vida. É como um belo pássaro livre gravemente machucado, tem asas mas não pode voar.

[Leia +]

3. Queda

A queda é o marco da origem do pecado no mundo e de todas as deficiências que existem nele. É o momento histórico que explica tanto a origem de todo o mal existente no mundo, como a concepção correta do pecado. Assim, não compreender o pecado do ponto de vista do Velho Testamento impossibilita vislumbrar a maravilhosa graça no Novo Testamento.

[Leia +]

4. Definição de Pecado

Antes de uma definição significativa do pecado é válido buscar informações tanto no Velho como no Novo Testamento, com a intenção de buscar informações que revelem a realidade do pecado.

[Leia +]

5. Depravação do homem

O pecado, como demonstrado, não é apenas uma atividade, um ato de agressão à dignidade e santidade de Deus, mas é tudo o que não se conforma com a Lei Moral de Deus, e isso inclui o estado em que o homem se encontra, bem como a culpa judicial que carrega.

[Leia +]

6. Conseqüência da Queda

A Queda implica diretamente na separação espiritual com Deus. Em função da entrada do pecado no mundo, o homem está privado de desfrutar dessa bem-aventurança, pois Deus não pode conviver, nem manter comunhão com o pecado. Por essa razão afirma-se não existir mais comunhão direta entre Deus e os homens.

[Leia +]

Sobre Hamartiologia, veja também:

A. Conceituações Teológicas do Pecado

B. Pecado Original e Depravação Total


SOTERIOLOGIA

1. Introdução

A doutrina da Salvação tem grande lugar na teologia e na prática ministerial, contudo não tem devida evidência na atualidade. O descrédito atual pelo conceito correto da salvação tem causado grandes problemas para a Igreja em geral. Em nossos dias a Igreja está centralizando suas atividades evangelísticas em entretenimento, sociabilidade, projetos sociais, contextualização, enquanto se esquece do primordial: “A salvação é pela Graça.

[Leia +]

2. Questões Anteriores

Duas coisas são indisputáveis: Deus é soberano, o homem é responsável. Ressaltar a soberania de Deus, sem acentuar, ao mesmo tempo, que a criatura é responsável, tende ao fatalismo; preocupar-se tanto em manter a responsabilidade do homem, ao ponto de perder a soberania de Deus, é exaltar a criatura e rebaixar o Criador.

[Leia +]

3. Redenção: Um Plano Histórico

Se ignorarmos o grande fim a que se dirige o plano da redenção, ou as relações das diferentes partes do plano, ou tivermos uma falsa concepção do fim e daquela relação, todas as nossas idéias serão confusas e errôneas. Seremos incapazes ou de exibi-lo a outros ou de aplicá-lo a nós mesmos.

[Leia +]

4. Obra Salvífica de Cristo: O Centro

Dentro da progressão histórica do significado da salvação e da consecução da soberania de Deus em relação ao seu plano preestabelecido para salvação, o ponto mais alto, mais sublime e necessário é a Obra de Cristo. Por muitos teólogos a Obra de Cristo é considerada como um acidente na história, como se Deus fosse pego de surpresa por esse evento.

[Leia +]

5. Eleição: O Fundamento da Salvação

A Eleição é doutrina fundamental no pensamento cristão sobre a salvação. Diante desse fato ninguém dentro da ortodoxia teológica desacredita nesta verdade. Contudo, não se tem um conceito sólido sobre o assunto, pois dentro da ortodoxia teológica encontram-se, basicamente, duas formas de Eleição: a Eleição Incondicional (Calvinismo) e a Eleição Prevista (Arminianismo). Entretanto, é ainda possível observar fora da ortodoxia teológica versões sobre a salvação, pois há quem pense que Deus escolheu todos os seres humanos, de todos os lugares do mundo e de todas suas eras para a salvação (Universalismo). Assim, é necessário compreender tais possibilidades para que a verdade bíblica seja ressaltada.

[Leia +]

Sobre Soteriologia, veja também:

A. O Conceito de Redenção nas Escrituras

B. Redenção

C. Cordeiro de Deus

D. Por que Expiação

E. Pré-conhecimento

F. Era Judas Iscariotes Salvo?