Testemunha de Jeová

Introdução

Essa série de artigos nasce em uma época em que estou sobrecarregado de trabalho e por isso não se faz uma série tão completa como deveria ser. Minha intenção é sistematizar a Cristologia das Testemunhas de Jeová e demonstrar biblicamente suas incoerências escriturísticas.

Entretanto, o leitor irá perceber que não fiz todas as considerações possíveis, e isso acontece mais por falta de tempo do que de informação. Em função dessa mesma falta de tempo, também convidei outros blogueiros para escreverem sobre o assunto, pois assim os artigos podem ficar prontos mais rápido e com melhor qualidade. Assim, os artigos terão sempre indicação do autor com alguma referência sobre ele.

Abaixo passo a considerar alguns possíveis ataques TJ`s à Cristologia Reformada baseado em textos neotestamentários. A intenção é realizar uma análise breve, objetiva e clara sobre os textos em questão. Entretanto, os artigos nem sempre serão assim, pois as controvérsias merecem ser expostas com suas obscuridades iluminadas. Os artigos serão postados com o nome dos seus autores, pois nem todos são do autor deste blog.

A. A Cristologia conforme as escrituras

A acusação normal dos Testemunhas de Jeová é que as escrituras nunca apresentam a Jesus Cristo como Deus. Para eles, os textos neotestamentários que afirmam que Jesus é Deus, são texto mal compreendidos ou mal traduzidos. Mas, será isso verdadeiro? Será que existem razões para crermos que a cristologia do Novo Testamento suporta as credenciais da teologia Testemunha de Jeová? É isso que observamos aqui.

1. Jesus é [um] deus? (Jo.1.1)

Uma das principais alegações que os TJ em defesa de sua cristologia nada ortodoxa é que Jo.1.1c se corretamente traduzido será lido: “E o Verbo era um deus“. Para defender sua opinião, os TJ usam quatro argumentos principais: (1) A gramática grega favorece a tradução da TNM; (2) Um antigo exemplar no idioma copta traduz como a TNM; (3) Vários acadêmicos aceitam e usam a leitura da TNM; (4) O contexto sugere que Jo.1.1c deve ser traduzido indefinidamente.

[leia +]

2. Quem é o Deus unigênito? (Jo.1.18)

A Tradução do Novo Mundo (TMN) é a versão adaptada do Novo Testamento que os Testemunhas de Jeová consideram a Palavra de Deus. Suas traduções em muitos casos de cristologia é absolutamente tendenciosa, mas em João 1.18 isso não acontece. Por isso, analisá-lo será excelente para nosso estudo.

[leia +]

3. Quem era desde o princípio? (1Jo.1.1-3)

Nesse artigo tenho a intenção de realizar uma comparação dos três primeiros versos da primeira epístola de João, entre o texto grego do novo testamento (WHO), minha tradução pessoal (TMB) e a versão das Testemunhas de Jeová, conhecida com Tradução do Novo Mundo (TNM). O objetivo para esse tipo de avaliação é apresentar a nítida alteração do texto grego para fins teológicos realizada pelos tradutores da TNM.

[Leia +]

Em  construção

Próximos Artigos:

Tradução e Interpretação de textos

Jesus cometeu um erro de gramática? (João 8.58)
Jesus e o Pai são um mesmo? (Jo.10.30ss)
Por que Jesus não corrigiu Tomé? (Jo.20.28)
Quem é Deus sobre todos? (Rm.9.5)
Jesus e Jeová (Rm.14.11 + Fl.2.10-11 = Is.45.23)
Jesus é igual a Jeová? Como? (Fl.2.6)
Mas Jesus não é o primeiro a ser criado? (Cl.1.14-16)
O que dizer de Cl.2.9?
Jesus é Deus e Senhor? (Tt.2.13; 1Pe.1.1, 11; 2Ts.1.13; 1Co.1.13)
O que é  o que é desde o princípio? (1Jo.1.1-4)
Quem é o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna? (1Jo.5.20)
Jesus é Criado? (Ap.3.14)

Títulos Atribuídos a Cristo

As escrituras apresentam diversas declarações sobre a Pessoa de Cristo. Seja em profecias no Antigo Testamento, ou em declarações do Novo, as escrituras descrevem a Cristo como Messias, Rei, Deus além de afirmar ser ele um mero homem. Dentre as muitas designações que se pode encontrar a respeito de Cristo, chamo sua atenção para algumas delas:

1. Jesus: Deus-Homem

Os que são leitores a mais tempo do Teologando sabem que o autor deste blog tem dedicado tempo e recursos para estudar a Pessoa de Cristo, seja em questões léxicas, de crítica textual ou interpretação. Nesse artigo, vou proceder do mesmo modo que no post citado, buscando demonstrar que diante do todo das escrituras, Jesus é claramente Homem e claramente Deus. Nesse post, à semelhança do já citado artigo, não farei muitas declarações, apenas deixarei que as escrituras fale. Todas as citações provêm da ARA (Almeida Revista e Atualizada).

[Leia +]

2. Jesus: Jeová Nossa Justiça

A doutrina de Cristo é uma doutrina central no cristianismo: Não é possível falar de Cristianismo sem Cristo. Para fundamentar essa doutrina nada melhor do que recorrer às escrituras como alicerce das nossas convicções sobre Cristo, antes de qualquer doutrina formalizada. É bem verdade que muitas são as pessoas que tratam da doutrina como anterior as Escrituras e defendem ideais lógicos, mas não verdadeiros diante das escrituras. Esse equívoco percorreu a história do cristianismo, especialmente no que se refere a doutrina da Divindade de Cristo. Diversos movimentos heréticos perverteram as escrituras ao retirar de Cristo qualidades divinas claramente ensinadas pelas escrituras.

[Leia +]

3. Jesus: Deus Unigênito

Talvez o assunto mais controvertido na Teologia Joanina no escopo da cristologia deva ser o uso e aplicação do termo gr. “monogenes” a Jesus Cristo. Em primeira João vemos o termo acontecer em 4.9: “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele[1]. Nesse texto o que podemos perceber é que a manifestação do amor de Deus consiste no envio de seu filho ao mundo com o objetivo de que os que depositam sua fé nEle vivam por meio dEle. Mas, que dizer da ocasião e que Ele é chamado de Deus Unigênito (Jo.1.18)?

[Leia +]

4. Jesus: Deus Forte

Logo no primeiro século, ainda no embrião da era cristã, já surgia dentro das próprias comunidades cristãs o ensino de que Jesus não veio em carne, que não veio ao mundo em uma forma humana, com as características, feições e afeições, desejos e sentimentos humanos. E um dos motivos para isto pode parecer óbvio: a era cristã havia se iniciado há alguns anos e mesmo assim, com a maioria dos apóstolos e testemunhas oculares falecidos e com a dispersão dos crentes devido à perseguição que ocorreu no início da era Cristã, este ensino começou a ser ministrado nas comunidades cristãs onde cada vez menos testemunhas oculares estavam presentes.

[Leia +]

5. Jesus é Deus

O Testemunhas de Jeová afirmam que o texto de João 1.1 deve ser traduzido como: “E oVerbo era um deus“. Para validarem seu ideal defendem que a gramática grega suporta essa tradução. O autor anônimo do livreto “Deve-se crer na Trindade” faz a seguinte declaração na página 194 da edição inglesa: “…quando o contexto exige, os tradutores podem inserir um artigo indefinido diante do substantivo nesse tipo de estrutura oracional. Mas será que o contexto exige um artigo indefinido em Jo.1.1? Sim, pelo testemunho de toda a Bíblia de que Jesus não é o Deus Todo-Poderoso “. Será que o todo das Escrituras realmente testemunham que Jesus não é Deus?

[Leia +]

Próximos Artigos:

  • Filho de Deus
  • Filho Unigênito
  • Cristo (Messias)
  • Filho do Homem
  • Alfa e Ômega
  • Logos
  • Senhor
  • Primogênito


Prerrogativas Divinas de Cristo

Nos evangelhos sinóticos
Na Teologia Paulina
Na Teologia Joanina