Declaração de Fé

1.      Bibliologia

Creio que a Bíblia é a Palavra de Deus (Rm.3.2: “de Deus” é um genitivo de origem), a manifestação especial do Ser, dos Propósitos e das Obras de Deus de forma proposicional, sendo eficaz em promover a redenção (Rm.1.16-l7), inspirada verbal e totalmente por Ele (2Tm.3.16; Mt.5.17-18; Mt.22.42-44, IIPe.1.20-21), que utilizou homens (Mt.1.22, 2.15; IIPe.1.20-21) em plena posse de suas faculdades (ICo.1.14-16), movidos pelo Espírito (IPe.1.10-11; IIPe.1.20-21) proporcionando um texto fidedigno e sem erros nas palavras dos escritos originais, o qual salvaguardou durante séculos, como autoridade inegociável.

2.      Teologia Própria

Creio que Deus é Vivo (Jr.10.10; Jo.5.26; Rm.8.11; ITs.1.9), Espírito (Dt.4.15; Jo.4.24; ITm.1.17),  Eterno (Sl.90.2; Hb.10.1-12), Pessoal (Rm.8.28; Rm.11.33-36), Soberano (Ex.15.18; Ex.18.11; Dt.4.39; Sl.24.1, 93.1, 95.3, 96.10; Dn.6.26; Mt.6.10; Rm14.11; Ap.19.6) Auto-existente (Ex.3.14; Jo.5.26), subsistindo em três pessoas distintas (Pai, Filho e Espírito; Gn.1:1,2; 1:26,27; Mt. 3:16; Mt.28:19,20; Jo.14:16; IICo.13:13), Criador (Gn.1.1, 26, 27; Ne.9.6; Sl.24.1; Mt.19.4) Atemporal e Imutável (Sl.102.27; Jó.42.2; Hb.6.17; Tg.1.17), Onisciente (Is.40.28; Rm.11.33; Hb.4.13), Onipotente (Jr.32.17; Sl.115.3; Mt.19.26) Onipresente (Sl.39.7-10; Jr.22.23-24), Santo (Ex.15.11; Lv.19.2; Is.6.3; Hc.1.13; IJo.1.15; Ap.4.8), Justo (Ed.9.15; Ne.9.3; Sl.11.4-7, 119.137, 145.17; Jr12.1; Jo17.25; IITm.4.8; IJo.2.29), Reto (Sl.25.8), Amor (Is.54.10; Jo3.16; Jo17.23; Rm8.31-32, 38), Misericordioso (IPe.1.3, 2.10) e Gracioso (Gn.6.8; Sl.51.1; Jo.1.16; Rm.3.24, 5.2, 11.5; Ef.2.8; IICo.12.9; IIPe.3.18). Este Deus revela-se ao homem de duas formas, proposicional (cf. Bibliologia) e não proposicional, sendo que a segunda se subdivide em três, a provisão divina (At.14.15-17; At.17.24-27), a natureza (Sl.19.1-6; Rm.1.19-20) e a consciência humana (Rm2.14-15), sendo assim acessível (Sl.145.18; Jo.14.6; Hb.4.16; Tg.4.8). Este, por sua Soberania, é plenamente Hábil a exercer decretos com propósitos, executando Sua Vontade em toda Sua Criação em conformidade com Seu Plano preestabelecido  (Ef.1.11).

3.      Cristologia

Creio que Jesus é o Cristo prometido em todo o Velho Testamento (Gn.3.15; Sl.16.8, 22.1, 7; Is.52.3-12), Preexistente com Deus desde a Eternidade passada (Jo.1.1-2, 8.58, 17.5), Co-participante ativo na Criação do Mundo (Jo.1.3, 10; ICo.8.6; Cl.1.16; Hb1.1-3), Filho de Deus (Mt.4.3, 16.16-17; Jo.5.17, 22, 17.1, 20.28; Gl.4.4; Fp.2.6), acima de Tudo e Todos (Ef.1.21; Hb.1.4), nascido em sua encarnação (Mt 26:12; 8:24; 21:18; Lc 22:44; 1 Co 15:3; Jo 4:6), virginalmente (Is.7.14; Mt 1:18; Lc.1.27) de Maria (Mt 2:11, 12:47; Lc.1.27) e concebido pelo Espírito Santo (Mt.1.18), como homem (Mt.1.1; Jo.8.40; At.2.22; Rm5.15; ICo.15.21; ITm.2.5) sem detratar sua Divindade (Mt.1.17, 3.17, 8.29; Jo.1.1, 10: 28, 30, 17.21; Hb.1.8, 13.8; Ap.1.8), esvaziando-se de Sua Glória e do exercício pleno de Sua Soberania assumindo forma de Servo (Jo.17.1, 5; Fp.2.5-7; Hb.12.2) sem cometer qualquer pecado (Is.53.9; Jo.4.34, 8.12, 46; Lc.1.35; At 3:14; Hb.4.15; IPe2.22, 3.18; IJo.3:5), e realizou a expiação pelos pecados do mundo (IJo1.22) através de sua morte (Jo 10:17,18; ICo 5:7; IPe 3:18), ressuscitou (Mt 28:5,8,9; Lc 24:34; Jo 20:16; 20:26,29; IITm 2:8) subiu aos céus (At.1.8, Ef.4.8-10) e voltará (At.1.11; ITs.4.13-18; Ap.21.1-8; 22.1-5).

4.      Pneumatologia

Creio no Espírito Santo como Pessoa (Jo.14.26; Rm8.14, 16) Inteligente (Rm 8:27; ICo.2.10-11), possuindo Emoções (Ef.4.20; Rm 15:30; Is 63:10) e Volição (ICo.12.11). Creio ainda Nele como Deus (Jo.14.16; At 5:34; Rm.8.15; ICo.6.11; IICo.3.17), fato demonstrado pelas perfeições que lhe são Atribuídas, como Onisciência (ICo.2.10-11), Onipresença (Sl.139.7-10), Onipotência (Gn.1.2; Lc.1:35), Verdade (IJo.5.6), Santidade (Lc.11.13), Vida (Rm8.2) e Sabedoria (Is.40.13) e testemunhada por suas obras, tais como a Criação (Gn.1.2), Inspiração (IIPe.1.21), Convencer o homem do juízo, justiça e pecado (Jo.16.8-11), Regenerar o homem (Jo.3.5-6; IICo.5.17; Tt.3.5), Consolar (Jo.14.16), Interceder (Rm.8.26-27) e Santificar (IITs.2.13), Habitação no homem (Jo.14.16-17; ICo.6.19; Ef.2.21-22) Batismo (1Co 12:12,13).

5.      Satanalogia

Creio que Satanás seja um ser espiritual (Ef.6.11-12), criado (Ez.28.14), pertencente a classe dos anjos e querubins (Ez.28.14) e que era a mais exaltada das criaturas angelicais (Ez.28.12), possuindo Intelecto (IICo.11.3), Emoções (Ap.12.17) e Vontade (IITm.2.26).  Creio que este seja homicida (Jo.8.44), mentiroso (Jo.8.44), acusador (Ap.12.10) e adversário (IPe.5.8), de grande poder (Is.14.15-20), embora possua limitações em termo de ação, pelo fato de ser criatura, não podendo atuar nos cristãos (Tg.4.7) e sendo limitado pelo próprio Deus (Jó.1.12). Contudo, atua diretamente na história, cegando entendimento dos homens (IICo.4.4), retirando a semente lançada em seus corações (Lc.8.12), para que cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Também atua na vida do crente o tentando a mentir (At.5.3), acusando e difamando (Ap.12.10), dificultando seu trabalho (ITs.2.18), tentando à imoralidade (ICo.7.5) e levanta perseguições contra os crentes (Ap.2.10).

6.      Angelologia

Creio nos anjos como criação divina (Cl.1.16), antes da criação do mundo (Jó.38.6-7) e em santidade (Jd.6), possuindo Intelecto (IPe.1.12), Emoções (Lc.2.13) e vontade (Jd.6), como seres espirituais (Hb.1.14) que não se reproduzem (Mc.12.25), não morrem (Lc.20.36), são distintos dos seres humanos (Sl.8.4-5) e inferiores a Cristo (Hb.1.4, 6), mesmo possuindo grande poder (IIPe.2.11). Creio que estes ministram aos crentes os ajudando (Hb.1.14), envolvidos com as respostas às suas orações (At.12.7), encorajando nas horas do perigo (At.27..23-24). Creio que ministram aos descrentes anunciando (Gn.19.13; Ap.14.6-7) e aplicando o juízo divino (At.12.23).

7.      Antropologia

Creio no homem como Criado por Deus (Gn.1.27; 2., 21-23; Is.17.7; 43.7, 45.9,12; Jr.1.5; Sl 100.3; 139.13-16) à Sua Imagem e semelhança (Gn.1.27) e por culpa da queda e do pecado (Gn.3.1-7; Rm.3) sofre em sua fragilidade (Gn.3.16-19, 6.3; Sl.9.20; 39.5, 6, 11; 49.12,20; 62.9; 90.5; 103.14-16; 144.4), finitude (Gn.6.3; Gn.20.3), depravação total (Jo.5.42; Rm.7.18. 8.7; Ef.4.’8; IITm.3.2-4; Tt.1.15; Hb.3.12) e incapacidade total em agradar a Deus (Jo.3.5, 8.34; Rm.7.18, 24, 8.7, 8; ICo.2.14), necessitando de redenção por estar debaixo do pecado (Rm.3.1-10, 21-23) e a justificação por meio da fé (Rm.3.28, 5.1-2), para ser reconciliado com Deus (Rm.5.10-11).

8.      Eclesiologia

Creio na Igreja como Corpo vivo de Cristo (Ef.1.22-23, 4.4, 12, 15-16; Cl.1.18), distinta de Israel (Rm.3.20, 28; 11.11-24; Ef.2.15-16), embora participe de suas bênçãos (Rm.11.11-24). Creio que, no Corpo de Cristo todos os cristãos devem realizar sua vocação (Mt.28.19-20; Ef.4.1-3, 6) no exercício dos distintos dons (ICo.12.28-30; Ef.4.10-16) preservando a unidade do Corpo “único” no Espírito (Ef.4.3-4). Creio que este Corpo tem ordenanças claras, como o batismo (Mt.28.20; At.2.41, 8.38, 10.47, 16.33, Rm.6 Hb.9.10) e a Ceia do Senhor (Mt 26:26-29; Mc 14:22-25; Lc 22:15-20; At.20.7; 1 Co 11:23-25), e propósito de Glorificar a Deus.

9.      Soteriologia

Creio que o homem, por causa da queda (Gn.3) necessita ser redimido. Por isso Deus ao permitir a possibilidade de queda, pelo fato de ter criado a árvore do conhecimento do bem e do mal, toma sobre si a responsabilidade da redenção, anunciada desde a queda (Gn.3.15). Assim inicia-se a história da redenção, onde Deus estabelece os meios a fim de que o homem possa ser reconciliado com Deus. Creio que Deus em Sua Soberania estabelece propósitos os quais se propõe a cumprir (Ef.1.11; Jó.42.2; Sl.115.3), tais como a eleição de Israel como povo pactual (Gn.12.1-3), e a rejeição deste (Is.1.9, 10.22-23; Os.1.9-10; Rm 9.30-31). Creio ainda que Deus decretou livre (Is.14.24, 27; Jó.23.13; Is.46.9-10) eterna (Ef.3.10-11; 1Tm.1.9; Tt.1.2) sabiamente (Ef.1.11; 2Tm.2.13; Rm.11.33-34) com o objetivo sendo sua Glória (Rm.11.36; Rm.16.27; Ap.1.6) a Cruz como sendo parte de seus propósitos anunciados desde Velho Testamento (Gn.3.15; 12.1-3; 15; 17; Dt.10.15; Ex.19.4-6; Dt.17.15-15; Ex.12; 15; 2Sm.7; Is.52.13-53.12; Mq.5.2-3; Sl.85.28-37; Sl. 123.11-12; Sl.2.6; Sl.45.6-7; Sl.89.27-29; Dn.7.13-14; Is.9.6; Jr.23.3-6; Sl.45.5; Sl.110.3.4; Zc.3.8; Zc.6.12). Creio que Cristo morreu em substituição pelo pecador (Lv.1.2-4; 16.20-22; 17.11; Is.53.6, 12; Mt.20.28; Mc.10.45; Jo.1.29; 11.50; Rm.5.6-8; 8.32; 2Co.5.14, 15, 21; Gl.2.20; 3.13; 1Tm.2.6; Hb.9.28; 1Pe.2.24), promovendo redenção (conceito de redenção: terra – Lv.25.25, 47, 48; parente – Rt.3.9; cf. Os.3.15; Is.43.3, 10-14; escravo Ex.21-1-6; Dt.15.15-17; informações gerais: Ex.13.12; 21.28; 30.12; Nm.18.15-17; Sl.130.8; Is.59.20; sangue: Hb.9.22 cf. Lv.17.11; Ap.5.9, 10; idéia de compra: Mt.13.44, 46; 14.15; Mc.6.36; Lc.9.13; Gn.41.57, 42.5, 7; Dt.2.6; 1Co.6.20; 1Co.7.23; Gl.3.13; mediante alto-preço 2Pe.2.1), efetuando plena libertação (Mt.20.28) e reconciliação (Rm.5.10; 11.15; 2Co.5.18-21; Ef.2.16; Cl.1.20-21)sendo entregue por Deus como propiciação (Jo.3.36; Rm.1.18-32; Ef.2.3; 1Ts.2.16; Ap.6.16; 14.10, 19; 15.1, 7; 16.1; 19.15; 1Jo.2.1-2; Rm.3.25; 1Jo.4.10; Ex.25.17-22; Lv.16.14.15;) pelos pecados do mundo inteiro (IJo.1.22). Assim, creio que o sacrifício de Cristo é suficiente para todo o homem (IITm.2.6), sendo eficiente a muitos que crêem (Rm.5.19). Creio na eleição incondicional (Gn.12.1-3; Lv.8; Dt.7.6, 14.2; 1Sm.17.1-12; Sl.33.12; Is.8.14 (cf.1Pe.2.8); 41.8, 9; 42.1; 43.20, 21; 65.9, 22; Mt.22.14; 24.22; 24.24; Mc.3.13-19; 13.27; Lc.18.7; Jo.1.13; 6.37, 44, 65; 10.29; 15.16, 19; 17.2, 6, 9, 12, 24; At.2.39; 13.48; 18.27; Rm.8.28-30; Cap.9; Cap.11; 16.13; 1Co.1.27-30; Gl.1.5-16; Ef.1.3-6, 11; 2.8-10; Cl.3.12; 1Ts.1.4; 2Ts.2.13; 3.2; Tt.1.1; 1Tm.1.9; 2Tm.2.10; Tg.1.18; 1Pe.1.2-5; 5.13; 2Pe.1.10; Ap.17.14), para salvação (1Ts.5.9; 2Ts.2.13); restrita em seu alcance (Mt.22.14; At.13.48), independente da vontade do homem (Jo.1.13; Rm.9.16), precedente a obediência, a santificação e ao exercício da fé (Ef.1.3; Rm.8.29; 1Pe.1.2; Rm.9.11-12) realizada em amor (Ef.1.4-5), fundamentada na graça não meritória (Ef.2.8; Ef.1.5-7), e na Soberania (1Co.1.26-29; Tg.1.18; Rm.9.20, 21)e implica no chamamento eficaz (Rm.8.28; Rm.9.23-24; 1Co.1.24) e na preterição (Rm.9.18; Rm.9.22; Rm.11.7-8; Jo.12.39; 1Pe.2.8; Pv.16.4; 2Pe.2.12; Jd.4; Jo.8.43-44; Rm.9.17). Creio piamente na responsabilidade humana (Ef.1.13) não como autonomia mas como liberdade restringida (Rm.6). Creio que Deus, em Sua Soberania salva aos que crêem (ICo.1.21).

10.    Escatologia

Creio que haverá o Arrebatamento (ITs.4.13-18; cf. At..1.11; Ap.21.1-8; 22.1-5), onde os que em Cristo morreram serão ressuscitados (ITs.4.16), ou seja, cristãos, em um evento único, indivisível (ICo.15.52) e que haverá um encontro com Cristo nos ares (ITs.4.17). Creio que após esse evento se iniciará a Grande Tribulação, sendo esta a Septuagésima semana de Daniel (Dn.9). Esse período será de 7 anos (Mt. 24.14; Mc.13.14,19; Dn.9.27; Ap.11.2-3, 12.6,14, 13.5). Durante esse tempo o Anticristo atuará de maneira devastadora sobre a terra (Dn.7.8; IITs.2.3-4),  haverá, ainda, um levantamento militar contra Israel, antecedendo a Batalha do Armagedom. Por outro lado, a igreja, que foi assunta aos céus, passará por um tempo de julgamento (Rm.14.10; Ico.3.10-15; IICo.5.10), e festa (Ap.19.7,9). Creio que a segunda volta de Cristo será pessoal, visível e corpórea (Zc.14.1-5; Mt.16.27; At.1.11; Ap.1.7), tendo por objetivo instaurar o Reino já iniciado anteriormente. Neste tempo, o Anticristo e o Falso Profeta, serão jogados no lago de fogo (IITs.2.8; Ap.19.19-20) e Satanás será preso por Mil Anos (Ap.20.1-3). Creio que, é nesse momento que os santos de todas as eras ressuscitarão para reinar com Cristo, durante o período de prisão de Satanás (Jó.19-25-27; Is.26.19; Dn.12.2-3; Ap.20.4). Então se dará início o Milênio (IISm.7.10-16; Is. 2.1-5, 32.1-5; Zc.14.9; Ap.20.1-4). Ao fim do Milênio, Satanás será solto (Ap.20.7-10). Neste tempo ele sairá ao derredor da terra com o propósito de encontrar e seduzir pessoas a se rebelarem contra o Rei. Todo o exercito, porém, será destruído, e Satanás finalmente será lançado no Lago de Fogo e Enxofre. Creio que após esse evento, haverá O Grande Trono Branco (Ap.20.11-15) que será o julgamento das pessoas que morreram sem Cristo, a fim de serem condenadas a passar a eternidade no lago de fogo (Ap.20.11-15). Após sua realização, tomará lugar a eternidade com bênçãos infindas para os salvos e tormento para os perdidos (Ap.21.1-8; 22.1-5).