Teologando Sobre o Jesus Histórico – Parte 2

No post anterior tive a oportunidade de iniciar um diálogo sobre e o Jesus Histórico  com o pessoal do Bibotalk, mas como a conversa foi longa, um segundo podcast sobre o assunto foi colocado no ar hoje. Nesse episódio chamado A Busca do Jesus Histórico nós conversamos sobre questões conceituais ligadas à pesquisa do Jesus Histórico, como pressupostos, métodos de pesquisa, diferentes abordagens e em especial como nós cristãos podemos fazer parte desse empreendimento histórico-teológico.

Se você quiser baixar o audio dessa conversa, clique aqui.

A Versão Copta Saídica e a Divindade de Cristo

Em Março de 1923, a cerca de 45 kilômetros ao sul de Asyult, entre Cairo e as montanhas de Aswan no lado leste do rio Nilo próximo ao vilarejo de Hamamieh, num antigo cemitério do período Romano, Guy Brunton encontrou um vaso de barro enterrado perto de antigas sepulturas Coptas. Nesse vaso, Brunton encontrou um grupo de manuscritos que pareciam serem feitos de papiros que estavam enrolados e bem preservados. Tratava-se de um documento com características litúrgicas (ou seja, um documento utilizado por uma comunidade cristã e não por um indivíduo), que parecia ter sido usado por um bom tempo e que, por sua grafia defeituosa e desgaste, teria sido enterrado naquele cemitério. Naquele momento não se tinha a dimensão da grandiosidade daquela descoberta: Entretanto, esse documento veio mais tarde a ser identificado como o mais antigo manuscrito do evangelho de João em língua Copta jamais encontrado. Continue lendo “A Versão Copta Saídica e a Divindade de Cristo”

“Adorar a Jesus é idolatria”

Adorar a Jesus é idolatria,” de acordo com a Sociedade Torre da Vigia [STV]. De acordo com essa entidade religiosa, “a Bíblia deixa bem claro […] que a adoração — no sentido de reverência e devoção religiosas — deve ser dirigida unicamente a Deus. Moisés o descreveu como ‘um Deus que exige devoção exclusiva’.” [É correto adorar a Jesus? – Despertai, 2000, pp.27]. Oferecer adoração a Jesus Cristo seria uma violação desse princípio, e portanto, um ato de idolatria. De acordo com a STV, Jesus é digno da nossa homenagem, mas não da nossa adoração, afinal, apenas Jeová é digno de adoração. Continue lendo ““Adorar a Jesus é idolatria””

A Teologia da Reforma Protestante

A Teologia da Reforma Protestante foi a base do ataque dos reformadores, em especial Calvino e Lutero, aos erros promovidos pela Igreja Católica durante o período conhecido como Idade das Trevas. A Reforma foi, de um ponto primeiramente eclesiástico, um chamada ao retorno das escrituras: Era o momento de romper com o paganismo religioso da Igreja Católica e estabelecer os valores e princípios das escrituras, centrados em Cristo, sua Graça, na Fé verdadeira e na Glória somente a Deus.

Estes cinco valores fundamentais conhecidos em Latim como Sola Scriptura, Solo Christus, Sola Gratia, Sola Fide e Soli Deo Gloria se tornaram o fundamento da Teologia Reformada, mas com o tempo veio a ser esquecida pela Igreja Evangélica no mundo. Por isso, em 20 de Abril de 1996 a Aliança de Evangélicos Confessionais reuniu-se em Cambrigde Massachusetts e na tentativa de resgatar os valores fundamentais da reforma redigiu uma explicação do que cada um desses princípios teológicos realmente significa, e conclamou a igreja evangélica no mundo a retornar a esses valores. Continue lendo “A Teologia da Reforma Protestante”

Curso de Cristologia (16 Aulas)

Apresentação

O curso de Cristologia apresentado pelo Teologando nada mais é do que a coleção de 16 aulas ministradas pelo Marcelo Berti na Igreja Batista Cidade Universitária. A proposta deste curso é oferecer uma visão introdutória e abrangente dos aspectos mais importantes da doutrina de Cristo segundo as escrituras. Continue lendo “Curso de Cristologia (16 Aulas)”

Morte de Cristo – Declaração das Escrituras

Morte de Cristo – Declaração das Escrituras from Marcelo Berti on Vimeo.

Nessa aula trataremos das declarações bíblicas a respeito da necessidade da morte de Cristo e das implicações teológicas da mesma

Nela afirmaremos que a morte de Cristo foi em substituição dos pecadores, em redenção do pecado, para reconciliação com Deus e para aplacar a ira divina contra o pecado e o pecador.

Na próxima aula abordaremos a Ressurreição de Cristo.

A morte de Cristo: Heresias e Teorias

A morte de Cristo: Heresias e Teorias from Marcelo Berti on Vimeo.

Nessa aula iniciaremos a organizar as informações relacionadas a humanidade e divindade de Cristo e suas implicações na morte de Cristo. Também trataremos de 5 diferentes teorias a respeito da Morte de Cristo, buscando demonstrar nas escrituras suas qualidades e desvios.

Na próxima aula trataremos da necessidade da morte de Cristo e seu significado teológico de acordo com as escrituras.

A doutrina da encarnação de Cristo

A doutrina bíblica da encarnação from Marcelo Berti on Vimeo.

Nessa aula trataremos da doutrina da encarnação de Cristo de acordo com as escrituras. Nossa intenção é responder a pergunta a respeito da natureza de Cristo e do milagre da encarnação.

Para isso, iremos observar três versos que falam a respeito de Sua encarnação: 1. Jo.1.14; 2. 1Tm.3.16 e 3. Fl.2.5-11. Ou seja, vamos tratar do fato que Cristo “tornou-se o que não era sem deixar de ser o que dantes fora”.

Na próxima aula vamos tratar da morte de Cristo.