Voltemos ao Evangelho

Uma descrição artística e musical da verdade do evangelho.

Inspiradors e desafiadora verdade que nos alcançou e que deve ser por nós proclamada. Viva essa verdade!

O Evangelho apresentado

O que é o Evangelho?
O Evangelho significa “boas notícias”. É uma boa notícia sobre o que Deus fez por nós. Para entender a boa notícia, você precisa entender a má primeiro.

Nesse vídeo Mike McKinley nos dias as duas

A Exclusividade de Cristo

Bruce A. Ware Três concepções estão em evidência hoje sobre a questão de Jesus ser ou não o único caminho para salvação. Todas as três podem ser analisadas a partir da resposta que cada uma delas tem para estas duas questões fundamentais: Primeira questão: Jesus é o único Salvador? Mais explicitamente: A vida de CristoContinuar lendo “A Exclusividade de Cristo”

Curso de Cristologia

Apresentação O curso de Cristologia apresentado pelo Teologando nada mais é do que a coleção de 16 aulas ministradas pelo Marcelo Berti na Igreja Batista Cidade Universitária. A proposta deste curso é oferecer uma visão introdutória e abrangente dos aspectos mais importantes da doutrina de Cristo segundo as escrituras.

A morte de Cristo: Heresias e Teorias

A morte de Cristo: Heresias e Teorias from Marcelo Berti on Vimeo. Nessa aula iniciaremos a organizar as informações relacionadas a humanidade e divindade de Cristo e suas implicações na morte de Cristo. Também trataremos de 5 diferentes teorias a respeito da Morte de Cristo, buscando demonstrar nas escrituras suas qualidades e desvios. Na próximaContinuar lendo “A morte de Cristo: Heresias e Teorias”

Judas Iscariotes foi realmente salvo?

Em 2009 foi publicado no Teologando um artigo sobre a salvação de Judas que gerou certo desconforto nos leitores do nosso blog, em especial pela posição apresentada. O artigo foi chamado de “Era Judas Iscariotes salvo?” e alguns comentários foram oferecidos no mesmo exigem que uma versão atualizada seja postada no Teologando. Por isso, o que vemos nesse artigo é basicamente o arranjo de informações do post antigo e algumas considerações provenientes de respostas do Marcelo Berti aos leitores do Teologando.

Impossível renová-los para arrependimento – Hebreus 6

por Antônio Lazarini Neto Resumo: O presente artigo examina o texto de Hebreus 6.4-8, utilizando-se de instrumentos exegéticos para analisar as hipóteses de interpretação levantadas acerca dessa complexa passagem que faz parte da composição literária de Hebreus, definida pelo autor da mesma como “palavra de exortação” (13.22) e considerada pelos estudiosos um escrito cujo estiloContinuar lendo “Impossível renová-los para arrependimento – Hebreus 6”

Pregar o Evangelho: O Plano A de Deus

Olhar para as escrituras sempre tem sido um grande prazer para mim, mas decobrir o que Deus espera de mim é certamente tem sido muito mais prazeroso. Saber que Deus não precisa de mim (Jó.42.2) para realizar sua obra é reconfortante (Jo.15.5), mas descobrir que Ele me quer e espera de mim um engajamento comContinuar lendo “Pregar o Evangelho: O Plano A de Deus”

O Conceito de Redenção no Novo Testamento

O Novo Testamento, ao contrário do Antigo, tráz conceitos mais claros para os cristãos mas, não perde de vista seu significado original. Como sabemos, o Novo Testamento aplica eficazmente o conceito vétero-testamentário à Jesus Cristo, como o Redentor do homem. Sobre isso, Ray Summers diz que “o Novo Testamento centra a redenção em Jesus Cristo.Continuar lendo “O Conceito de Redenção no Novo Testamento”

Por que o Cristianismo escolheu a Cruz?

É bem verdade que os símbolos não tem um significado único, mas conforme o tempo e a época, carregam um significado particular. Um exemplo disto é a flor de Lótus, que é normalmente associadoa ao budismo, mas já foi usada  por chineses, egípcios e hindus antigos. Contudo apesar de sua variedade de significados, os símbolosContinuar lendo “Por que o Cristianismo escolheu a Cruz?”

Conceito de Redenção no Velho Testamento

O Livro International Standard Bible Encyclopedia, organizado por James Orr, diz que “a idéia de redenção no Antigo Testamento tem início a partir do conceito de propriedade (Lv.25.26; Rt.4.4)[1]“. Um preço era pago em dinheiro, em conformidade com a Lei, para comprar novamente uma propriedade que necessitasse ser liberta ou resgatada (Nm.3.51; Ne.5.8). E aContinuar lendo “Conceito de Redenção no Velho Testamento”