Criação do Homem (TS)


O homem é criado por Deus (cf. Mt.19.4; Rm.5.12-19; 1Co.15.45-49; 1Tm.2.13), e não existe verdade mais estupenda do que esta. Somente Deus seria a causa suficiente e razoável para explicar a complexidade da vida humana. Somente na palavra de Deus pode-se encontrar uma revelação especial das atividades de Deus na CRIAÇÃO do universo e de tudo o que nele existe. “Nenhuma outra literatura no mundo é tão repleta de revelação direta destinada a informar a mente do homem e orientar pesquisas científicas como essas primeiras páginas da Bíblia[1]“.

A criação é relatada em dois textos distintos em Gênesis: 1.26,27 e 2.7, 21-23. Essa duplicidade de relatos tem feito com que alguns teólogos questionem sua validade e veracidade. Alguns afirmam que existe certa contradição entre os relatos ou até que existem duas fontes na qual o autor deve ter pesquisado. “A alta crítica é de opinião que o escritor de Gênesis juntou duas narrativas da criação (…) e que as duas são independentes e contraditórias[2]“.

No entanto, seguindo o plano do autor de Gênesis nota-se que a segunda narração trata-se de uma descrição mais detalhada da criação. “O primeiro registro da criação do homem reporta com simplicidade sublime um tema muito difícil“, mas não de maneira insuficiente. “No detalhe acrescentado que caracteriza o segundo registro, está declarado que homem e mulher são parecidos no aspecto físico, por ter sido diretamente – como no caso do homem – e indiretamente – como no caso da mulher – do pó da terra” [Chafer, Vol. II. pp.546].

Para os cristãos convictos pouco importa se a ciência afirma, em caráter científico bem fundamentado ou não (como é o que acontece), que a historicidade de terra é bem maior que a sustentada por alguns teólogos, visto que não viola o texto bíblico de maneira nenhuma. “Seja num tempo ou noutro, permanece verdadeiro que Deus Criou o homem imediata e diretamente” [Chafer, Vol. II. Pp.547]. Segue-se, então que é possível concordar com Strong quando se propõe a definir o ato da criação da seguinte maneira:

“Criação é o ato livre do Deus trino pelo qual, no princípio, para sua glória, ele fez, sem uso de matéria preexistente, todo o universo visível e invisível[3]“.

Criação pode ser compreendida como origem com desígnio, pois é impossível que o homem tenha capacidade de imaginar um Ser Pessoal como criador, sem que o tenha conhecido como tal. Outro fato interessante, é que na criação Deus preocupou-se em formar todos os outros seres vivos a fim de que o homem pudesse ter o ambiente perfeito para viver. Ou seja, tudo o que era essencial para a existência do homem já havia sido criado por Deus. Seguindo esse raciocínio podemos ressaltar alguns fatos, ressaltados abaixo.

A.           O homem foi criado diretamente por Deus

Ao observar o primeiro relato bíblico da criação, não se pode chegar à outra conclusão senão que o homem é resultado da intervenção direta de Deus. Observe o versículo: “Criou Deus, pois, o homem…” (Gn.1.27). Esse versículo inibe a possibilidade da utilização de um processo evolutivo para a formação do homem. Deus não utilizou formas “preexistentes” ou subumanas de vida para formar Adão. Assim Deus não soprou o fôlego da vida em um “macaco-quase-homem” que veio a ser o primeiro homem.

No segundo relato da criação podemos percebem que Deus não se utilizou de formas orgânicas menos desenvolvidas para formar o homem, mas “formou o Senhor Deus o homem do pó da terra“. Dessa maneira podemos dizer que “essa passagem reforça o fato da criação especial a partir de materiais inorgânicos, não apoiando a idéia de uma criação derivada de alguma forma de vida prévia[4]“.

Entretanto alguns atestam que a referência ao pó da terra pode ser considerado como uma forma alegórica para um ser vivo preexistente. Mas devemos desconsiderar essa possibilidade, pois o próprio Deus afirmou que o homem voltaria ao pó quando morresse, mas o homem nunca volta a um estado animal na sua morte (Gn.3.19).

Portanto, temos que admitir, se cremos que a Palavra de Deus é infalível e inerrante como ela afirma ser, que não existe outra possibilidade verdadeira para a origem do homem fora das escrituras. Deus criou o homem de fato, e isso não pode ser negado.

B. O homem foi criado em distinção das outras criaturas

Outro fato que deve ser percebido na criação do homem é que ele não foi criado nem derivado de outras criaturas. Na descrição de Gênesis, Deus cria o reino vegetal distinto do animal, e o homem distinto de ambos. Observe:

“E disse: Produza a terra relva, ervas, que dêem fruto semente, e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cujo a semente esteja nele” (Gn.1.11)

Essa identificação exata de Deus em relação ao reino vegetal inclui até mesmo a condição da semente do fruto das árvores. Mas não se encontra aqui nenhuma referência ou semelhança com os animais ou o homem, mas declara que sua reprodução é única e exclusiva segundo a sua espécie, ou como declara o próximo versículo “conforme a sua espécie“. Fato similar acontece com os animais marinhos e as aves:

“Criou, pois, Deus os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, os quais povoavam as águas, segundo as suas espécies” (Gn.1.21)

Note que cada ser criado por Deus é criado segundo a sua espécie. E o mesmo acontece com os animais selváticos:

“E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie.” (Gn.1.25)

Assim, cada categoria de animal foi criada em conformidade com sua própria espécie, bem como a sua reprodução de acordo com essa conformidade. Segue-se que não se pode afirmar a partir do relato bíblico que houve nalgum momento da criação um processo evolutivo, mas cada animal foi criado segundo a sua espécie.

E, tendo isso como fundamento, na criação do homem não podemos atribuir a utilização de um outro ser vivo para a sua formação. Pois além de ser criado a partir do pó da terra, não pertence à espécie de nenhum outro ser vivo. Portanto, o homem é distinto de qualquer outra forma de vida.

C.           O homem foi colocado numa posição exaltada

O fato de que o homem não pertence à categoria dos animais pode ser percebido em função da criação distinta dos outros seres vivos, como uma espécie distinta de ser vivo e pela posição distinta que tem das demais criaturas.

Esse distinção em termos de posição pode ser observada na declaração:

“Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toa a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra” (Gn.1.26)

Essa identificação demonstra que existe algo especial, não somente na criação, mas na formação. Além da intervenção especial, o homem é criado à imagem e semelhança de Deus. Isso faz toda diferença entre o homem e os outros seres vivos. Mas é ainda reforçado por sua posição exaltada, pois é criado para ter domínio sobre todos os outros seres vivos. Portanto, o homem está colocado numa posição privilegiada em relação a demais criaturas.

Essa posição exaltada é ainda demonstrada de forma poética em Salmos, quando Davi escreve uma exaltação das obras de Deus dizendo:

“Quando contemplo os teus céus, obra de teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem para que dele te lembres? E o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus, e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras de tua mão, e sob teus pés tudo lhe puseste” (Sl.8.3-6)

Portanto, o homem é considerado como ápice da criação, a coroa da criação, e por isso tem sua distinção de todas as outras criações e criaturas e está acima de todas elas.  Outro fator que evidencia essa verdade é que como a criação do homem a Obra Criativa de Deus chegou ao fim. Isso pode ser observado pela frase dita pelo próprio Deus após a criação do homem: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Gn.1.31).


[1] CHAFER, Lewis Sperry. Teologia Sistemática. Hagnos:São Paulo, 2003. Vol. II pp.545

[2] BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. Cultura Cristã:São Paulo, 2001. pp.167

[3] STRONG, Augustus Hopkins. Teologia Sistemática. Hagnos:São Paulo, 2003. Vol. I, pp.547

[4] RYRIE, Charles. Teologia básica. Mundo Cristão:São Paulo, 2004. pp.271.

About these ads

9 comentários sobre “Criação do Homem (TS)

  1. Muito bom seus estudos. Irmão Maecelo preciso de um estudo sobre casamento e divorcio.
    O irmão poderia me enviar algum material.

  2. somente para esclarecimento, quando caim sai da sua familia ele vai para terra de node e se casa. então tinha outras pessoas na terra? e como se deu o processo da procriação humana?

    1. Sua pergunta é bem freqüente. Se Caim matou Abel com quem casou-se?

      Realmente acho que não posso responder essa pergunta de modo a satisfazer todos os que passam por aqui.
      Mas, deixo minhas impressões:

      (1) Adão foi pai, não apenas de Caim e Abel, mas de muitas filhos e filhas (Gen.5.1-4)
      (2) Se Adão e Eva são de fato os primeiros seres humanos, Caim casou-se com uma irmã ou até mesmo com uma sobrinha.
      (3) Se Adão e Eva são de fato os primeiros seres humanos, não existiam outros povos em outras regiões.
      (4) O local referido em Gen.4.16, Node, pode significar “exílio“. Isso parece bem sugestivo.

      1. MARCELO: O QUE MAIS ME DEIXA IRRITADO É QUE ESSES, PASTORES E TEÓLOGOS, OU NÃO LEEM CIÊNCIAS, COMO PALEONTOGIA E ANTRAPOLOGIA, OU LEEM E PROCURAM FECHAR AS MENTES PARA AS RELIDADES. ESSAS DUAS CIENCIAS PROVAM QUE HÁ 40 MIL ANOS ATRAZ, NÃO HÁVIA QUALQUER TIPO DE RELIGIÃO, CULTOS OU RITOS. NÃO SE ENTERRAVAM OS MORTOS. OS PRIMEIROS ENTERROAS SE DERAM POR VOLTA DE 35 MIL ANO PASSADOS, PORQUE OS ANIMAIS VINHA DEVORAR OS CADAVERES E ATACAVAM HOMENS, MULHERES E CRIANÇAS. COMO TINHA PAVOR DAS FORÇAS DA NATUREZA, ELES ACHAVAM QUE OS TROVÕES, RAIOS, FURACÕES E TEMPORAIS ERAM DEUSES QUE JOVAM SUAS IRAS SOBRE ELES. POSTERIORMENTE, VIERAM OS DEUSES, GREGOS E EGIPSIOS,
        QUE ERAM, DEUS SATURNO, DEUS NETUNO, HERCILES, EOLO, MINERVA, APIS,GATA, RÁ,ETC. ESSE DEUS COMO É CONHECIDO HOJE, FOI INVENTADO HÁ 10 ANOAS POR UM PICARETA ESPERTALHÃO, QUE SE APROVEITANDO DA IGNORÂNCIA DOS POVOS DAQUELA ÉPOCA TERIA DITO QUE CONVERSOU COM DEUS E QUE DEUS LHE TERIA DADO O DECALOGO. ISTO TUDO, ESSAS DUAS CIÊNCIAS PROVAM, COM ACHADOS E EXAMES DE CARBONO 14, QUE TEM UM PRECISÃO MUITO BEM PERTO DO REAL, 95%. LEMBRE-SE QUE
        AS RELIGIÕES FORAM CRIADAS MUITO MAIS POR VOCAÇÃO AO PODER E AO DINHEIRO DO
        QUE SENTIMENTO HUMANO E QUE NEM TODO SABÃO OU DETERGENTE DO MUNDO, VAI CONSEGUIR LIMPAR AS SUGEIRAS E AS IMUNDICIES DE QUANDO AS IGREJAS DOMINAVAM TODO OS POVOS. ERAM PAPAS SE MATANDO UNS AOS OUTROS PELO PODER, ERAM PAPAS QUE TINHAM MENINAS DE 14 A 18 ANOS COMO SUAS PROSTITUTAS E A MAIS CANALHA E
        CRUEL ÉRA DA INQUISIÇÃO ONDE ESSES PAPAS FILHOS DA *%&$*%# (DESCULAPE, MAS ESSE É TERMO MAIS EXATO) TORTURAVAM E MATAVAM INOSCENTE EM NOME DE DEUS. PODE FICAR CIÊNTE, TODAS RELIGÕES SE FIXAM NO PODER PELO PODER ESCONDIDAS NUMA FALSA BONDADE HUMANA.

      2. Walter,

        Obrigado por seu comentário. No Teologando críticas são bem vindas.

        Deixe-me esclarecer dois fatos para você:

        (1) O artigo em pauta não é um tratado científico sobre o assunto. O artigo que você leu é muito simples e introdutório, sobre um texto das escrituras. Não me sinto habilitado a falar sobre assuntos que não conheço, como Paleontologia e Antropologia.

        (2) O teologando não foi criado para convencer pessoas com rejeição à religião a tornarem-se adeptadas de determinada religião. O objetivo do teologando é oferecer um ambiente de debate teológico, com respeito. Tudo o que escrevo ou posto de outros autores, ou serve para auxiliar os já cristãos, ou para dialogar sobre a Teologia. Por isso o nome do blog é Teologando.

        Sobre suas suposições e apreço irrestrito à ciência (que não parece conhecer muito bem) o faz supor de modo equivocado algumas informações. Primeiro, nunca falei sobre a questão do tempo de vida do homem, apenas que não aceito as “evidências científicas” (entre aspas mesmo, pois toda evidência está sujeita à interpretação) de um homem existir ao acaso. Prefiro acredita em um Deus amoroso que cria, do que em um Acaso todo-sem-querer fazer algo tão espetacular como eu e você.

        Sobre a questão do enterro, também acho que você está desatualizado ou precisa conhecer mais sobre diferentes culturas ao redor do mundo. Por ter sido criado no norte do Brasil conheci culturas, que ainda não enterram seus mortos. Duas formas de tratamento de mortos são conhecidos (por mim) na cultura Yanomami: (1) O morto é queimado e introduzido em um minguau de banana e comido por todos os seus conhecidos e familiares. Com esse ritual eles entendem que o morto deixou de existir e nunca mais falam sobre ele. (2) Eventualmente o morto é enfaixado com panos e folhas de bananeira e deixado pendurado em arvores para apodrecer. Esse tratamento, embora menos comum, ainda acontece em algumas regiões do norte do Brasil e sul da Venezuela. Ou seja, esse ritual de tratamento de mortos, longe de ter sido um processo monolinear e universal, demonstra diferentes formas em diferentes culturas do mundo.

        Sobre a história da religião, você precisa largar seu livros de ciência (se é que leu algum) e ler um pouco mais fora da sua área (se é que você pode ser considerado alguém com apreço científico). Em suas palavras, “ESSE DEUS COMO É CONHECIDO HOJE, FOI INVENTADO HÁ 10 ANOAS POR UM PICARETA ESPERTALHÃO, QUE SE APROVEITANDO DA IGNORÂNCIA DOS POVOS DAQUELA ÉPOCA TERIA DITO QUE CONVERSOU COM DEUS E QUE DEUS LHE TERIA DADO O DECALOGO“.

        Imaginando que você esqueceu de acrescer a palavra MIL entre 10 e anos, você supõe que Moisés seja um picareta espertalhão que vivia entre um grupo de pessoas ignorantes. Se isso é verdade, como você sabe disso? Quais são as evidências que te fazem pensar que Moisés era um picareta? Nenhuma proposição pode ser aceita sem que seja comprovada. Se você assume que ele é mentiroso só por que falou com um Deus que você não conhece ou nega sua existência, você é tendencioso e não é objetivo em sua análise.

        Vamos falar sobre sua visão de religião por um momento. Em suas palavras, “AS RELIGIÕES FORAM CRIADAS MUITO MAIS POR VOCAÇÃO AO PODER E AO DINHEIRO DO
        QUE SENTIMENTO HUMANO
        “. Vamos considerar por um momento Jesus Cristo, que sabemos ter sido uma pessoa real que viveu na Palestina pouco mais de 2 mil anos atrás. Ele ensinou de modo a impactar muitas vidas, que após a sua morte vieram a pregar que Ele teria voltado à vida e voltado aos céus. Como eram judeus, em alguns casos, seguidores assíduos da religião judaica, assumir que Jesus era o Messias era assumir um risco de vida e completa rejeição aos seus antigos ideiais. Por que razão esses homens assumiriam uma mensagem escandalosa como essa se tudo o que ganhariam com isso seria a morte? Eles seguiram suas vidas sem poder e sem dinheiro e todos foram assassinados. Aliás, entre o segundo e o terceiro século, homens que haviam abraçado essa ideologia eram assassinados com frequência. Nenhum poder e nenhuma riqueza, apenas sofrimento, perseguição e morte. Só uma coisa poderia fazer esses homens e mulheres assumirem um fato como esse: Se ele fosse verdade. Ninguém se daria à morte por uma mentira. Aliás, nem pela verdade alguns estão dispostos a morrer.

        Isso me faz pensar que você fala da religião como instituição… e com essa não me identifico nem defendo. Você está certo em dizer que nem todos os detergentes do mundo seriam capazes de limpar a sujeira realizado por muitas religiões. Mas, isso não é diferente do ateísmo, não é verdade. Quantos detergentes serão necessário para limpar o ateísmo darwinista de Hitler? Esse homem não apenas abraçou o ateísmo, como defendia suas investidas contra os judeus baseado nos ideais darwinistas. Em seu livro de memórias, Hitler diz:

        Se a natureza não deseja que os indivíduos mais fracos se casem com os mais fortes, ela deseja muito menos que uma raça superior se mescle com uma inferior, por que, nesses casos, todos os seus esforços para estabelecer um estágio de existência evolucionária superior, realizado durante centenas de milhares de anos, poderiam ter-se mostrado totalmente inúteis. Mas, tal preservação anda ao lado da inexorável lei de que é o mais forte e o melhor que devem triunfar e que eles tem o direito de perdurar. Quem deseja viver, precisa lutar. Aquele que não deseja lutar nesse mundo, onde a luta permanente é a lei da vida, não tem o direito de existir.
        Mein Kampf, Londres: Hurst & Blackett, 1939, p.239-40

        Bom, não tenho a intenção de convencê-lo de nada, mas gostaria que esse comentário o ajudasse a pensar melhor sobre sua visão da vida.

        Até a próxima,
        Marcelo Berti

  3. gostei muito da maneira como vc escreve: com sabedoria e simplicidade.
    Deus te abençoe hoje e sempre.

  4. Vamos considerar por um momento Jesus Cristo, que sabemos ter sido uma pessoa real que viveu na Palestina pouco mais de 2 mil anos atrás. Ele ensinou de modo a impactar muitas vidas, que após a sua morte vieram a pregar que Ele teria voltado à vida e voltado aos céus. Como eram judeus, em alguns casos, seguidores assíduos da religião judaica, assumir que Jesus era o Messias era assumir um risco de vida e completa rejeição aos seus antigos ideiais. Por que razão esses homens assumiriam uma mensagem escandalosa como essa se tudo o que ganhariam com isso seria a morte? Eles seguiram suas vidas sem poder e sem dinheiro e todos foram assassinados. Aliás, entre o segundo e o terceiro século, homens que haviam abraçado essa ideologia eram assassinados com frequência. Nenhum poder e nenhuma riqueza, apenas sofrimento, perseguição e morte. Só uma coisa poderia fazer esses homens e mulheres assumirem um fato como esse: Se ele fosse verdade. Ninguém se daria à morte por uma mentira. Aliás, nem pela verdade alguns estão dispostos a morrer.

    Graças à DEUS!
    Por te dar sabedoria nessa resposta

  5. Que bom que temos um Deus tao grande e tao misericordioso que nos ama muito a ponto de nos fazer coroa de sua criaçao. Que bom que Deus ama tambem ate os a tóa, opss, ateu, que nao sabem o que dizem e nem tem muito nocao de ciencia, porque se observamos bem, ciencia e “religiao” nao precisam ter tantos atritos assim.
    Voce é muito sabio em suas palavras, e me ajudou muito, parabens.

Os comentários estão desativados.