Felizes para Sempre? Conselhos aos não Casados (1Co 7)

Conselhos aos Não Casados

Na quarta mensagem da série Felizes para Sempre? eu apresento quatro princípios baseados no texto de 1 Coríntios 7 para os cristãos não casados: singularidade, prioridade, simplicidade e possibilidade. Diante do ensino de Paulo aos não casados de Corinto, eu acredito que podemos aprender muito sobre o valor e a importância daqueles que não são casados para a família da fé.

Felizes para Sempre? Casamento Redimido (Ef 5)

Casamento Redimido

Na terceira mensagem da série Felizes para Sempre? eu apresento como a redenção pode revitalizar os princípios do casamento ideal apresentado por Deus na criação. Em outras palavras, aquilo que foi criado por Deus, distorcido pela queda pode ser na redenção redimido.

Na mensagem Casamento Redimido apresento como a graça reafirma os princípios essenciais do casamento e como podemos viver experimentar um casamento feliz diante da presente realidade da redenção.

Caso o leitor queira acompanhar os slides da apresentação usados na mensagem acima, use o link abaixo:

Felizes para Sempre? – Casamento Real

Casamento Real

Na segunda mensagem da série Felizes para Sempre? eu apresento como a queda desfigurou os cinco princípios do casamento ideal apresentado por Deus na criação. Em outras palavras, aquilo que foi criado por Deus bom é distorcido pela queda. 

Na mensagem Casamento Real apresento como o pecado distorceu os princípios essenciais do casamento e como podemos viver experimentar um casamento feliz diante da presente realidade do pecado nos nossos casamentos.

Caso o leitor queira acompanhar os slides da apresentação usados na mensagem acima, use o link abaixo:

Felizes para Sempre? – Casamento Ideal (Gen 1 e 2)

Casamento Ideal

Durante o mês de Outubro na Igreja Batista Fonte SP estarei ensinando sobre casamento na série Felizes para Sempre? A proposta dessa série é apresentar princípios que deveriam nortear nossos relacionamentos nos dias de hoje. Diante da atribulada vida na cidade, como é que nós podemos viver o ideal de Deus no nosso contexto? Essa e outras perguntas pretende ser respondidas nessa série.

Seguindo o exemplo do nosso Senhor, que conversando com líderes religiosos de Jerusalém usou a criação como modelo para o diálogo sobre o casamento, nós pretendemos voltar para a criação e entender o que Deus espera do casamento que Ele mesmo criou e instituiu.

Na primeira mensagem dessa série, apresento cinco princípios que encontro no relato da criação (Gen 1 e 2) e proponho algumas analogias ao casamento com aplicações contemporâneas. Essa mensagem pode ser ouvida aqui:

Caso o leitor queira acompanhar os slides da apresentação usados na mensagem acima, use o link abaixo:

Talvez, uma boa síntese do que significa um Casamento Ideal seja apresentado por Hamilton:

O clímax da criação é, curiosamente, a descrição de que o casal estava nu e não sentia vergonha um pelo outro. Naturalmente, a nudez refere-se principalmente à nudez física, mas também pode-se pensar que nenhuma barreira de qualquer tipo criaria divisões entre Adão e Eva. Victor P. Hamilton, The Book of Genesis, 181

A Pregação como Exegese Pública: A Centralidade da Escritura

ORIGINALMENTE PUBLICADO NO VOLTEMOS AO EVANGELHO


A prática da exposição das Escrituras é uma das mais importantes tarefas do ministério pastoral[1]e frequentemente estudantes de teologia e pastores no início de sua jornada ministerial tem grande dificuldade em colocar essa disciplina em prática. A diversidade de métodos e propostas, gostos e preferências pessoais do pastor e da comunidade que ele serve fazem com que o novato na arte de comunicar a mensagem de Deus sinta-se perdido. É bem verdade que os aspectos da oratória da exposição são importantes e o estudante deve dedicar-se a aprimorá-la[2], mas o pastor que quer proclamar a mensagem de Deus para sua comunidade deve estar primeiramente atento as Escrituras.
Continue lendo “A Pregação como Exegese Pública: A Centralidade da Escritura”