Humano como o homem deve ser

O ser humano para ser humano precisa tornar-se. Ele não é o que foi nem será o que deve ser. Ele é o que não quer e não quer o que deveria, e pra piorar ser humano mesmo ninguém quer. Ser humano somos todos, não apenas alguns. Ser humano somos todos, mas humano mesmo não há nenhum. Continue lendo “Humano como o homem deve ser”

Anúncios

As Heresias Favoritas dos Evangélicos

Não é novidade que a liderança da igreja evangélica contemporânea tem falhado no ensino e instrução de suas igrejas. Enquanto o apelo pelo funcional e prático transformou os cultos um modo de moeda de troca pelo benefício da popularidade, o moralismo e o legalismo se tornaram a referência da espiritualidade da igreja. Pouco tempo se investe em questões de natureza ontológica, e muito tempo em questões práticas. Não é à toa que tal inversão de valores [em comparação com a igreja dos primeiros séculos] tem criado um rebanho imaturo e despreparado para defender sua própria fé. Continue lendo “As Heresias Favoritas dos Evangélicos”

Jesus na Oração da Igreja Primitiva

por Larry Hurtado

Em vários textos neotestamentários, Jesus é apresentado como o intercessor ou advogado celestial em benefício dos crentes. Esta é uma ênfase bem conhecida na epístola aos Hebreus, é claro(por exemplo, 2:14-18; 4:14-5:10; 7:15-8:7; 9:11-22; 10:11-14). Mas esta ideia também tem reflexos tão cedo quanto na passagem da epístola de Paulo aos Romanos(8:34), onde Jesus é “aquele que intercede por nós”. Aqui, a intercessão de Jesus parece agir antes de tudo para estabelecer os crentes como aceitáveis a Deus. A carta de Paulo e a referência abreviada à ideia sugere que ele já a considerava familiar entre seus pretendidos leitores, sugerindo que ela era “propriedade comum” entre os vários tipos de círculos cristãos primitivos. Isto parece ser confirmado na referência a Jesus como o “advogado com o Pai” dos/para os crentes em 1 João 2:1. Da mesma forma, a referência em João 14:16 de “outro advogado” (ali identificado como o Espírito Santo) parece aludir à noção de que o Jesus ressurreto é advogado. A defesa de Jesus a Deus em benefício dos crentes, e a defesa do Espírito de Jesus aos crentes. Continue lendo “Jesus na Oração da Igreja Primitiva”

“Adorar a Jesus é idolatria”

Adorar a Jesus é idolatria,” de acordo com a Sociedade Torre da Vigia [STV]. De acordo com essa entidade religiosa, “a Bíblia deixa bem claro […] que a adoração — no sentido de reverência e devoção religiosas — deve ser dirigida unicamente a Deus. Moisés o descreveu como ‘um Deus que exige devoção exclusiva’.” [É correto adorar a Jesus? – Despertai, 2000, pp.27]. Oferecer adoração a Jesus Cristo seria uma violação desse princípio, e portanto, um ato de idolatria. De acordo com a STV, Jesus é digno da nossa homenagem, mas não da nossa adoração, afinal, apenas Jeová é digno de adoração. Continue lendo ““Adorar a Jesus é idolatria””

O Reino de Deus na mensagem de Cristo

“A erudição moderna revela quase que uma unanimidade ao afirmar que o Reino de Deus constitui-se na mensagem central de Jesus. Marcos introduz a missão de Cristo com as palavras: ‘Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, e dizendo: O tempo está cumprido e é chegado o Reino de Deus. Arrependei-vos e crede no evangelho’ (Marcos 1.14-15). Mateus sumariza seu ministério com as palavras: ‘E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do Reino’ (Mateus 4.23). A cena introdutória de Lucas não menciona o Reino, mas, por outro lado, cita a profecia de Isaías a respeito da vinda do Reino e depois relata a afirmação de Jesus: ‘Hoje se cumpriu esta escritura aos vossos ouvidos’(Lucas 4.21)”.  (LADD, George Eldon, Teologia do Novo Testamento, Hagnos, 2001, pp.55) Continue lendo “O Reino de Deus na mensagem de Cristo”

Natal de Verdade

cropped-banner-site-natal-de-verdade

O desejo é antigo, o tempo é escasso e a oportunidade é singular.

Ainda estávamos no início de 2013 e eu já planejava, com diferentes sugestões temáticas, o que gostaria que Natal de Verdade apresentasse nos dias que antecedem o 25/dezembro. Mas ainda que não faltassem as ideias, confesso que, devido aos compromissos do dia-a-dia, administrar o tempo para me dedicar ao projeto foi um grande desafio. Contudo,  embora o plantio tenha sido atropelado, acredito que a colheita foi bem sucedida, graças Àquele que, o tempo todo, supervisionou meus esforços. Estou muitíssimo desejoso de compartilhar os frutos com vocês. Continue lendo “Natal de Verdade”

A Figura Histórica de Jesus Cristo

Introdução

“Jesus Cristo foi apenas uma entidade ideal, criada para fazer cumprir as escrituras, visando dar sequência ao judaísmo em face da diáspora, destruição do templo e de Jerusalém. Teria sido um arranjo feito em defesa do judaísmo que então morria, surgindo uma nova crença” – La Sagesse – Jesus Cristo Nunca Existiu, pp.7 (http://pt.scribd.com/doc/17694243/La-Sagesse-Jesus-Cristo-Nunca-Existiu).

A pergunta sobre a existência de Cristo tem sido novamente colocada em pauta: Ela não é nova, mas apresenta-se como definitiva. Não são poucos os artigos, livros e revistas que tem investido nesse assunto nos últimos anos.

A razão para esse questionamento vindo dos críticos acontece por duas razões basicamente: (1) Segundo eles, não existem evidências históricas de Cristo fora dos livros do Novo Testamento e (2) não consideram o NT como fonte confiável por ter sido escrito por motivações religiosas e não históricas. Nossa intenção é de apresentar cada uma dessas questões e responde-las de acordo com os fatos que dispomos. Continue lendo “A Figura Histórica de Jesus Cristo”

Curso de Cristologia (16 Aulas)

Apresentação

O curso de Cristologia apresentado pelo Teologando nada mais é do que a coleção de 16 aulas ministradas pelo Marcelo Berti na Igreja Batista Cidade Universitária. A proposta deste curso é oferecer uma visão introdutória e abrangente dos aspectos mais importantes da doutrina de Cristo segundo as escrituras. Continue lendo “Curso de Cristologia (16 Aulas)”

Sobre essa pedra

E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la – Mateus 16:18

Com a recente mudança na direção da igreja católica, novamente as questões relacionadas a interpretação de Mateus 16.18 veem à tona: Quem ou o que é a pedra na qual Jesus pretende construir sua igreja? Seria uma referência ao apóstolo Pedro ou a Jesus Cristo? Se Pedro é a Pedra é ele o Papa? Afinal de contas quem é a pedra mencionada nesse texto? E o que essa expressão significa? Continue lendo “Sobre essa pedra”

O Tetragrama e sua tradução

Recentemente tive a oportunidade de conhecer mais um grupo religioso cuja missão é apresentar o correto nome de Deus ao mundo. Eles não são uma grande organização, não tem grandes produções mas usam e abusam dos benefícios da internet para divulgar suas teorias. Segundo esse grupo o nome verdadeiro de Deus deveria ser Yaohu e todos os que não adoram a Deus usando esse nome estão estão adorando o verdadeiro Deus, mas uma ou outra divindade da antiguidade. Continue lendo “O Tetragrama e sua tradução”